Recomenda-se:

Netscope

Monday, July 23, 2012

Carteiras: casa às costas, arma de auto defesa, e outros usos.

Jane Birkin com a icónica Birkin bag

 o cestinho-imagem-de-marca, a "Birkin" original

A história, autêntico mito da indústria de moda, é bem conhecida: no ano da graça de 1981, a encantadora Jane Birkin, it girl suprema e intemporal, apanhou um voo de Paris para Londres. No braço, transportava o seu incontornável cestinho, que usava para substituir sacos e carteiras. Não demorou muito até a "carteira" cair do compartimento onde estava pousada, espalhando o seu conteúdo pelo avião fora. E foi ver uma das raparigas mais famosas da Europa, a misteriosa e complexa Jane Birkin, a mítica amada de Serge Gainsbourg, de gatas a apanhar maquilhagem e outros cacarecos que as mulheres trazem sempre consigo. O prestável cavalheiro que viajava a seu lado meteu conversa, como é normal numa situação destas, e Jane replicou, atrapalhada: " não consigo arranjar um saco de cabedal a meu gosto...". Seguiu-se uma conversa em que a actriz-cantora descreveu a sua carteira de sonho, espécie de alforge camaleão com bolsos estrategicamente colocados capaz de conter tudo e mais alguma coisa. O passageiro do lado era Jean-Louis Dumas, homem forte da Hermès...e o resto é História. A Birkin foi criada para Jane tendo como base um design da marca  de 1892. No entanto, a musa nunca usou a sua Birkin tanto como se possa pensar: alegou que era pesada que se fartava, que a tentação de colocar o mundo lá dentro era enorme e que por aquele andar, acabaria com tendinites. "Qual é o sentido de ter mais do que uma "Birkin?" alegou, contrariando assim algumas fãs dos nossos dias, capazes de esperar meses e de desembolsar milhares de euros para juntar outro exemplar à sua colecção.
                          Quem nunca "atafulhou" a sua carteira, que atire a primeira pedra...

Pessoalmente, partiho um certo fraquinho pelas carteiras versáteis de grande dimensão. A minha colecção é grandota e nela, contam-se alguns exemplares do tipo "mala" ou "saco" -  "cestinhos" incluídos. Mas a dada altura cansei-me de sofrer de ombros e braços deitados abaixo e decidi seguir o exemplo de algumas sábias amigas do showbizz : trazer uma carteira grande com tudo, sim senhora, mas deixá-la no carro e andar de um lado para o outro com uma pequena, ou média - o que por sua vez me permitiu dar maior uso aos modelos mais leves, pequenos e graciosos que andavam arrumadinhos no meu closet. A bem de uma boa postura, do bem estar e da organização. Mas não se julgue que me falta alguma coisa. Na carteira "mega" há de tudo, do kit de maquilhagem completo, passando pela minha agenda até limas, carregador de telemóvel, água termal e um canivete suiço. Na que transporto comigo sou mais moderada, e lojas que vendem cosméticos e utensílios em miniatura, como a Schlecker ou a Primark, são grandes aliadas para o conseguir. Não prescindo de:

Estas meninas não querem saber de tendinites
- Telefone, chaves...;
- Carteira/porta moedas;
- Pó compacto, para retocar a maquilhagem;
- Bâton encarnado (é um multi usos, dependendo da quantidade que se aplica);
- Um pequeno corrector (serve para tudo, até para disfarçar uma picada de mosquito inconveniente) eventualmente duplo, com máscara de pestanas do outro lado;
- Kajal em stick (que também se utiliza como sombra);
- Bálsamo para lábios;
- Mini creme de mãos;
- Escova e/ou pente de dentes largos XXS;

E, acima de tudo: 
- Toalhetes multi usos: não me apanham fora de casa sem eles. São úteis para tudo o que se possa imaginar, com empregos que vão desde limpar as mãos a remediar uma nódoa. Creio que também reparam corações partidos....

- Mini desodorizante em spray: pelo óbvio e porque polícias e artistas marciais defendem que uma senhora nunca deve sair de casa sem um. Em caso de ataque, é uma das melhores arma de auto defesa. Também conheço uns quantos truques usando as chaves de casa e outros objectos. Nunca fiando...

Claro que no quesito auto defesa, uma carteira bem pesada pode ser  a arma mais destruidora que há, à melhor moda das velhinhas que surpreendem carteiristas. E as de algumas amigas minhas causariam sérios danos a qualquer facínora que chegasse perto. É caso para dizer: tenho uma carteira gira e não tenho medo de a usar!!!



4 comments:

Na Província said...

Não páre de escrever, sou uma seguidora dos seus textos, um grande beijinho!!
na-província.blogspot.com

Imperatriz Sissi said...

Fico sensibilizada, querida Na Província! Também gosto muito dos seus. Beijinho :)

Unknown said...

Que giro! Adorei. Que bem que escreve! Bjs***

Imperatriz Sissi said...

Muito obrigada, Caucau! Pelo elogio e pela pela visita, que me deu a conhecer o seu blog giríssimo. Beijinho :*

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...