Recomenda-se:

Netscope

Monday, February 11, 2013

Quatro looks a considerar: uma reviravolta nos clássicos

                                     olivia wilde em talbot runhof
Reinventar um formato clássico - ou simplesmente acrescentar-lhe um pormenor novo - é uma das maneiras mais inteligentes de uma mulher variar sem fugir à receita que lhe fica bem. De acordo com o tipo de silhueta de cada uma há um dado número de opções, e dentro dessas é possível incorporar as tendências em termos de cores, materiais, padrões e texturas. Um Pequeno Vestido Preto pode ganhar uma dimensão inteiramente diferente se for pensado em couro com detalhes nude e renda, ao melhor estilo boudoir, como o Talbot Runhof de Olivia Wilde (acima). Juntem-se-lhe peep toes em tons preciosos, outro clássico que neste momento é trendy.
                                crystal renn em zac posen
O coordenado vestido-blazer (como um falso tailleur) é um must have em qualquer armário. Um formato imune a tendências,  que não tem nada que saber e fica sempre bem. Se possível, recomenda-se ter um para situações casual-chic (que possa ser usado no escritório mas uma vez tirado o casaco e acrescentando-se um stiletto, fique lindamente num cocktail) e outro para a noite, como este Zac Posen usado por Crystal Renn. Não adoro o styling, aquele cabelo é para não copiar, mas o brocado escuro e o modelo corseted, a enfatizar a cintura como um espartilho, é uma verdadeira delícia. Uns modestos pumps pretos, uma clutch, e já está.

                                emmy rossum em andrew gn
O vestido Andrew Gn de Emmy Rossum não é tanto um caso de reinventar clássicos, mas de abraçar o revivalismo. É que há tantos bons exemplos no passado que para uma ocasião realmente formal, demasiada originalidade perde pontos em comparação com verdadeira classe e uma pitadinha de retro. O veludo negro e espesso e a combinação branco-negro piscam o olho às tendências, mas este vestido estaria bem em Old Hollywood e está lindamente hoje. Um decote cruzado suave cai maravilhosamente em quem tem ombros bonitos. Unhas no velhinho rouge-noir, brincos de brilhantes e muito bom ar...parece uma princesa.

                               alice englert em elie saab couture
Mas se a ideia é dar um pouco nas vistas e/ou usar algo indubitavelmente rico, podemos recuar mais na história e ir buscar inspiração a épocas realmente divertidas, quando o excesso e a opulência eram de rigueur. O barroco, o rococó, a Renascença...estilos e tempos férteis em inspirações que podem ser adaptadas a formatos mais "vestíveis" sem que se pareça mascarada. O Elie Saab couture de Alice Englert estaria lindamente em casa dos Bórgia ou no Trianon, com os devidos ajustes. Cabelo e makeup naturais (pessoalmente, aconselharia um ar ligeiramente menos grunge) um sapato com aspecto actual (não morro pelo modelo, mas gosto da ideia) e lá vai uma pessoa confortável e arranjadinha.

2 comments:

A Bomboca Mais Gostosa said...

Gostei de todos, sobretudo do 1º :)
Acho-a linda!

Imperatriz Sissi said...

é muito gira e costuma vestir bem. Pena algumas tiradas menos felizes, como já se comentou aqui há tempos...

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...