Recomenda-se:

Netscope

Friday, March 2, 2012

Praguejar é preciso



A minha família divide-se entre o máximo da discrição e o cúmulo da expressividade. O lado materno é todo ele sorumbático, voltado para dentro e noctívago; o lado paterno, emocional e explosivo. Em comum têm um orgulho inato, uma altivez que nuns é serena e noutros, fanfarrona e a incapacidade para guardar rancores no seio do clã (com forasteiros o caso é outro, como já disse aqui). Não me recordo de parentes que andassem anos sem falar: mais facilmente nos pegamos forte e feio para esquecer tudo logo a seguir. A forma de exteriorizar a raiva é que difere: na família do avô Aníbal, "falso" era o pior insulto que se podia dar a alguém. Contra os de fora, "ladrão" era a mais grave das ofensas. Rogar pragas, nem em último caso. Um simples "raios o partam" era logo seguido de um "nunca" ou "Deus me perdoe".
No lado do pai, a música é outra. A influência italiana foi muito forte naquela terra, pelo que à mínima coisa, se ouviam as vozes das mulheres a vociferar "maldito" "danado" ou "desgraçado". Rai´s te partissem, rais´t comessem, alma danada, cão danado, porca miséria, males ruins te consumam, ou - caso o infeliz já tenha batido as botas - que a terra lhe seja bem pesada, maldito, que arda no inferno para todo o sempre, amen e assim queira Deus, etc" eram alguns mimos comuns para inimigos externos, com gestos específicos a selar o impropério. Versões mais ou menos light das antigas maledizioni, que por aquelas bandas sempre foram menos tímidos a desejar a danação ao próximo do que os portugueses. Algumas tocam a blasfémia, outras foram caindo em desuso (para ser franca não sei qual é a última moda por lá, terei de perguntar):
Maledizione! Dannazione! dannato!  Maledetto! Porca Madonna! (Esta é uma verdadeira blasfémia,  mas há versões ainda mais feias) Vai a morire ammazzato !te pòssin'ammazzàtte ! ( "Vai e vê se morres assassinado"; semelhante a "vai-te matar")
Che mammata ne senta la mala nuova ("que a tua mãe receba más novas") ; Che Dio ti dea la mala notte ("Deus te dê uma má noite" - também se usava "Deus te dê um mau ano") Che te vangano mille malanne ("que apanhes mil doenças")
Che non ce vide lo primmo de maggio! ("que não chegues a ver o primeiro de Maio")
Li mortacci tua!(sua, vostri, loro)/ li murte tuue( Uma "parolaccia" malcriada que insulta toda a família e os antepassados do visado; há muitas variantes e regionalismos, mas também se usa como interjeição, do género "raios!")mal n'aggia", forma antiga que corresponde ao velho "mal hajas", já em desuso por cá.  O mais curioso é que todas estas expressões, entre centenas de outras, servem muitas vezes de desabafo, não pretendendo realmente desejar mal a alguém.
Para isso, nada como o Bom Livro: a Bíblia está pejadinha de maldições para rogar aos ímpios com permissão divina. Entre as passagens mais "mazinhas" contam-se os chamados Salmos Imprecatórios. Ó Deus da Vingança, resplandece (...)o Senhor nosso Deus os destruirá (Salmo 94) ;  Põe sobre ele um ímpio, e esteja à sua direita um acusador.Quando ele for julgado, saia condenado; e em pecado se lhe torne a sua oração!Sejam poucos os seus dias, e outro tome o seu ofício!Fiquem órfãos os seus filhos, e viúva a sua mulher!Andem errantes os seus filhos, e mendiguem; esmolem longe das suas habitações assoladas.O credor lance mão de tudo quanto ele tenha, e despojem-no os estranhos do fruto do seu trabalho!Não haja ninguém que se compadeça dele, nem haja quem tenha pena dos seus órfãos!Seja extirpada a sua posteridade; o seu nome seja apagado na geração seguinte! (Salmo 109). Nada agradável...

No comments:

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...