Recomenda-se:

Netscope

Saturday, August 18, 2012

As coisas que eu ouço: à tua espera, eu?

Ele acha que eu devo estar na prateleira...
Tenho uma amiga muito gira e desempoeirada, daquelas que dizem tudo o que lhes passa pela cabeça. Uma espécie de Samantha Jones em versão mais jovem e bem comportada, que teve a sorte - ou o azar - de encontrar o seu Richard. Ou seja, arranjou um namorado à sua altura, que parece o par ideal para ela. Bonito, bem sucedido, boa companhia, espirituoso e inteligente. Gostam das mesmas coisas, tiveram uma educação semelhante, desafiam-se intelectualmente, quando estão juntos irradiam vivacidade, a química entre eles é qualquer coisa e fazem um belo casal. Tudo seria perfeito se não fossem tão parecidos - o que os leva a andar às turras muitas vezes - e se o "Richard" não estivesse a passar a fase olhem para mim que eu sou tão bom. O rapaz, como tantos outros, levou uma existência de menino tímido e mimado até há pouco tempo e agora, que conquistou independência e autoconfiança, descobriu que tem jeito para as mulheres, que elas  - atraídas pelo seu sportscar reluzente e belas fatiotas - não o largam e que apesar de estar a beirar os early thirties ainda pode levar uma vida de playboy teenager.
E eu acho que isso não se faz...por acaso tenho cara de mulher da luta?
Até aí tudo bem, se ele não se tivesse apaixonado pela minha amiga, com quem anda num permanente on e off. Zangam-se, recomeçam, ela grita-lhe " desampara-me a loja de uma vez!" mas depois fraqueja de novo, a estória não ata nem desata. Ela não lhe quer tolerar os desmandos; ele não prescinde das maluquices, mas também não quer prescindir dela: queixa-se que encontrou a mulher da sua vida "cedo demais", quando ainda queria gozar uma vida sem responsabilidades. Mas não se decide nem por uma coisa, nem por outra: nega até à morte os seus pecadilhos, não os admite, mas continua a fazer asneiras na mesma.  Ou seja, anda a ver se a mantém na prateleira, espera que ela ande atrás dele (não vai acontecer) que guarde respeito (essa do "respeito" dava um livro) a uma relação que tecnicamente, não existe. E a minha amiga (que o adora e é paciente, mas não tem nada de mulher da luta) não está para fazer um papelão desses: age como solteira e boa rapariga, que é, e segue com a sua vida, o que o chateia imenso. Há uns dias, desabafou ela, ao contar a última cena de ciúmes do menino, que a acusou injustamente de doidivanas: então ele pode viver a sua vida e eu não? Mas julga que é o único homem à face da terra ou quê? A fila anda, meu querido. Anda lá, que fico mesmo aqui à tua espera!  So many men, so little time, diz ela, que não tem papas na língua...

12 comments:

kari said...

Ora ora, o prato do dia dos tempos modernos... ;)

Imperatriz Sissi said...

Nem mais...as "mulheres modernas" passaram a tomar todas as iniciativas, e deu nisto. Uma baralhada.

*C*inderela said...

Uma relação que nem ata nem desata! O menino que atine ou deixe os outros seguir com a sua vida.

Bjokas

A Bomboca Mais Gostosa said...

Era o que faltava ela ficar à espera de quem não vem! Também tive uma fase parecida e disse-lhe "ou é, ou não é, que me ponho a andar" (qualquer coisa deste género), e foi remédio santo!

Panurgo said...

Alto aí! Qual é o problema de estar à beira dos trinta?

Imperatriz Sissi said...

Totally! O pior é que há muitos que não querem nem uma coisa nem outra. São uns manipuladores de primeira água. É o caso aqui...

Imperatriz Sissi said...

Boa,Bomboca! E ele atinou ou foi à vida dele, sem querer ser indiscreta? (De qualquer das maneiras, ficou resolvido...optimo ;) )Beijinho.

Imperatriz Sissi said...

Absolutamente nenhum, a não ser que se queira continuar a viver como um adolescente - e a magoar pessoas com isso. Não se pode servir a Deus e a Mammon...ou a namorada, ou a maluqueira.

Panurgo said...

Se alguém magoa outro por viver como um adolescente é porque nenhum dos dois saiu da puberdade. Digo eu, digo eu, que não tenho nenhum sportscar

Imperatriz Sissi said...

Talvez em estilos de vida mais "exóticos". Mas quando ambos pretendem monogamia - pelo menos oficialmente - e um não cumpre, sem no entanto assumir isso...é muito chato. Ninguém gosta de ser defraudado, muito menos enrolado.

Panurgo said...

Mas as pessoas são muito aborrecidas...

Imperatriz Sissi said...

Para um fauno, sim.

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...