Recomenda-se:

Netscope

Tuesday, March 9, 2010

Dia da Mulher

Lá passou mais um,com a parafernália que a caracteriza e a eterna questão de muitas senhoras: " não concordo, porque não existe um Dia do homem". Pois é...mas que eu saiba, por este mundo fora, ainda são as mulheres que ganham menos, que são discriminadas no trabalho porque " têm filhos" (ter filhos, que horror...temos de esterilizar esses seres!!!) " dedicam tempo à família" e sofrem de "problemas femininos";


...as mulheres são quem mais sofre com violência doméstica, crimes sexuais, assassinatos de honra, casamentos forçados, tráfico humano...a lista é interminável.

Enquanto não houver verdadeira igualdade, sim, faz sentido que o Dia da Mulher exista; não para nos dedicarmos a pieguices (sou feminina, sou forte, sou mulher, yupi!) mas para recordar que há muito por fazer. E não - não sou feminista.

Algo correu mal na emancipação feminina. Pelo menos por cá.

Se não, notem:


Há 50 anos, numa família de classe média, que vivesse razoavelmente bem, era suposto o homem trabalhar e a mulher gerir a casa - eventualmente, podia participar em actividades sociais ou dar umas lições de piano para pagar os seus alfinetes. Além de sustentar a esposa, o marido achava normalíssimo pagar a uma empregada ou duas para manter a casa arrumadinha e tomar conta da criançada - que as esposas queriam-se lindas e mimosas, e não esfalfadas...não era próprio. Acrescente-se que muitas vezes havia uma ou duas avós em casa, de quem a mãe cuidava, e que por sua vez davam uma mãozinha.Enfim, cada um tinha os seus afazeres: se o marido trabalhava era justo que a mulher arrumasse, digo eu! O mal era de quem tinha o azar de casar com um forreta ou um brutamontes.

Batemo--nos pelo DIREITO a trabalhar, para ganhar independência e realização pessoal.Para não termos de dar justificações a ninguém. Mas afinal...

E HOJE?

O marido trabalha; a mulher trabalha (ai dela que não trabalhe porque nenhum marido quer uma mulher malandra) muitas vezes em empregos mal remunerados,onde a carregam com o dobro da carga porque "mulher é banana e não se defende"; chega a casa tarde, e à noite ainda tem de fazer jantar para sua excelência (como há 50 anos)estar bonita (como há 50 anos)cuidar das crianças (como há 50 anos, mas muito mais cansada) e ainda há tempo para discutir sobre finanças! E apesar de as mulheres trabalharem em média mais 15 horas por dia,de fazerem todo o trabalho doméstico (as empregadas estão cada vez mais caras)...ainda dividem contas! Se há 50 anos o marido dizia " andas a gastar muito no cabeleireiro, querida"...~enfim! Agora que um marido diga..."andas a gastar muito do TEU ordenado do cabeleireiro..."isso é o cúmulo do descaramento. Não falo por todos os casais, mas acontece muitíssimo. É o velho esquema " leoa trabalha, leão fica sentado à espera que alguém ataque o lar daqui a 3 semanas". E já não falo dos que se julgam "no tempo da outra senhora" e consideram normalíssimo bater na legítima (como há 50 anos).
~
Tanto trabalho...para termos ainda MAIS trabalho?

Teremos nós, mulheres, adquirido mais responsabilidades do que liberdade? Será um defeito da sociedade portuguesa? Ou está tudo ao contrário?
E se me acham bota-de-elástico, paciência!

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...