Recomenda-se:

Netscope

Friday, February 10, 2012

Momento estranho - Celtas, mas pouco



Há pouco estava muito tranquila a ler sobre os celtas e lusitanos, com intenções de preparar um post aqui para o estaminé. Eis que toca o telefone e recebo uma mensagem:

HOJE NO LUSITANO, GRANDE FESTA - BAILE COM OS CELTAS.

Note-se que o Lusitano é uma discoteca na Zona Centro que em nada se parece com um castro, cujos frequentadores não se chamam Boudicca, Vercingetorix nem Viriato e que Os Celtas são um grupo de baile que não toca música irlandesa nem nada semelhante (se assim fosse estava lá batida, era limpinho).
 Mas quais são as probabilidades?

Wednesday, February 8, 2012

Decida-se, tio Karl



Karl Lagerfeld declarou que a cantora Adele é muito bonita, mas um bocado gorda. São opiniões de profissional de moda e de alguém que se tornou mais papista que o Papa desde que emagreceu 40 quilos. Herr Lagerfeld pode não ser o cúmulo do cavalheirismo mas é genial no seu trabalho. O que me faz erguer sobrancelhas é a falta de coerência que tem vindo a demonstrar. Primeiro resmungou que a sua colecção da H&M era só para tamanhos pequenos; logo a seguir atirou que Heidi Klum estava gorda demais para a passerelle. Pouco depois desatou a vestir Beth Ditto (que não só é o dobro da Adele como é uma rapariga sensata: disse em público não saber que bicho tinha mordido ao designer para fazer dela musa inspiradora e que devia tratar-se de um capricho passageiro).
Está visto que o tio Karl não gosta de meios termos: ou pesos pluma ou raparigas MESMO rechonchudas.

Tuesday, February 7, 2012

A elegância impossível


Gwyneth Paltrow é um dos meus ícones de estilo: aquela criatura de belo porte, imaculada, asséptica, com ar de princesa e uma calma transcendente. Sempre serena, sempre compostinha. Tem uma qualidade rara que ultrapassa a distinção e a elegância: nunca se ruboriza, jamais se despenteia nem amarrota, nunca é trapalhona. Por mais calor que faça a pele nunca precisa de mata-brilhos, as mãos nunca se encardem, não parte uma unha. Pode arrastar-se de um monte abaixo e cair numa poça de lama sem se sujar (quando muito mancha as galochas, mas até isso lhe cai bem).
Há muitas senhoras bem nascidas, educadíssimas, com beleza natural e extremo bom gosto que não possuem este dom inato e subtil. O berço facilita muito (eu diria que é dificílimo ser assim sem ajuda da genética e do meio) mas isto é algo intangível, mais complicado do que ter uma postura perfeita, usar branco sem uma nódoa que seja e outros básicos da graça feminina. Gwyneth é um cisne, goste-se ou não do género. A avó Celestina tinha um estribilho que usava para descrever o seu tipo; senhoras ou raparigas muito distintas, muito perfeitinhas, que têm sempre um ar racé e fabuloso sem esforço: é como a mulher do Senhor Popô, passou pela água e não se molhou.
A foto acima comprova-o: vejam a marota no mar. Impossível!

Monday, February 6, 2012

I got the moves like Jagger


O frio quase me fez desistir de marcar presença na Festa da M80,  mas a minha melhor amiga tanto fez beicinho e olhos de Bambi que acabei por me encher de coragem. Considerando que na noite de Coimbra se vê um pouco de tudo, com muita gente a optar por um visual informal demais (dress code, anyone? Mais imaginação, meninos) e que o ar gélido não convidava a grandes aventuras, pensei num look boho.
Quis juntar elementos dos anos 70 e 80, a condizer com o espírito da festa. Há dias que me andava a apetecer tirar do arquivo o casaco de peles da mãe. Nos anos 80, ela usava-o imensas vezes, tanto com vestidos como com skinny jeans e botas. Nem de propósito, esta semana dois blogues de moda mencionaram casacos iguaizinhos...e havia o frio, claro.


Aproveitei para dar uso às botas que o senhor pai me ofereceu no Natal. Por estranho que pareça, as botas longas com atacadores não são difíceis de coordenar. São mais versáteis do que aparentam. Juntei-lhes umas calças cigarrete de bom corte e uma blusa estilo alfaiataria, com elementos Belle Epoque ( colarinho e mangas) e século XVIII (os folhos) - detalhes que estiveram presentes no visual de bandas dos anos 80, como os Alphaville. Mas já vi quem as combinasse de formas mais inesperadas (com vestidos algo elaborados, por exemplo) e conseguisse resultados muito interessantes.  Rematei com uma carteira rígida dos anos 70 e luvas longas de camurça, cinzentas. Por fim, um grande cachecol. Não levei chapéu nem gorro -achei que era demasiada informação-  mas as minhas orelhas bem se lamentaram.

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...