Recomenda-se:

Netscope

Thursday, August 30, 2012

E na Primark foi assim...

Pois é, tenho de ter atenção ao que converso cá com os meus botões. Tinha eu acabado de partilhar convosco que estava dividida entre o meu impulso natural (fugir como da peste aos entusiasmos-de-inauguração) e o meu instinto de repórter quando recebo um convite amoroso, em forma de desafio, para marcar presença na cerimónia de abertura da Primark Coimbra. Perante essa gentileza - e a promessa de um evento agradável em que as bloggers e jornalistas convidados teriam a ocasião de conhecer a marca "por dentro", observar a loja com calma e colocar questões -  a minha decisão ficou tomada. Uma irish lass participar nas boas vindas a uma  loja irlandesa... pareceu-me lógico. A manhã começou com o espaço ainda fechado ao público, refrescos e um desafio às bloggers: completar o seu outfit com uma peça ou acessório da marca em tempo recorde. 1800 m2 de roupinhas, calçado e tudo só para nós...certo. 
É o equivalente a soltar uma criança numa loja de doces. 

                                                                                                  
Seguiu-se uma apresentação de Breege O´Donoghue -  Directora de Recursos Humanos e Business Development  - às entidades e convidados, para melhor dar a conhecer o conceito das lojas Primark, onde "Everyday is a Special Day". Um lema que, a par com a ideia "Look Good, Pay Less" considero muito feliz. De acordo com esta representante da Primark estamos perante uma marca que " viaja muito bem" graças ao acompanhamento constante das tendências e à adaptação das suas gamas à realidade e características dos consumidores de cada país e região. Além da ênfase na qualidade- preço, foi realçado o empenho da Primark na Responsabilidade Social e no Comércio Ético. Um aspecto que nos deixa, consumidoras conscientes, muito mais tranquilas. E para começar com o pé direito, a marca ofereceu um presente a uma instituição local: a Cavalo Azul - Associação de Famílias Solidárias com a Deficiência

Mar Morón, Breege O´Donoghue e José Luis Martinez de Larramendi com os representantes da Cavalo Azul
Logo depois, chegou o momento que me trouxe ali: uma tour à loja, guiada pela (lindíssima) Mar Morón,  Responsável de Produto Primark Iberia, e pelo Director para a Península Ibérica, José Luis Martinez de Larramendi. Com um look irrepreensível e o entusiasmo de quem verdadeiramente adora moda, Mar Morón conduziu-nos pelas várias secções, explicando os pontos mais importantes no desenvolvimento das colecções Primark. A aposta permanente na qualidade dos jeans de diferentes modelos (skinny, high waist, flare...) para todos os tamanhos, a existência de quatro blocos de moda e dois mini blocos de transição por temporada - o que permite que cada loja receba linhas diariamente, no melhor espírito fast fashion - e uma oferta "para toda a família" que vai do mais casual ao smart (" toda a família encontra algo", explicou) foram alguns dos aspectos a assinalar. De realçar, também, um dos ex libris da Primark: os acessórios. "Permitem jogar com as cores e a moda de forma mais rápida e ágil" afirmou a nossa anfitriã. "A cliente portuguesa gosta de acessorizar, tem uma resposta enorme à bijutaria. E adora saltos altos" recorda, apontando estantes e ilhas intermináveis de pumps, stilettos, bailarinas  e botas. As carteiras, porém, são o acessório mais vendido.
Conversando com José Luis Martinez durante a visita guiada

 " Fazemos questão de ter, por exemplo, collants de grande qualidade e super baratos"  disse, mostrando-nos um longo expositor de meias de liga, mini meias e pantyhouse. "Assim, uma mulher pode ter sempre um suplente consigo"afirma, garantindo que não as dispensa. Música para os meus ouvidos: nunca saio sem um par extra. Ou dois. Como sabem, tenho pavor de malhas nas meias. De facto, a minha relação de consumidora com a Primark tem-se concentrado, como já comentei aqui no IS,  na roupa interior  para o dia a dia e utilidades. Precisa-se de um Spanx de qualquer feitio? Um soutien fiável para um decote nas costas impossível que só se vai vestir uma vez? A Primark tem isso tudo sem que seja preciso investir muito em peças de uso esporádico

         

















Claro que eu tinha de colocar a questão que para mim, é mais importante: os materiais e o tailoring.   Apesar de a crise ter levado algumas marcas de fast fashion a uma maior aposta no poliéster, outras começaram (ou voltaram) a trabalhar tecidos naturais, ou mesmo nobres, para o público mais informado e exigente a quem a variedade constante não basta. É verdade que a Primark se limita aos tecidos sintéticos? Mar Morón esclarece que não é bem assim: apesar de os preços controlados serem sempre uma prioridade, os clientes mais atentos ao detalhe encontram muitas peças em algodão orgânico, ou mistura de algodão e linho. Para breve, está uma edição limitada à base de pele e tecidos sofisticados. José Luis Martinez realça que em muitos produtos da Primark - é o caso dos atoalhados, mas não só - "é preciso tocar para compreender a qualidade". "Queremos que uma peça seja barata, mas que não o pareça" assegura.

Entrevistando José Luis Martinez 
"Procuramos que o nosso conceito fale por si. Que as pessoas experimentem como se sentem dentro da loja, que compreendam a fórmula através de uma experiência real" diz o responsável da Primark para a Península Ibérica. Para além do value-for-money, para a Primark importa compreender a demand dos consumidores locais e ir-se adaptando a partir daí. Nesse sentido, falo a José Luis Martinez da realidade de Coimbra: uma excessiva aposta das cadeias de lojas em roupa casual, devido à ideia " Cidade dos Estudantes", que leva as compradoras que procuram maior requinte a optar por alternativas. Perante este feedback, o Sr. Martinez salienta a área mais elegante da colecção: à semelhança do que se vê noutras cadeias irlandesas (e inglesas) tenho perante mim uma bela selecção de jersey e sheath dresses bem cortados e moldados, pencil skirts, blazers... 
Ao experimentá-los (curiosamente, fui a primeira pessoa a estrear o provador) comprovo que os moldes e as costuras são realmente bons e que o design não resulta só no cabide. Nada de cinturas nas costelas; cavas, costas e zippers no lugar certo, comprimento equilibrado, tecidos que - não sendo todos naturais - são firmes e sem brilho "plástico".  

Momento Carrie Bradshaw

Uma coisa é notória: o sucesso da Primark compõe-se de muito savoir faire.
A atenção ao detalhe é sem dúvida um dos ingredientes chave.  Isso é visível em aspectos como o "sistema  de caixas super rápidas"(o que comprovo sempre que passo por uma das seis lojas portuguesas; mesmo uma fila grande desaparece num ápice, ao contrário do que acontece noutras lojas que evito por esse motivo) e no cuidado posto na organização deste evento. Não só receberam os convidados com a maior simpatia como ao abrirem-se as portas, a multidão de clientes foi ovacionada por toda a equipa (com muitos colaboradores a segurar balões) como num red carpet. É um pormenor; mas é bonito de ver e dispõe bem. Acrescente-se que apesar do entusiasmo que se sentia lá fora - e de uma enchente superior à das outras inaugurações da marca -  o público de Coimbra foi, como sempre, de uma grande elegância. Houve muita gente mas nada de confusão nem barulho desnecessário. 
Deixo-vos alguns instantes da manhã. Às bloggers presentes foram oferecidas algumas lembranças muito queridas à escolha de cada uma, que mostrarei daqui a uns dias. Entretanto, poderão ver mais imagens no Facebook da Sissi.

Sissi e Lamparina "in the house"
                                                                                          O grupo de bloggers









10 comments:

Na Província said...

Muitos parabéns pelo seu testemunho, está muito bem conseguido de facto, mesmo para mim, que como já o admiti não sou grande fã da marca.
Um beijinho

na-província.blogspot.com

Urso Misha said...

A espalhar classe e charme, irish lass.

E parabens pelo convite que te fizeram.

menina lamparina said...

Foi TÃO giro. E este post não deixa escapar nada, vou colocar link no lamparina, está bem? Beijuuu*

Imperatriz Sissi said...

Eu também fiquei a conhecer aspectos totalmente novos, e gostei da oportunidade de observar as peças em maior detalhe já que, como tinha dito, conhecia melhor as utilidades. Gostei muito do corte dos vestidos, já que é um aspecto em que a maior parte das marcas deste segmento costuma falhar. Assentam realmente bem e o preço é inferior aos equivalentes, por exemplo, na Zara (e falo de vestidos com os mesmos materiais). Concluo que as marcas irlandesas apostam muito no tailoring. Obrigada e beijinho :D

Imperatriz Sissi said...

Muito obrigada, Ursinho! :D

Imperatriz Sissi said...

Também adorei lá estar, foi uma manhã divertida e a tua presença contribuiu para isso ;). Obrigada, estou ansiosa para ler a tua visão do evento. Beijoca :*****

Sara Silva said...

bem, falto uma semana na blogoesfera e é isto que acontece! sinto-me desactualizada, eu que esperava tanto por esta inauguração! :)
não conhecia esse lado mais "humano" da marca, até porque a maioria fala dela simplesmente como "uma marca de roupa barata mas sem qualidade" (equiparando-a quase aos chineses, ciganos e afins), mas eu acho que não deve ser bem assim e tenho curiosidade em ir a uma ver as peças com mais atenção!
obrigada pelo teu testemunho :)

Joana come a papa said...

Tinha alguma curiosidade, sobretudo pela roupa de amamentação, mas vem tarde porque já me deixei disso.

Imperatriz Sissi said...

Obrigada eu ;). O aspecto ético também me surpreendeu. Por acaso, mesmo conhecendo a Primark de idas esporádicas, nunca percebi porque é que há pessoas com essa ideia...e que por outro lado, adoram a Bershka e a Sradivarius (essas sim, já tiveram coisas muito bonitas mas relaxaram embora mantendo os preços...a Zara evoluiu imenso, a Pull & Bear também, as outras duas são as ovelhas negras da Inditex, não se percebe). A nível de materiais é preciso saber escolher, mas em termos de execução fiquei de facto bem impressionada - com o que tive na mão, pelo menos.

Imperatriz Sissi said...

Joana, não prestei atenção a esse pormenor, mas creio que têm lingerie para quem foi mamã recentemente. Cintas e spanx não faltam por lá...

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...