Recomenda-se:

Netscope

Tuesday, September 25, 2012

Frase do dia: perigos, tentações e bofetões da vida


“Quem ama o perigo nele perecerá” (Ecli 3, 27)

Hoje, ao acordar, recordei-me desta máxima, sabe-se lá por que inspiração. Creio que é uma frase válida tanto para pessoas espirituais ou religiosas, como para aquelas que se guiam pelo simples bom senso. Nunca é bom mergulhar em situações potencialmente arriscadas e por vezes, quanto maior o risco, maior o apelo da intriga, da curiosidade ou da nossa própria vaidade. As tentações nunca são desagradáveis e tendemos a demorar-nos nelas pela adrenalina, por querer saber o que vai sair dali, para testar os nossos limites e amiúde, por orgulho "eu sou demasiado forte/superior para cair nesta". Dizem alguns pensadores que quando insistimos em expor-nos a situações perigosas por gosto, soberba, teimosia ou estupidez, os Deuses nos abandonam à própria sorte ou como diz o povo, o Diabo trata de nos castigar. No maior espírito "se consentes rebaixar-te a isso, ficas por tua conta e risco, meu menino". Nunca gostei de desafiar os poderes superiores, nem de testar a paciência ao Universo. Poucas vezes o fiz, porque fui abençoada com uma certa dose de prudência e capacidade de observação para ler os sinais de aviso; em última análise, sempre escolhi aquilo que chamo tentações benéficas, que não me causam grande dano, nem aos outros, nem tão pouco me desviam dos valores mais importantes. Se alguma coisa nos faz mal, nos desmerece, prejudica a nossa forma de estar, a nossa paz, os relacionamentos mais importantes para nós ou a nossa imagem pública, não vale a pena ter paninhos quentes, procurar meios termos. Tudo isso são fraquezas, desculpas para continuar a ter as tentações à mão de semear, vontadinha de fazer asneira - e a asneira segue-se irremediavelmente, espectacular e com os sininhos todos. O Universo parece ser perito em demorar as suas lições mas quando as dá, não economiza nos efeitos especiais. Quem já levou um desses "bofetões" da vida sabe do que falo. Uma pessoa nunca mais se esquece. Eu cá prefiro furtar-me a eles (e fugir da companhia de quem anda a pedi-los) porque quando o Céu ergue o braço para dar um tabefe, vai tudo raso para poupar tempo e não quero que sobre para mim.

2 comments:

A Bomboca Mais Gostosa said...

E de que maneira!
Eu levei uma bofetadazita valente por isso mesmo, por uma asneira, algo que nem tinha razão de ser e no entanto não lhe dei o devido tratamento no momento oportuno.
E por isso levei a bofetada, para me avisar do tratamento atempado que deveria ter dado ao assunto e não dei. Ficou tratadinho num instante, mas era escusado...

Imperatriz Sissi said...

Já me aconteceu. Infelizmente não ficou tratadinho rápido, levou o seu tempo, mas aproveitei-o para aprender técnicas novas e colocar em prática outras que andavam ali a ganhar pó. Agora que doeu, doeu...

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...