Recomenda-se:

Netscope

Friday, August 10, 2012

Considerações da silly season

Stavros Niarchos e Paris Hilton
1- Com acesso limitado à internet, mal tenho tido oportunidade de ler os vossos posts nem de responder aos comentários queridos e e-mails que recebo. Também sinto falta de escrever posts ajuizados e com mais conteúdo... ambas as coisas seguem dentro de dias, cross my heart!

2 - Tem havido estranhas coincidências e coisas disparatadas a envolver ovos. Go figure. Só a mim.

3 - Ay amor, es una tortura...vir de férias com uma pessoa adorável que é mais papista que o Papa (ou seja, eu) no que respeita a fugir às horas de maior calor. Certo que estamos em alerta rojo e que eu preciso de ser extra cuidadosa com isso, mas... hei-de ficar fechada às horas do quentinho e chapinhar quando começa a arrefecer, para ficar toda arrepiada? No me gusta! Juro que antes das três só queria dar um mergulhinho rápido e voltar para debaixo do chapéu!

Serei só eu….


Que tenho a mania de sublinhar e riscar as revistas de moda? As edições mais importantes estão sempre cheias de marcas, listas e notas. Costumo marcar os looks ou artigos de que gosto e nas páginas de publicidade, apontar as peças que já tenho (e as que me faltam) para interpretar os diferentes visuais ou tendências. Uma publicação muito gira que encontrei hoje é a Cuore Stilo – edição especial, A4, da revista homónima, com os costumeiros “looks de celebridade” nas versões originais e low cost. Interessante, gira de ler e muito bem organizada. E mais que tudo, a dar-me uma inveja danada das espanholas. Porque é que nós não temos Dorothy Perkins – que tem SEMPRE vestidos amorosos – Miss Selfridge e Top Shop, para não falar dos pontos de venda griffé porta sim porta sim, mmmm? É para nos obrigar a encomendar online ou para termos uma desculpa para dar uma saltada ao outro lado da fronteira e trazer coisas que não há em Portugal, não é? Bem me parecia.

Get the dress

Se este vestido da H&M assentar tão bem como parece e o material for decente, acho que me atiro. Parece uma tangerininha!

Thursday, August 9, 2012

E ontem foi assim...

Muito calor, muito passeio por praças batidas do sol, em terras de touros e sevilhanas. Os cavalos andaluzes são um espanto. E os trajes de flamenca, vistos de perto, dão vontade de ter um! Sempre os achei demasiado espampanantes, mas...que femininos, que elegantes, que perfeitos que são! Qualquer mulher se deve sentir guapa com aquelas lindas mangas, as cinturas vincadas e os decotes arredondados. O pior é... que ia eu fazer com tal fatiota? No entanto, não digo que não me passe pela ideia encomendar um vestido com inspiração de salero...
 Como é meu costume, aproveitei para visitar todas as ermidas e capelinhas que encontro. As imagens são tão bonitas que acordam a devoção à mais empedernida das almas. Achei curiosíssima esta representação de Jesus sobre um burrinho. É muito agradável ver um povo que não esquece a sua fé nem as suas tradições, por muito citadino que se torne e por mais feios que os tempos andem...

Tudo isto me recorda o poema de Júlio Dinis:

Ai, quem me dera em Sevilha,
 Onde a travessa espanhola 
Sob a elegante mantilha 
As negras trancas enrola...

Wednesday, August 8, 2012

Que linda carteira…falsa


Muitas carteiras contrafeitas vejo eu por aqui! Não há paseo nem praia onde não haja vendedores africanos carregadinhos de cópias coloridas e mais ou menos fiéis de modelos de McQueen, Gucci, Chanel e outras que tais, com alegre clientela e polícia a fazer vista grossa. E isto é mesmo verdade, já que vi muitos agentes rua fora a avisar quem passava “feche bem o seu saco que isto está cheio de carteiristas!”. Logo, não é por falta de “forças da autoridade” que este comércio floresce. O seu êxito é especialmente estranho com um El Corte Inglés a cada esquina. Ultrapassa-me como é que alguém se sujeita a fazer conscientemente figuras dessas: se é tão importante ostentar uma marca visível (porque obviamente, quem compra fakes não está preocupada com a qualidade associada à griffe, só mesmo com falsas aparências) mesmo não tendo meios para tal, porque não juntar dinheiro para ter um original…ou recorrer ao crédito? O “luxo” é cada vez menos exclusivo numa época em que está relativamente acessível a toda a gente. Depois, se as clutchs ou sacos fossem simples inspirações, sem etiqueta, não havia problema: eram apenas carteiras baratas e engraçadotas, que não faziam mal a ninguém. Afinal, as marcas acessíveis baseiam-se nos designs das grandes casas e barato por barato, ao menos era honesto. E se querem torrar dinheiro por estas bandas não faltam sítios – das lojas de departamento às pequenas boutiques há coisas lindas para todas as bolsas e preferências.
Ignorância, vontade de se exibir, tonteria pura ou ausência de gosto? You tell me...

Monday, August 6, 2012

You go, Michael Phelps!






É impossível não ceder a um certo entusiasmo com os Jogos Olímpicos. Dá que pensar na forma como o nosso país trata outros desportos que não o futebol. Não seria de investir verdadeiramente nos nossos atletas? É que me parece que Michael Phelps - um vencedor nato, mas bem comportado, discreto, disciplinado e com o maior ar de bom rapaz - é muito melhor exemplo para as crianças do que certos jogadores da bola doidivanas e incultos. Just my two cents here.

Estou a fazer-me uma preguiçosa de marca maior



Com a praia a poucos metros, a piscina ao lado e tudo quanto é loja e restaurante a poucos passos, num ambiente muito recolhido e familiar, é quase um desafio criar toilettes que não caiam no género pijama. Flats dourados,  vestidinhos de algodão, saídas de praia e o resto, que trouxe por uma questão de princípio, só tem visto a rua em ocasiões especiais. Os bb Cream e o sunblock com cor são os meus melhores companheiros e para minha admiração, tenho-me divertido a coordenar bikinis. Costumo ser bastante purista nessas coisas e poucas vezes comprei partes separadas. Ora, sucede que com a roupa de banho, como noutras coisas, tenho a mania de a trazer para casa “por atacado” quando encontro modelos bonitos. Resultado: havia muitos bikinis e bañadores guardados nas respectivas caixinhas, que comprei por lhes achar graça, mas que tinham um formato algo pin up para o meu gosto habitual (sou uma grande fã do modelo "cortininha" estilo anos 70). Surprise, surprise, eis que este ano os tops estruturados como os da imagem ficaram na berra e eu andava com vontade de ter um...sem me lembrar que já os havia na arca dos bikinis. Como alguns  trazem partes de baixo um pouco elaboradas, entretive-me a fazer umas misturas. É caso para dizer, nunca digas nunca...
 Agora uma coisa que não entendo mesmo é a quantidade de bons hotéis -em Portugal e fora - com complicações no acesso à internet. Ele é assinaturas com cartão de crédito, ele é não haver wireless em lado nenhum, é uma chatice e eis que vos escrevo de uma esplanada frente ao mar. Não é tão divertido como possa parecer, porque não têm tomadas. Quem é que não tem tomadas hoje em dia? E quem me mandou comprar um mamarracho de uma engenhoca que dá para ir a Marte em vez de um laptop leve com horas e horas de autonomia? Está visto, na minha wishlist tem de constar um tablet ou coisa que o valha. O pior é a minha resistência a aparelhinhos desconhecidos...
 Outra coisa que me surpreende nesta zona é a quantidade de crianças obesas. Eu até sou pouco a favor de leite com chocolate diet para os pequenos, e outros exageros assim, mas tudo tem limites. Aquilo devem ser churros com paella a todas as refeições: pequenitas gigantescas com bikinis minúsculos...e quando crescem parecem umas valquírias. Nada saudável, e estranho numa cidade de praia.
Redondezas alheias à parte, já estou contente porque encontrei, por um preço escandalosamente simpático, dois sheath dresses que andava a procurar há séculos e que em Portugal não achava por dinheiro nenhum. Decote portrait, super bem modelados e cortados, um amor. As meninas que procuram um modelo semelhante às Isabel Marant também iam ficar satisfeitas, mas o leque de cores não me seduziu: ténis desses, para mim, só escuros e discretos. Mas o que me encantou mesmo foi uma drogaria com tudo - de shampoos a vitaminas - ao preço da chuva. Ainda não é caso para pôr em causa o meu amor pela independência, mas cada vez que passo a fronteira tendo a ganhar um certo orgulho em ser aparentada com espanhóis. E esta?

Get the look

                                               

Vanessa Paradis, de Chanel.  Good gracious, as combinações a que um casaquinho de tweed se presta. Juro que já  vi coordenados semelhantes com uma saia lápis de couro macio, em vez desta com efeito entrançado, e ficava igualmente fantástico.


Sunday, August 5, 2012

Watch the spanish ladies



                                  
A qualidade das publicações de moda espanholas agrada-me tanto como o ar racé de nuestras hermanas. Sejamos honestas - as celebridades das terras de Espanha têm uma allure internacional que poucas das suas contrapartes lusas possuem. Não sei se é exigência, tradição, refinamento, esforço ou uma mistura disso tudo. A Elle España deste mês trouxe consigo um “it book” muito giro que estou a consumir deliciada, o tipo de edição que gosto de guardar e que contém toneladas de informação válida para uns bons meses. Já há algum tempo que não via nada parecido e vai com certeza ser uma estupenda fonte de inspiração.  Nele figura, num editorial de oito páginas, a guapíssima portuguesa Sara Sampaio, entre artigos sobre it girls e vultos como Karl Lagerfeld. Oh la la, that´s my cup of tea.

Sorte, mas mesmo sorte

A mini alforreca numa piscina de cristal
É o primeiro dia de férias ser ventoso e a praia estar coberta de alforrecas. Até se trouxe uma para junto da piscina, e cantaram-se-lhe odes com a melodia daquela canção Anda comigo ver os aviões. Mas numa versão muito mais gira. Estais avisados: Anda comigo ver as alforrecas vai ser o próximo hit de Verão.

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...