Recomenda-se:

Netscope

Thursday, March 21, 2013

Ostara, ou antes, Primavera

Thomas Brock, Eve, 1900.
Tempo de renascer. Tempo de sacudir os últimos vestígios de escuridão antes dos Fogos de Beltane, na festa do Maio.  No Equinócio de Primavera os jovens Deus e Deusa descobrem o amor, que aumentará de intensidade nos dois meses seguintes. Surpreendem-se com a beleza um do outro. Beijam-se pela primeira vez, numa aprendizagem lenta de todos os segredos. Abraçam-se pela floresta, dando vida aos animais e às flores. Afrodite nasce da espuma do mar, novamente uma donzela e mais deslumbrante do que nunca, maravilhando Citera. As divindades que desceram aos Infernos regressam cheias de Força e Poder. Toda a Terra está mergulhada numa energia pujante mas suave - reinício e redenção, purificação definitiva, promessa de fertilidade, alcance do verdadeiro Eu. Na Primavera, a Roda do Ano já girou o suficiente para que se deixem cair as máscaras do ego acumuladas ao longo dos doze meses anteriores. Mostramo-nos como realmente somos. Os outros mostram a sua verdadeira face. Ou antes, tornamo-nos quem somos na realidade, pois temos ao alcance os meios para a completa transformação. É uma fase de promessa, de esperança. Mais do que as roupas leves e coloridas - que acompanham a energia sensual, limpa e vibrante que nos rodeia - esse poder deve vir de dentro, e manifestar-se para fora. Porque em Beltane nada poderá restar oculto, é o momento em que os Deuses se unem definitivamente e a Terra pára por segundos para escutar. Ostara é o caminho, e convém que nos preparemos por dentro e por fora. Os visuais de Primavera, as colecções de Primavera-Verão que tanto nos entusiasmam são apenas a ponta do véu. Para ilustrar esta ideia, escolhi a escultura de Eva, que podem ver acima. Mas a energia desta altura o ano terá mais efeito nas mulheres que, como eu, se identificam mais com Lillith: a mulher completa, com domínio sobre si mesma, e que não se deixa enganar. Não é apenas, como Eva, uma mulher bela e frágil -  mas uma Deusa segura de si, que só age com fragilidade se achar utilidade nisso, e que apenas cairá nos braços de um Deus que prove ser digno e mais forte do que ela. Mesmo que seja necessário pisar alguns espinhos para chegar às rosas mais bonitas. Boa Primavera a todos.





3 comments:

Inês Sousa said...

Uma boa Primavera também para si. Como sempre os seus textos são magníficos.

Kaia Kakós said...

Eu também me identifico mais com Lilith, e parece-me que é muito mais digna do nome "mulher". A Eva inventada pelos teólogos é uma sonsa que só faz asneira, e que nem sequer se dá conta do que faz porque é burrinha e naïve e anda ao toque de marioneta do homem...no caso da maçã nem sequer foi a astúcia feminina ou o desejo de se superar que a levou a "pecar", mas a falta de discernimento de quem não raciocina e se deixa levar facilmente. Essa é a imagem que o homem quis fazer perdurar, de que as mulheres não sabem tomar decisões por si sós, que dependem do sexo oposto, e que, quando as tomam assim à sua revelia, dá direito a pecado capital.

Tamborim Zim said...

Feliz Primavera Sissi, quando a Demanda se enche de flores. E q abissalmente bela escultura!

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...