Recomenda-se:

Netscope

Wednesday, August 22, 2012

A twist in the dress



Ontem partilhei no Facebook da Sissi uma frase que podia ser minha, retirada de um blog excelente:

"(...)Making or buying only top-quality, beautiful clothes, and making do with a limited wardrobe . . . like most people did for centuries. We should bring the emphasis in fashion back to having a few quality ite

ms, rather than amassing a huge quantity of synthetic items that we grow weary of or that go out of style after a few months".


Defende a autora, e muito bem, que é necessário devolver o verdadeiro estilo à moda, e que para isso, é importante investir na qualidade do guarda roupa, conhece-lo a fundo e tirar partido do "acervo" que temos em casa. Como sabem, essa é uma das ideias mais presentes aqui no IS. No processo de seleccionar o que ficou, o que chegou de novo e o que foi embora no meu closet, os vestidos foram talvez- a par com os jeans - as peças que mais protagonismo tiveram. Tenho uma relação afectiva com os vestidos, e há muitos que associo a etapas ou momentos marcantes. Um deles é este castanho de algodão e seda, maxi, com um ligeiro estapado, que comprei nos meus tempos de liceu e que me acompanhou numa fase particularmente emocionante. Nunca fui realmente capaz de me desfazer dele e guardei-o à espera que as saias compridas (neste caso, "tea lenght") voltassem a invadir as ruas. Ao contrário de peças clássicas como a saia lápis, a maxi parece demasiado "alternativa" se não estiver em voga. Os novos usos, de que já falei, também a tornaram mais versátil. Assim, foi só juntar ao vestido do tempo dos Afonsinhos uma carteira de palhinha (italiana, vintage, anos 70) e uns zapatones estilo Foxy para lhe dar o "upgrade" necessário. What do ya girls think?

                         

2 comments:

Sara Silva said...

eu gostei!
não sou rapariga de seguir fielmente todas as tendências que saem para o mercado, ainda que por vezes fique contente por a moda trazer até mim peças que adoro. no entanto admiro quem tenha um estilo mais revivalista e prefira usar peças realmente vintage, herdades da avó e afins. o desafio está em conjugar tudo sem parecer demasiado antiquada ou foleira :)
e acho interessante isso de guardares peças que estiveram presentes em momentos importantes da tua vida! eu não o faço, mas acredito que as peças que vestimos nesses momentos, conservam nelas uma energia especial e que, quando as voltamos a vestir, sentimos essa mesma energia novamente *

Imperatriz Sissi said...

Thanks ;) É verdade. "Se tem qualidade, guarda-se" porque a moda é cíclica e há sempre modelos, cortes, materiais ou inspirações que regressam. O que não se pode fazer é usar como se usou há X anos, porque há sempre uma evolução (geralmente para melhor) e o look não pode parecer datado, principalmente quando se trata de peças com mais impacto visual.

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...