Recomenda-se:

Netscope

Wednesday, September 19, 2012

A queimar os últimos cartuchos...(a twist in the dress, II)

Enquanto o Verão teima em ficar por aqui, com um calor impossível, tenho aproveitado para dar uso a todos os vestidos e saias leves. Não há paciência para roupa muito estruturada com estas temperaturas do deserto. E como daqui a nada chegam umas brisas frias, uns aguaceiros tímidos, e já se pode usar tudo (jeans, calças justas, saias e vestidos mais espessos) menos peças esvoaçantes e sedosas, há que aproveitar para dar uma volta na colecção inteira. Posso afirmar, sem gabarolice, que cumpri a minha jura de não ter coisas paradas no guarda roupa. O que ainda não foi usado está devidamente enquadrado na categoria certa, junto das novas aquisições, e com coordenados já planeados. Há retoques a dar (e na organização de casacos e sobretudos nem vos falo) mas isso fica para outra ocasião...
Reconhecem a peste à esquerda?

Para terem uma ideia, eis um dos vestidos longos que estavam guardados dos meus anos de liceu. Usei-o em dois eventos de trabalho (e talvez em algumas ocasiões privadas) era eu muito teenager, muito sonhadora e com um bocadinho menos de mau feitio. (Tenho pena de não ter encontrado uma imagem melhor, mas era a que estava à mão). Depois ficou arrumado, como novo. Eu sabia que as saias compridas haviam de voltar, era uma questão de tempo...e não me enganei. Este veio de uma das extintas boas lojas de Coimbra, a Infinito, antes de a maior parte das cadeias se instalar por cá (por essa altura havia a Zara, a Kookai e a Mango, o resto eram boutiques e lojas multimarcas). Na altura comprava fora boa parte da minha roupa, mas esta era uma das três casas onde costumava adquirir peças especiais. Curiosamente, quase tudo o que vinha dessas lojas está impecável, o que diz bastante acerca das roupas de qualidade. Quando vi os padrões florais - e mais concretamente, de papoilas - deste ano nas colecções Ferragamo, Yves Saint Laurent e Topshop, entre outras, lembrei-me logo dele. É um vestido cingido ao corpo, (bem) construído em partes, uma espécie de sheath dress longo. O mais engraçado é que pode ser usado dos dois lados. Desta feita virei-o, porque não me senti bem com o decote tão subido, e acrescentei-lhe um pormenor que era impensável na viragem do milénio: um cinto largo, estilo anos 80. Depois foi só desconstruir um pouco o ar riquinho da coisa com umas sandálias coreanas de cortiça que têm sido óptimas companheiras este Verão, et voilà...



4 comments:

S* said...

Gosto mesmo, ficou bem.

Luiz Alfredo said...

Sempre visito vosso reinado
que para mim é um deslumbre
e muitas aulas
pra mim seu blog é uma poesia
real
da vida
das coisas que não deixam
de ser simples
sem serem belas

mui lindo blog
dicas e pura vida

Luiz Alfredo - poeta

A Bomboca Mais Gostosa said...

Muito gira! :)

Imperatriz Sissi said...

Obrigada, meninas e menino :)

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...