Recomenda-se:

Netscope

Thursday, March 8, 2012

I´m a good girl, sir‏

 
Sean Bean e Viggo Mortensen (Deus nos guarde de aflições, de O ofender e das tentações...)


O que penso sobre o Dia da Mulher está dito aqui e aqui . Não me apanham por dinheiro nenhum num jantarinho temático com o femeaço aos berros (o meu grupinho não grita, mas nestes dias sabe-se lá quem calha na mesa do lado, e em que estado) nem em "divertimentos" mais vulgares com culturistas de beleza e masculinidade duvidosa besuntados de óleo (blhec!).
Dia da Mulher é todos os dias: quando trato das minhas toillettes e arrebiques, quando me apetece reunir com as minhas amigas e sobretudo, quando me recuso a aturar tretas e faltas de respeito seja de quem for. Quando se luta diariamente para equilibrar feminilidade, força e dignidade. Quando temos que nos impôr porque outras mulheres, sem respeito por si próprias, nos dão má reputação.
Há algum tempo, uma pessoa da minha confiança contou-me que numa empresa de renome cá do burgo, era normalíssimo todas as candidatas fazerem o "teste do sofá". Ali mesmo, nas instalações (abstenho-me de contar detalhes). Parece que era regra da casa. Essas meninas estarão provavelmente a jantar hoje, com bandeirinhas hasteadas pela liberdade das mulheres. Ingenuidade? Hipocrisia?Se calhar, acreditam que o que fazem é o resultado da libertação sexual. Digam-me onde está a autodeterminação em ceder a um opressor, a alguém que nos diz na cara " Quero lá saber do teu currículo. És mulher, és carne para canhão".
Não é a ideia de boa versus má rapariga, de cada uma fazer com o seu corpo o que bem lhe dá na gana que me incomoda: é o facto de nem precisarem de ser enganadas com um jantar à luz de velas e outras piroseiras; de saberem perfeitamente à sordidez que vão, in your face, de não se importarem de serem tratadas como lixo.
Outras há que permitem que os namorados as tratem de forma igualmente grosseira, que sofrem as maiores ofensas à sua dignidade e auto estima, e ainda imploram para ficar. Por migalhas. Enquanto uma só mulher não se valorizar, temos um ciclo vicioso que nos prejudica a todas.


Mas para não dizerem que sou resmungona e mal disposta, deixo aqui algum eye candy de classe. Cavalheiros com tudo no lugar...principalmente o cérebro.




Mike Edward


É actor de teatro, fez Shakespeare e tem a sua própria companhia. Destacou-se como Segovax em Spartacus, e não imaginam a quantidade de pessoas que cai aqui à procura do rapaz sem nenhuma roupa e em pose interessante. Não vai acontecer - usem a imaginação...ou o Google.


Sean Bean



Dispensa apresentações e já fez de tudo, desde Shakespeare ao Senhor dos Anéis, mas ficou famoso como O Amante de Lady Chatterley. Vive retirado e muito metido consigo, caractecterística que eu aprecio bastante.
 


Viggo Mortensen




Está em destaque esta semana por nenhum motivo especial: o seu rosto cinzelado é um dos  mais bonitos do cinema, mas ele não se rala nada com o aspecto. Em part time tem outros projectos, como uma editora de poesia para jovens autores.






9 comments:

Unknown said...

Aprovadíssimo!

Lady Lamp said...

Subscrevo todas as palavras relativas ao Dia da Mulher e acrescento que me incomodam imenso as sms, os e-mails e as florzinhas no mural do facebook, festejando um dia que marca mais a diferença do que enaltece a igualdade.

:*

Imperatriz Sissi said...

IX, eu sei que partilhamos a mesma opinião...tanto em relação ao Dia da Mulher como ao comportamento destes cavalheiros. :*

Imperatriz Sissi said...
This comment has been removed by the author.
Imperatriz Sissi said...

Obrigada, Lamparina. É sem dúvida um dia que levanta questões. Mas já que existe há que o assinalar com dignidade. Beijinhos.

Tamborim Zim said...

Tudo dito! Brilhante.

Imperatriz Sissi said...

Obrigada, Tamborim :) . Um beijinho para si, que é uma senhora à séria.

Imperatriz Sissi said...

Tal como a Lamparina ;)

Imperatriz Sissi said...

José, muito bem visto. Não se melindre, mas vou responder aqui para limitar o "colorido" de algumas imagens.

"And i'm a bad boy, Miss! Não, i'm a good boy, really. Mas com um toque de bad boy... :) O engraçado que muitas mulheres adoram bad boys, não é? Aqui pela net há muitos artigos sobre o tema "Why girls like bad boys". Por acaso o Sean Bean e Viggo Mortensen na sua foto de topo estão com um ar um bocado de quem até faz testes do sofá a candidatas! eheh Jessi, qual a percentagem de mulheres que diriam "não" no sofá ao vigor do Viggo? ;) Quanto ao dia da mulher, concordo em pleno com os seus posts deste ano e dos outros anos sobre o Dia da Mulher. No meu blogue falei de um caso de violência doméstica que me foi contado na primeira pessoa dois dias antes e me surpreendeu. Partilho também da sua opinião sobre a facilidade com que algumas Samanthas Jones à portuguesa fariam o teste do sofá e se calhar ainda se gabariam de que eram as melhores a fazê-lo. Mas é justo dizer que estou certo que algumas adeptas do sexo casual, verdadeiras hipersexuais viciadas em sexo, teriam mesmo assim a dignidade de dizer "não" a uma situação dessas, tal como algumas púdicas se poriam logo de joelhos e depois viriam condenar cá para fora.".

Concordo plenamente. Conheci algumas "Samantha Jones" da vida real: mulheres que conseguiam separar relacionamentos casuais de quaisquer ilusões de apego emocional (ao contrário das pseudo modernas que permitem intimidades fáceis na esperança de "caçar" um namorado e depois choram pelos cantos). Apesar de termos pontos de vista muito diferentes, sempre as respeitei pela sua confiança à prova de bala. Ser assim exige arcabouço, frieza e ideias firmes. Posso dizer que nenhuma destas Samanthas permitia que a usassem, ou ficava a roer as unhas ao telefone à espera que o "rapaz de ontem à noite" ligasse. Por sua vez, as pessoas com quem se envolviam acabavam por se interessar (interesse nem sempre correspondido, diga-se de passagem) pelo simples facto de a mulher com quem tinham passado a noite não mostrar quaisquer sinais de carência. Mulheres assim conseguem virar as regras - bom para elas. Não têm nada a ver com as parvinhas do sofá, goste-se ou não das suas opções de vida .
Quanto ao Viggo, falo por mim - pode ser uma perfeição de pessoa, mas se tivesse o atrevimento de me fazer tal proposta eu ficava logo cega. Queria lá saber se o homem era bonito ou feio...o simples facto de achar "que pode" aproveitar-se das intenções honestas de outrém de uma forma tão baixa transformava-o num orc aos meus olhos. Dava-lhe um correctivo tão grande que se ia ouvir na Terra Média, isso garanto. Mas acho que não, tenho ideia que é um cavalheiro bastante decente.

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...