Recomenda-se:

Netscope

Saturday, September 8, 2012

Daphne Guinness, profissão: ícone


Racé. Elegante. Única. Com traços finos, o glamour de outras épocas e um porte de morrer. Não é uma it girl, é uma it woman - aos 45 anos tem a figura e a beleza de uma rapariga com as vantagens da experiência. Se há um moderno ícone de moda que eu admiro - e que aposto, vai resistir ao teste do tempo - é Daphne Guinness, a mulher que tem os maiores designers e celebridades do mundo elegante, da indústria de moda e do meio artístico a seus pés. E não é para menos: Kate Moss, ela própria um ícone de pleno direito, é sua fã. Esta irish lass ( de nacionalidade britânica e irlandesa) tem tudo para ser uma lenda de estilo: imaginação, talento, berço e a capacidade de fazer tudo o que lhe apetece, cada vez mais rara nos dias que correm. É feita da mesma fibra de um David Bowie, com o encanto rebelde e a excentricidade dos antigos dandies e das lendárias mulheres de sociedade do século XIX. Oscar Wilde disse "one should either be a work of Art, or wear a work of Art". Uma máxima que assenta na perfeição a Daphne. Ela é uma original. Pode fazer o que quiser, e dá-se plenamente a esse luxo. O que não é de espantar, considerando o seu pedigree e educação. Descendente e herdeira de Arthur Guinness (que no século XVIII inventou a famosa cerveja irlandesa) o pai de Daphne é Jonathan Guinness, 3º Barão Moyne, e a sua mãe foi musa de Salvador Dali, uma das muitas celebridades com quem a futura diva passava férias em pequenina. Daphne é neta da controversa beldade Diana Mitford Mosley - comparada à Venus de Botticcelli -  filha do 2º Barão Redesdale e uma das  célebres irmãs Mitfordit girls que encantaram e escandalizaram a sociedade dos anos 30. Daphne é muito amiga da irmã Mitford sobrevivente, a sua tia-avó Deborah, Duquesa viúva de Devonshire.
Diana Mitford, avó de Daphne
Daphne -  criadora, artista, stylist e mãe de três filhos- brinca com os looks espampanantes (é fascinada por pumps e armaduras) mas sabe usar a simplicidade, o requinte e o rigor como base. Se quiser brilhar com um visual clean, consegue-o. Mas domina a difícil arte de usar (com classe) roupas extravagantes sem ser usada por elas. Quando não encontra um determinado artigo de moda, perfumaria ou joalharia, gosta de o criar. E de arranjar o próprio cabelo. Defensora de um guarda roupa completo e de uma elegância cultivada, com "mais qualidade e menos quantidade", é dona de um dos closets mais fabulosos e cobiçados da scene fashionista. É também uma conhecida benemérita, e recentemente doou boa parte dele para ser leiloado com fins solidários. Amigos famosos como Lady Gaga licitaram as suas peças, arrecadando-se mais de 700 mil dólares num dia para a fundação Isabella Blow, que apoia os jovens talentos. No entanto, seguindo as passadas de mitos como Lord Byron, ela afirma, sempre blasé, "eu abomino o mundo. Tornou-se despido de significado". 



















2 comments:

Tamborim Zim said...

Instigante! E n ter de preocupar-se com a austeridade é um luxo - e um encanto - adicional. Af!

Imperatriz Sissi said...

Creio que ela arranjaria maneira mesmo que tivesse de enfrentar a austeridade. Luxo não é o contrário de pobreza, lá dizia a Coco... ;)

Mas que deve ser um encanto não ter de se preocupar com tal coisa...

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...