Recomenda-se:

Netscope

Thursday, September 13, 2012

Loulou de La Falaise: três gerações de estilo

Rebelde, boémia, exótica, senhora de uma inteligência de estilo insuperável e de uma elegância inata, Loulou de La Falaise (1948-2011) foi um ícone de moda e uma das principais musas de Yves Saint Laurent, que se inspirou nela para criar peças incontornáveis como as blusas transparentes e o smoking masculino. Após uma juventude selvagem, com a expulsão de dois colégios de elite, conheceu o genial criador no não menos icónico Studio 54, em Nova Iorque, para onde se tinha mudado em consequência divórcio dos pais. A associação entre os dois foi muito próxima a partir daí e Loulou - modelo, editora, artista, criadora de moda, jóias e acessórios - inspirou o mestre com o gosto peculiar e original que imprimia em cada look. Filha de um fidalgo francês, o  Ecuyer Alain R. Le Bailly de la Falaise, e de Maxime Birley (nome de casada, Maxime de La Falaise) manequim de Elsa Schiaparelli,  Louise Vava Lucia Henriette Le Bailly de La Falaise, de seu nome de baptismo, tinha o estilo - e a extravagância - no sangue. 
Lady Rhoda, avó de Loulou
Maxime Birley, mãe de Loulou
A sua mãe, beleza anglo irlandesa apelidada como "a única inglesa chic da sua geração" modelo de sucesso nos anos 50, designer e fashionista, teve uma vida tumultuosa. Criativa, aventureira, Maxime de La Falaise era filha de Sir Oswald Birley (pintor de retratos apreciado pela Família Real Inglesa e por Winston Churchill) e de uma excêntrica beldade irlandesa, Lady Rhoda. Foi colaboradora da Vogue americana, onde partilhava as estranhas e exóticas receitas culinárias que aprendera na casa materna. Max Ernst, Andy Warhol e Diana Vreeland eram algumas das celebridades de quem foi íntima, decerto atraídas pelo seu estilo original e indomável: em pequena, Lady Rhoda vestia-a com " uma mistura de roupas que trazia da India e `tralhas´oferecidas por Elsa Schiaparelli" que enchiam de espanto os colegas dos colégios internos para onde era recambiada de quando em quando. Ficou-lhe a inspiração, mas também uma marca indelével nas suas emoções: Maxime era incapaz de se dedicar a um amor só. Irrequieta, o casamento com o pai de Loulou falhou ao fim de incontáveis affairs escandalosos. Era um espírito livre, em permanente mudança, em constante movimento, sempre em busca da próxima aventura que a vida tinha para lhe oferecer. 

  Três mulheres excepcionais, com vidas extraordinárias...e a prova de que o estilo pode, definitivamente, ser herdado.
                              Foto:  Marisa Berenson and Loulou de la Falaise in 1974.
                                    Loulou de la Falaise com Yves Saint Laurent e Marisa Berenson

No comments:

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...