Recomenda-se:

Netscope

Monday, November 12, 2012

O caso Sparky...

                                   
 ...como os casos de tantos Sparkies por este país fora, corta-me o coração. Acredito na máxima de Ghandi " a grandeza e progresso de um país podem ser medidos pela maneira como trata seus animais" e infelizmente nesse quesito, como noutros, temos um país de brutos e de selvagens. Podemos arvorar-nos em muito modernos, muito evoluídos, muito "urbanos" e  todos os modismos estrangeiros: a essência do pé descalço que vê no animal apenas a sua utilidade continua, infelizmente, bem viva (sem ofensa à boa gente "do campo" que tratava e trata bem os seus animais, pois pessoas boas e ruins há-as em toda a parte...).  Trauma, reflexo de um povo habituado a uma vida dura e brutal, pouco dado a essas subtilezas que compõem uma sociedade civilizada, as desculpas são muitas mas nenhuma é boa. Enquanto não se legislar devidamente, não se criarem punições bem duras para quem se atreve a fazer coisas destas a um ser inocente e indefeso, enquanto os brutos não sentirem o peso das suas acções na liberdade e no bolso, a sociedade portuguesa, como um todo, não encarará os animais como importantes e não os vai perceber como seres vivos que sentem, amam e sofrem. Estas questões deviam estar tratadas há muito, mas como os animais não votam vai-se adiando e varrendo para debaixo do tapete. Quem pugna pelos seus direitos e doa o seu tempo ou dinheiro para estas causas é mesmo, por vezes, visto como um excêntrico - simpático e bem intencionado, mas ainda assim um excêntrico que não se dedica a "problemas urgentes e sérios". Um país que não trata bem os seus elementos mais vulneráveis é um país despido de bondade e humanidade; um país que não pode, de modo algum, cuidar bem das pessoas. Espero que este incidente lamentável ajude os portugueses a abrir os olhos e a ver estas questões doutra maneira. A onda de solidariedade e indignação que despertou é um grande sinal de esperança: pode haver selvagens, mas também temos muita gente decente e de bom coração. Entretanto, urge ajudar o Sparky: todas as informações estão na sua página de Facebook:

"O Sparky está a recuperar lentamente. Hoje encontrei-o de novo na ala de UCI, porque levaram-no ao Bloco para remover algum tecido morto, e foram colocados drenos, e suturadas algumas das feridas (...) o Sparky tem feridas profundas pelo corpo, e esse é o principal problema que o impede de ter alta. As feridas exigem tratamento diário e diferenciado. Além disso, em casa jamais haveria condições para fazer um controlo efectivo da dor do Sparky, que não tem posição sequer para se deitar. Assim, está medicado quer com antibiótico, quer com Morfina. Tem-se alimentado bem, tem mantido uma evolução favorável, mas o risco de sepsis ainda não pode ser excluído. Não sabemos quanto tempo irá ficar internado, nem de que tratamentos irá necessitar posteriormente.  Caso os donativos superem o valor das despesas com o Sparky, estamos ainda a ponderar qual o seu destino, mas certamente será uma causa animal. Posso garantir-vos que ao vosso contributo, será adicionado o meu próprio donativo. Assim, agradeço-vos por todos os donativos feitos até então, e a seu tempo pretendo documentar nesta página os nomes de todos aqueles que são responsáveis por este Final Feliz.
OBRIGADA!!!!"

5 comments:

Gata said...

Eu compreendo o que queres dizer, mas olha que há muito menino bem e dondocas urbanas a tratarem mal os animais. Ainda há tempos uma amiga minha foi buscar uma ninhada de gatos a um jardim de uma casa toda chique, e a cretina da dona da casa horrorizou-se: "vai tocar neles com a mão?!"...
Beijinhos, boa semana!

Imperatriz Sissi said...

Concordo completamente, Gata...usei "urbano" (entre aspas) porque é um termo que agora está muito em voga e se emprega como sinónimo de sofisticação (como se o campo ou a "província" fosse sinónimos do contrário...modismos!). A parolice, grosseria e falta de humanidade moram em todo o tipo de endereços...Beijinho, boa semana ;)

Tamborim Zim said...

Muito bem Sissi! Um caso revoltante, e um bom sinal de solidariedade sim. E urge colaborarmos p alterar o estatuto jurídico dos animais, votando no movimento com essa petição feito por Paulo Borges, no portal do Governo! P q deixem de ser considerados coisas. Beijinhos.

menina lamparina said...

Eu não compreendo estas coisas. Juro que não. Acho que é preciso ser demasiado mau e cruel para maltratar outro ser vivo assim... só podem ser pessoas doentes. Não tenho palavras, só lágrimas.

*C*inderela said...

Dá vontade de fazer o mesmo ao homem para ver se já achava piada. Essa gente mete-me nojo.

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...