Recomenda-se:

Netscope

Sunday, February 17, 2013

As coisas que eu ouço: amor à primeira vista

Uma senhora das minhas relações, mãe de uma pequena dos seus três ou quatro anos, foi pedida em casamento por um óptimo rapaz. Deram-se muito bem e o marido tratava a filha dela como sua, com todo o carinho. Isso incluía, por vezes, discipliná-la, já que tinha sido muito mimada e estava habituada a rodear-se de condescendências. Ora, certo dia em que a garota fez uma birra monumental, daquelas de deitar a casa abaixo, o padrasto mandou-a para o quarto, a ver se se acalmava e parava com a gritaria. Ela, claro, não gostou. E achando-se ciosa da sua justiça, desatou a chorar lá de dentro:

- Ó Mãe! Mas porque é que te casaste com este homem? Foi mesmo amor à primeira vista!!!

O que não era bem o caso, mas há que concordar que por vezes o amor à primeira vista tem as suas exigências e os seus ajustes ...

7 comments:

Sérgio Saraiva said...

O que fazer nestas situações: simples, ignorar a criança para que ela perceba que a "chantagem" que está a fazer não dá resultado. Todas as crianças de uma ou de outra forma fazem este tipo de birras para "testar" os adultos.

Sara Silva said...

há relações em que, devido à falta de juízo da mãe, a criança é que sofre, ao ver-se, do nada, obrigada a conviver com um estranho do qual a sua mãe conhece pouco mais que ela.

falo, por exemplo, de um caso que conheço, de uma mulher que, por razões que ela lá sabe, tem queda fácil para homens. e mal vê que eles lhe dão saída, agarra-se a eles com rápidas expectativas de construir uma nova vida a seu lado. e a criança sofre, porque quando dá por si já teve mais de 5 "pais" em toda a sua vida, e é claro que, com um exemplo destes, a aceitação de educação por parte deles é nula.

LookLuisa said...

Que rapariga tão esperta...já compreende as vicissitudes por que os amores à primeira vista passam :D

Imperatriz Sissi said...

Foi o que ele fez, mas a pequenita chegou para ele..
Sim, eu concordo que em privado se devam ignorar as birras. Em público há que afastar a criança para longe das outras pessoas e ignorar a birra lá fora, sem incomodar os outros.

Imperatriz Sissi said...

Esses casos são horrorosos, Sara. Felizmente, este não foi um deles. O casal ainda está junto e o marido foi sempre impecável. A pequena é que era realmente mimada e espevitada...

Imperatriz Sissi said...

Mesmo! Espertíssima e de língua afiada :D

Sara Silva said...

felizmente que assim é! quanto à criança acredito que, com muita paciência e educação, ela lá há-de entrar nos eixos

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...