Recomenda-se:

Netscope

Monday, February 18, 2013

Briseis e Aquiles: "aquela cativa que me tem cativo..."

                   
Ela era uma princesa lindíssima: de longo cabelo escuro, pele de magnólia e sonhadores olhos azuis. Ele era louro e belo, o mais valente dos guerreiros gregos, responsável pelo ataque que causara a devastação da cidade dela e a morte da sua família. Segundo a Ilíada, quando Briseis (ou Briseida) foi oferecida a Aquiles como despojo de guerra, este amou-a no primeiro olhar e prometeu casar com ela logo que regressasse a casa. E apesar de aquele homem ter nas mãos o sangue do seu marido e de todos os seus parentes, de lhe ter roubado a casa, a liberdade e o estatuto, apesar de ser seu dever odiá-lo como inimigo do seu nome e da sua pátria, Briseis também se apaixonou perdidamente: ele tratava-a por sua noiva e sua mulher. Quando o Rei Agamemnon reclamou a jovem para si, Aquiles ficou endoidecido pelo ciúme: fechou-se na tenda e apesar dos gritos de desespero dos seus camaradas, recusou-se a sair para lutar. Só quando o Rei finalmente cedeu, jurando que não tinha tocado na jovem - e depois de, no decurso da birra de Aquiles, o seu melhor amigo ter perdido a vida tentando passar-se por ele para animar a moral das tropas - o herói se ergueu, derrotando o príncipe Heitor, um factor decisivo para a queda de Tróia. E assim, uma guerra que começou por causa de uma mulher (Helena de Esparta) foi decidida por intermédio dos braços de outra. Isto quando ainda havia mulheres por quem valia a pena travar guerras, e homens capazes de se lançar nelas à conta de mulheres...

2 comments:

Urso Misha said...

ainda hoje as há, garantidamente...

josé alex bezerra said...

Troia foi o melhor filme epico que ja vi. Apesar de ser um filme meio ficticio, mostra que naqueles tempos existiam HOMENS DE VERDADE, capazes de lutarem por sua honra ate o fim.

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...