Recomenda-se:

Netscope

Monday, April 15, 2013

Kali vive em todas (e todos) nós

                                   
                                      
No Hinduísmo, Kali - A Negra - é uma das três faces da esposa de Shiva (Parvati, Durga e Kali) e corresponde ao lado obscuro da Deusa presente em várias culturas e mitologias: tal como Ceridwen, Hécate, Perséfone, Lillith e Ereshkigal, entre outras, Kali simboliza a faceta mais instintiva, belicosa, infernal, sombria ou assustadora da Natureza. A morte, a batalha, a dor, a sensualidade e a purificação são atributos associados a estas representações do poder feminino. Com a chegada do Cristianismo, o aspecto misterioso  - mas também mais humano -  da Grande Mãe suavizou-se um pouco, mas não desapareceu: está presente na Mater Dolorosa que assiste impotente, com o coração atravessado por sete espadas, à imolação do Filho pela humanidade. Assim é a Deusa escura: não olha aos riscos, aos sacrifícios nem aos sofrimentos. É a Deusa no seu momento extremo, no esforço derradeiro, mas também na plenitude do seu poder. E tal como todas as divindades acima citadas, Kali, embora associada ao submundo, é vista como a destruidora do mal.  É a deusa que combate o fogo com o fogo, a espada com a espada, a quem se recorre quando todos os outros métodos falharam. Conta a lenda que Shiva e Durga - A Invencível - (a faceta guerreira da sua esposa)  estavam com dificuldades em combater uma horda de demónios. Por mais que os despedaçassem, cada gota de sangue que caía no chão fazia nascer um exército. No auge do desespero e da raiva Durga transformou-se em Kali, e começou uma dança mortal. Cheia do frenesi e da alegria da batalha, a cada volta desbaratava vários, bebendo -lhes o sangue. E assim pôs fim à ameaça. Quando Kali começa a sua dança mortal, fica de tal maneira embriagada que não consegue parar. Não pensa nas consequências. Não abranda um minuto para reflectir no que possa suceder-lhe. É uma força indomável que só cessa quando destrói o inimigo, a confusão ou o mal à sua volta, gerando uma transformação total. 
 Por muito negativos que pareçam os atributos de Kali, eles são necessários para o perfeito equilíbrio. Todas as mulheres - e homens também -  face à necessidade, têm Kali dentro de si. Quando entramos no espírito que se dane, quando damos reviravoltas de 180º que nos surpreendem a nós mesmos, quando enfrentamos os nossos medos e pensamos "como é que eu me atrevi a fazer isto?". Não tenham dúvidas - é Kali a falar mais alto.

No comments:

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...