Recomenda-se:

Netscope

Tuesday, December 29, 2009

My name is Woods, Tiger Woods


É caso para dizer " você abusou". O golfista armou-se em James Bond e, com ar de quem não parte um prato, enganou a legítima. Com quinze - que se saiba - senhoras entendidas no assunto. Não se limitou a cometer adultério, porque um campeão que se preze tem de partir a louça toda. Tiger Woods fez tudo a que tinha direito:pandegou à farta, com louras, ruivas e morenas, daquelas com um arzinho que não engana ninguém, e não feliz com isso, levou-as para casa. Ora, não me consta que Tiger Woods não possa pagar um hotelzinho discreto. Não sei se o acuse de uma certa dose de estupidez, se de abuso puro e duro. Foi como quem diz " traio, engano, minto debaixo do teu nariz e ainda faço caretas". A festa, com direito a canas e foguetes, saiu cara. A sua (linda) esposa já fez saber que exercerá o acordo pré nupcial estratosférico - 300 milhões! - e se for mesmo, mesmo inteligente, exigirá mais uns trocos para compensar a vergonhaça à escala mundial. Um divórcio histórico, se a coisa correr bem (ou mal, conforme a perspectiva). Até aqui, nada de novo.
Surpreendente é que marcas como a Gillette tenham cancelado os seus contratos milionários com o atleta, e que a sua imagem, até aqui intocável, esteja irremediavelmente manchada. Algo está a mudar: já não é bem visto que um homem se comporte como um galo doido. Pessoalmente, homens de muitas mulheres sempre me despertaram desconfiança- confesso que acho o James Bond desprezível. Nunca percebi qual era o apelo de um galã inveterado: os D.Juans deste mundo são infantis, taradões, descontrolados e não sabem o que querem. Se isso cai mal a uma mulher, não cai melhor num homem. Mas até aqui não tinha provas claras de que mais gente partilhava a minha opinião. Obrigadinha, Tiger.

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...