Recomenda-se:

Netscope

Wednesday, February 20, 2013

A tua cara não me é estranha? Estou chocada, isso sim!

                                       
                                               
Anda uma pessoa arredada de tudo quanto é televisão, ou revista da dita cuja, e quando volta a pegar numa percebe que de facto, quanto mais longe melhor. Estava eu na fila do supermercado quando vejo uma cara familiar e amiga, acompanhada de títulos muito pouco simpáticos. Nada que me surpreendesse, já que ultimamente esta é a regra; mas por mais exemplos que me ponham à frente, não aceito que a propósito de um formato que goste-se ou não dele, é perfeitamente inofensivo - quem participa vai lá para cantar e não para expor a sua vida privada - se publiquem conteúdos ao nível do pior dos reality shows. Tal como a Inês Santos (que se estreou um pouco antes de mim nas inocentes andanças musicais daquela altura) sou do tempo em que o cúmulo da invasão era perguntar "tem namorado?" ou coisa assim. E eu era tão piquena que até dessa me livrei ... o que não aconteceria agora, já que até a crianças de dez, doze anos que tiveram a infelicidade de entrar num programa musical qualquer aqui há uns tempos os caros jornalistas se lembraram de atribuir namoros. Um escândalo. Enfim, abri a revista porque conhecendo minimamente a Inês e o seu background, não a estava a ver a alimentar tais circos. E de facto, nem precisou...o mais caricato é que até uma questão clínica perfeitamente corriqueira que ocorreu na sua família há uma série de anos serviu à revista para gritar, em letras encarnadas "A cantora SOFREU!!!" ("dor" , "miséria" e "sofrer", em frases quanto mais pirosas melhor, são as expressões favoritas destes folhetins...). É extraordinário o trabalho de Inspector Colombo a que se dão para compor uma capa que cheire a tragédia a partir das coisas mais normais do mundo. A tia que sofre de reumático, a casa que teve uma inundação, uma dívida insignificante ao IRS, a avó que teve um badagaio aos 99 anos, o namorado bem relacionado (ou mal relacionado) enfim, coisas que só a cada um dizem respeito, bem cozinhadas, apimentadas a trouxe-mouxe e bem investigadas junto de vizinhos abelhudos ou conhecidos de imparcialidade duvidosa servem para compor uma autêntica ária da calúnia....ou desculpem, antes que me processem a mim, se não é calúnia é licença poética, ou liberdade criativa, ou um não deixa de ser verdade complicado de enquadrar legalmente. Cada um tem os seus sonhos, as suas necessidades e o seu poder de encaixe. Eu, que sou uma rapariga à moda antiga, digo que por muito engraçado que possa ser o programa, por muita vontade de cantar que haja, é preciso ter estômago para aguentar devassas destas. Porque uma revista não desaparece simplesmente nos dias de hoje, e haja falso testemunho que não haja, é sempre desagradável. Ao menos que o mediatismo, bom ou mau, valha a pena para quem luta por uma carreira. Mas ainda não há muito tempo havia outra classe. E outro respeito. Soa ao tempo da Outra Senhora? Temos pena.

12 comments:

Sara Silva said...

essas capas fazem-me sempre rir porque, não sei se já reparaste, praticamente toda a gente que aparece na televisão, tem uma vida, supostamente escondida, cheia de tragédias e vergonhas. parece um padrão: só te tornas famosa se tiveres um passado negro, ahahah
enfim, as/os coitadas/os que aparecem nas capas é que não devem ter grande vontade de rir...

Imperatriz Sissi said...

e não tiver, eles inventam num ápice! Era o que faltava aparecer porque canta bem...

Imperatriz Sissi said...

Se não tiver, aliás!

Pusinko said...

O jornalixo tem ganho muito terreno nos media.
Infelizmente, a tendência é continuar a expandir-se e gastar rios de tinta com quem quer que se ponha a jeito. À Inês Santos bastou aparecer na tv de novo para alguém se lembrar de vasculhar a esfera privada de quem há anos se resguarda dos escaparates cor de rosa. Ninguém se lembrou de fazer um ponto de situação profissional / projectos em que trabalhou... o escândalo vende melhor.

Rosa Cueca said...

O meu primo chegou a trabalhar com a Inês depois de ela ganhar e de tudo o que me fala dela, não acredito minimamente nestas caldeiradas sociais.

Jedi Master Atomic said...

Penso que essa Inês foi a que apareceu num chuva de Estrelas a imitar a Sinead O'Connor, não foi?
Quando a vi pela 1ª vez na TV tive uma grande paixão por ela....looooool

Bárbara Marques said...

Enfim não vale mesmo a pena, hoje em dia a televisão e as revistam só vendem estes escândalos, é isso que as pessoas querem ler (pelo menos a maior parte, infelizmente), por isso vale tudo, mentiras, fotoshop, o que for, independentemente se é ou não verdade...

Bárbara Marques said...

Enfim, não vale mesmo a pena seguir as revistas, como dizes. Hoje em dia a televisão e as revistas só vendem escândalos, é isso que a maior parte das pessoas quer. Vale tudo, mentiras fotoshop, o que for, sem dó nem piedade...

Sara Silva said...

sim, infelizmente tudo serve para vender

lena said...

As revistas aproveitam tudo para tentar vender. Gosto muito da Inês Santos tem uma voz linda e encantou-me quando participou no chuva de estrelas. Teve uma grande coragem para rapar o cabelo.
Beijinhos grandes.

Vasco Alexandre Vilao said...

Uma vergonha de jornalismo, Jessi!

Vasco Alexandre Vilao said...

Uma vergonha de jornalismo, Jessi!

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...