Recomenda-se:

Netscope

Monday, September 10, 2012

Veneza 2012: lições a tirar


De uma maneira geral, achei as toilettes do Festival de Veneza  um tanto insípidas. Essa tem sido a  tónica  nos grandes acontecimentos deste ano - não tanto por falta de esforço, mais por falta de jeito, imaginação ou de arranjos de última hora, que fazem a diferença entre o espantoso! e o meh. Por vezes, uma só costura, um pequeno "puxão" ou a escolha entre dois decotes dita esse bocadinho que falta. Uma costureira hábil é tão importante como o designer que criou o modelo (de preferência, devem trabalhar em equipa) a (o) stylist que montou o look, o (a) cabeleireiro (a) ou o (a) maquilhador (a) de serviço, isto se o vestido não foi provado à medida.  Nestas coisas, não me canso de o dizer, não pode haver pressas (a não ser que já se conheça de olhos fechados como nos assentam as criações de determinada casa, e mesmo assim há surpresas). No meio da sensaboria porém, os vários eventos que fazem parte do Festival tiveram alguns looks de encher a vista, ou mesmo memoráveis - como convém - e uma participação portuguesa que pautou por uma suave elegância.
Já disse que estou completamente apaixonada por estes vestidos Dolce& Gabbanna,  e Selena Gomez usou um deles na perfeição.

Goste-se ou não de couro, este modelo de Valentino é icónico, como é de rigueur para um evento assim, e fez brilhar Olga Kurylenko.

Laetitia Casta Jury member Laetitia Casta attends "The Reluctant Fundamentalist" Premiere And Opening Ceremony during the 69th Venice International Film Festival at Palazzo del Cinema on August 29, 2012 in Venice, Italy.Breathtaking: French model Laetitia Casta caused a stir as she arrived at the premiere of The Master looking simply stunning in an embellished peach prom-style dress
Não morri de amores pelo Dolce & Gabbanna rendado que tanto sucesso fez (desculpem, mas ainda me lembra demasiado alguns maus momentos dos já- oficialmente- vintage anos 90). Porém, o Elie Saab cor-de-pêssego é lindíssimo, tal como Laetitia Casta.

 A designer Olga Sorokina chamou a atenção com um look gladiador. Só não gosto do cabelo desaparecido e molhado -  mania minha, mas também é verdade que poucas mulheres ganham alguma coisa com esse visual.

Não adoro o styling, mas o vestido Roland Mouret é a coisa mais linda, e feito para curvas super delineadas como as de Salma Hayek. Reparem na cor rica, no corte sumptuoso. Ideal para   figuras curvilíneas e ampulhetas petite. Tirava o colar, que só abafa o pescoço, substituía a clutch a tiracolo por uma de mão e penteava o cabelo como deve ser. Mas já lá vamos.

O vestido Dolce & Gabbanna e o sapatinho de Vanessa Hudgens não podiam ser mais lindos. Só há um problema aqui: os ombros e braços de Vanessa precisavam de mais espaço. Este decote é difícil de usar: apenas favorece a 100% quem tem pouco peito, ombros extremamente finos e precisa de ganhar volume nessas áreas.

Winona Ryder esteve elegante em Dolce & Gabbanna, mas precisava de alguns volumes e de uma cor mais alegre. O modelo escuro e fluido dá a ideia de não haver mulher suficiente para encher o vestido:  conferiu-lhe um ar cansado e uma fragilidade exagerada. Com outra cor, o cabelo mais polido e brilhante e algo que cingisse o corpo de maneira diferente, poderia tirar partido dessa delicadeza, conseguindo um look etéreo.


Salma Hayek- Pinault foi outro caso de mulher linda com o vestido errado. Talvez esteja cega com a responsabilidade de representar o império de luxo PPR e com closet de sonho-infinito-cósmico-e-fenomenal que o marido lhe proporciona (quem não ficaria?) mas quando se tem um corpaço destes, é um crime escondê-lo por trás de um vestido que não é cingido, nem fluido, nem deixa de o ser. Mulheres com figura de ampulheta não devem permitir que o tecido se afaste demasiado do corpo, pelo menos na parte superior. Da cintura para baixo, ou justo ou balão, mas nunca o meio termo nem tecidos que caiam ao acaso, agarrando-se às coxas em vez de assentar nas ancas. A altura do decote também não é lisonjeira para um busto tão generoso, além de encurtar o pescoço -  e no todo, parecia que a fatiota era demasiado grande para ela. A cinturinha desapareceu no meio de tanta informação, brilhos e aplicações. Modelos deste e deste género são o que lhe fica bem e há que não os perder de vista...Por fim, o styling: Salma não é o tipo de mulher a quem caia bem o cabelo despenteado. Solto sim, ou um apanhado suave, mas sempre com madeixas brilhantes e bem modeladas. E uma dica para as morenas: quem tem um tom bronzeado precisa de ter atenção à maquilhagem e à luminosidade da pele, para não passar de um dourado bonito a um tom macilento que apaga os traços.

Marica Pellegrinelli escolheu um Emilio Pucci simples e eficaz. Com um rosto daqueles, podia vestir um balandrau qualquer e continuar linda.



Alors, o grupo português.  Victoria Guerra foi muito elogiada na imprensa internacional e com justiça, principalmente no que se refere ao Carolina Herrera de veludo. Quando na dúvida, há que optar pelo clássico, e o modelo, num tecido que regressa à ribalta nesta temporada, é uma aposta formosa e segura. O vestido solto Hoss não é o meu estilo preferido, mas funcionou muito bem.

Na "comitiva" todas estiveram à altura do papel, não há defeito a colocar. Mas tive pena que Soraia Chaves não tirasse mais partido da sua star quality. Compreendo que queira realçar as suas capacidades como actriz, que esteja cansada da aura de sex symbol, mas quando se tem uma beleza capaz de deixar Veneza a seus pés e de ombrear com as estrelas internacionais... é um desperdício limitar-se ao brilho discreto de uma pérola. Não digo que não optasse por um modelo clássico - que aliás, vai bem com o seu tipo Old Hollywood - mas talvez fosse boa ideia fazer um upgrade nos looks tradicionais e descontraídos com que se tem apresentado. É jovem e linda como Ava Gardner - há que roubar os holofotes sem perder a classe. O Alves/Gonçalves bourdeaux é bonito, mas mulheres com curvas e ombros bem modelados não beneficiam de decotes a direito, principalmente quando são altas. Uma abertura à barco ou portrait acrescentaria o va-va-voom necessário. O mesmo para o azul Malene Birger, que lhe escondeu demasiado as formas.E para quê dissimular as madeixas negras? 


 Os rapazes, esses, estiveram fantásticos e como peixe na água. Em geral, aliás, os homens portaram-se muito bem. Atente-se no outfit de Jude Law. Sou suspeita, porque adoro ver um homem de colete. Acrescenta um glamour à moda antiga e desperta sempre curiosidade ver um cavalheiro tão composto...
 











9 comments:

Jedi Master Atomic said...

Não percebi se é suposto eu comentar este post ou deixo apenas para pessoas sérias...loooool

Imperatriz Sissi said...

O mestre esteja à vontade, mas não sei se um Jedi, que passa a vida com a mesma bela fatiota, estará muito informado para criticar roupa feminina, ou mesmo coletes de cavalheiro :p

Jedi Master Atomic said...

A mesma???? Olha lá, tu achas que eles não têm lavandarias onde metem os robes? :P

A Bomboca Mais Gostosa said...

Concordo em pleno com a tua análise :)
Realmente é uma pena a Soraia, linda como é, não se ter vestido para matar.

Imperatriz Sissi said...

Por acaso achava que usavam os poderes atómicos e fenomenais para lavar e passar a roupa a ferro...but it´s ll good, I guess ;) de qualquer modo os Jedi são como as freiras, não têm de pensar muito no look de cada dia e estão sempre bem vestidos. Mas a tua opinião é bem vinda, claro.

Imperatriz Sissi said...

Espero que haja outra oportunidade! podia ter arrasado Veneza!

Jedi Master Atomic said...

"os Jedi são como as freiras"

Por momento pensei que ias fazer uma piada sexual :P

Imperatriz Sissi said...

LOL, não sei nadinha sobre a vida privada deles! Mas tu que estás "no convento e sabes o que vai lá dentro" se conheces alguns detalhes picantes do Liam Neeson, sou toda ouvidos :D

Imperatriz Sissi said...

(De modo que uma senhora possa ler sem corar, bem entendido).

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...