Recomenda-se:

Netscope

Saturday, June 23, 2012

Coisas que me fazem urticária #1

                                                              
Há pouco fui a uma loja comprar comida de gato e a senhora da caixa (com unhas falsas de meio metro cheias de bonequinhos e brilhinhos) vira-se para mim e diz: quantos "comeres" (tradução: latas de comida) são?
Esta é uma daquelas expressões que, embora certos especialistas na matéria defendam que não são incorrectas, me arrepiam mais que garras a riscar num quadro negro. A mim, que até emprego vocabulário do tempo da Maria Cachucha e sou defensora acérrima de regionalismos. Não é por mal, mas acho tão feio e tão boçal que me agride mesmo. E lá que se utilize em casa, ainda vá que não vá. Mas numa cadeia de lojas, é uma falta de profissionalismo usar palavreado tão pouco cuidado, eu acho... A única coisa que se equipara no quesito de me fazer encolher automaticamente é o pavoroso hábito de se referir aos filhos ou aos netos, na terceira pessoa, por o menino ou a menina. Vulgo: olha a menina! toma conta do menino! ou já "fizestes" (atente-se ao "s") a papa do menino? Como se os pequenos não tivessem nome, nem identidade, fossem um objecto estranho que por ali anda. Blhec. 

8 comments:

Anonymous said...

Concordo contigo em tanta coisa, mas esta não é uma delas.
Nunca percebi prque é que "o comer" é uma expressão tão mal vista. É um nome para além de ser um verbo, e se usamos "vou comer" com naturalidade, ultrapássa-me como é que a mesma palavra usada como nome em vez de verbo possa passar a ser considerada grosseira.
Quanto aos meninos e meninas, sempre me pareceu um nome carinhoso. Afinal "o menino" é o menino Jesus, por isso chamar assim aos filhos e aos netos só pode ser prova de adoração. Já para não dizer que se torna mais prático quando são vários. Se disser: "Olha a Joana, a Beatriz e a Madalena!", em vez de "Olha as meninas!", quando a pessoa se der conta, já está o disparate feito.

Sara Silva said...

ahaha, por acaso nunca ouvi essa do "comeres", que ridículo! e é verdade: ainda há por aí muita boa gente a dar reais gafes na língua portuguesa e a usar expressões igualmente de estranhar

Imperatriz Sissi said...

Flor, o ciberdúvidas afirma "é corrente empregarmos o infinito dos verbos como substantivos. O infinito substantivado é próprio da nossa língua". Não se trata de estar incorrecto, trata-se de ser uma expressão que considero menos agradável ao ouvido, ao contrário de outras do linguajar mais popular. O mesmo para "o menino", mas concordo que quando usada no plural já não soa tão mal como isso e possa ser mais prática, como dizes.

Imperatriz Sissi said...

(Além disso, quem usa "o menino" acompanha muitas vezes a expressão de outras pérolas, como o "fizestes". Não será toda a gente, claro, mas ouço muito isso! E há sinónimos, não percebo porque teimam em usar sempre a mesma palavra...)

Imperatriz Sissi said...

eheheh..Não será exactamente uma gaffe, mas não é a expressão mais bonita, não. Lembra-me sempre restos de comida. Go figure..

Diligentia said...

"Comeres", muito bom... Muito melhor que 'miga, expressão linguistica de topo

Imperatriz Sissi said...

"Miga" é lindo. Só superada pelo clássico "môr". Blhec :P

Alexandra Ferreira said...

O top dos vocábulos que me irritam:
Em primeiro lugar a "perca".
Em segundo lugar o "comer"e o "comerzinho".
Em terceiro, a "retunda".
Em quarto o "bica bornato".

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...