Recomenda-se:

Netscope

Tuesday, December 4, 2012

Vogue Itália: controvérsia

                                         

Num movimento ousado, a lembrar os bons velhos tempos, a Vogue Italia colocou a curvilínea, bastante comercial e glamour model Kate Upton na capa da edição de Novembro. Kate Upton foi chamada por alguns "a supermodelo dos social media". A sua ascensão à fama foi algo duvidosa  - acendeu o rastilho da sua carreira de modelo ao colocar no Youtube um vídeo que se tornou viral, no qual fazia "saltitar" os seus atributos enquanto demonstrava uma dança tonta. Com algumas capas das GQs e Sports Illustrated da vida debaixo do cinto (um estigma arriscado para quem tenciona trabalhar no meio high fashion) e uma nega da directora de casting da Victoria´s Secret para participar no desfile - colocaram-no no catálogo mas não a quiseram na passerelle, alegando o seu ar vulgar de "mulher de jogador da bola" com uma cara que "qualquer um com algum dinheiro podia comprar" - a menina parece, no entanto, estar a conseguir o melhor dos dois mundos e fazer a ponte entre o comercial e o círculo mais restrito da indústria de moda. Desconheço se a Vogue italiana se rendeu ao mediatismo de Kate, ao seu carisma, à sua beleza de pin up, ao sex appeal algo estereotipado, que arrasta milhares de admiradores por este planeta fora (afinal, a sensualidade vende e os consumidores masculinos têm uma palavra a  dizer) ou se tudo é uma consequência da tendência das curvas. Mas o facto de não se importar de vestir um biquini algo ordinareco num dia e couture no outro, misturando sem problemas a imagem da banal bombshell com a da top model sofisticada conferem-lhe decerto algum diferencial. As reacções à capa fotografada por Steven Meisel  (uma miscelânea das supermodelos dos anos 80, das pin up dos anos 50 e da tendência noir desta estação) foram diversificadas. De "foleira" e "barata" a "genial" e "avant garde" ouviu-se de tudo. (A edição mostra também outro fantástico trabalho, este de Mario Sorrenti, dedicado ao glam gótico, num cenário bucólico e campestre: ver abaixo).
Não consigo decidir se gosto ou não de Kate Upton, mas há qualquer coisa nela. E numa altura em que as publicações de moda pareciam perder terreno para outros meios de comunicação, é refrescante ver que algum arrojo, e o lançamento de debates e ideias, continuam a pertencer-lhes. Um mito é um mito, e old habits die hard...





                           






9 comments:

dinona said...

Daquilo que pesquisei da rapariga no google é uma bela moça sim senhora. Gostava que o mundo da moda tivesse modelos como ela, daquelas que "sim senhor, esta roupita cai ali que nem uma maravilha"
Realmente tem um ar de fácil... mas olha, se ela conseguir com que o mundo da moda comece a optar por mulheres mais curvilíneas já é muito bom!

Fashionista said...

AMEI as fotos glam gótico!

A Bomboca Mais Gostosa said...

Eu acho-a bem gira. É verdade que não ter um ar muito fora do normal, mas é bonita.

Imperatriz Sissi said...

Dinona, o link que deixei no texto tem imagens detalhadas e um artigo sobre a carreira dela (já tem uns meses, é anterior a esta campanha da Vogue). Apesar desse ar que faz em algumas imagens, acho que ela tem uma certa versatilidade. Quanto às curvas estou de acordo, a única coisa que aponto (e que mais gente tem criticado nela)é a cintura pouco definida, o que é pena numa mulher do tipo dela. De resto, com o fotógrafo/director certo acho que ela faz o tipo Karen Mulder, e é bom ver esse glamour de volta.

Imperatriz Sissi said...

Fa-bu-lo-sas :) as roupas, o ambiente e o ceário. Já tinha saudades de ver editoriais desses.

Imperatriz Sissi said...

Acho que é mais o visual que tinha antes que lhe dava um ar comercial. Apesar da cara de pi up, com aquelas maças do rosto altas ma fofinhas e olhos rasgados, com a maquilhagem certa até não fica tão "normal" como isso.

Imperatriz Sissi said...

pin up, aliás

lena said...

Achei as fotos lindas e criativas.
beijinhos grandes.

LookLuisa said...

O trabalho de Mario Sorrenti está fantástico! É como se as modelos fizessem parte do ambiente natural que as rodeia.

Quanto à Kate Upton fico ansiosamente à espera dos próximos episódios. Mas gosto da atitude daqueles que, não tendo a graça ou oportunidade, arregaçam as mangas e vão à luta. Só por isso, já tenho alguma simpatia. A História encarregar-se-á de mostrar quem deve prevalecer.

http://lookluisa.blogspot.pt

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...