Recomenda-se:

Netscope

Saturday, June 8, 2013

A Princesa que se casa hoje

                     
Ora, eu tenho muito pouca paciência para acompanhar enlaces reais (ou quaisquer outros) a não ser para espreitar, no final, se as toilettes são bonitas ou feias. Mas o casamento da linda Madalena da Suécia, que deve estar a decorrer já (não estou certa das horas, sou despistada nestas coisas) dá que pensar. Se bem se recordam, ainda não há muito tempo, a menina estava comprometida com outro "cavalheiro" - entre aspas, porque como outros do seu género, o rapazinho não soube viver com o bem que tinha. Em vez de levantar as mãos para o céu por ter a seu lado não só uma namorada linda como uma mulher que lhe era superior numa série de aspectos e de estimar o que a sorte lhe tinha dado, fez o que todos os arrivistas desmiolados fazem: achou-se o máximo. Não lhe bastava estar noivo da princesa e apreciar as coisas boas que daí vinham; não a valorizou por ela gostar dele. Em vez disso, pensou "se a princesa gosta de mim, é porque devo ser o maior. A tola está tão apaixonada por mim que posso abusar". E sem reflectir não só no enorme tiro no pé que ia dar, no sofrimento que ia provocar numa mulher que o amava a pontos de o escolher a ele em vez de optar por alguém mais a condizer consigo e de enfrentar decerto alguma oposição, mas ao menos no escândalo que podia trazer a toda a gente, envolveu-se com uma rapariga insignificante qualquer. Uma atleta sem atractivos, se estou recordada, e que certamente lhe deu atenção não porque ele fosse uma beleza mas por ser noivo de quem era. E os pulhas adoram atenção, nada a fazer. Vergonhaça pública, um desgosto dos grandes, par de patins, e ora adeus. Depois disso, a Princesa Madalena fez o que todas as mulheres deveriam poder fazer numa situação semelhante: apanhou um avião. Novos ares, deixar assentar a poeira e falar quem fala, moving on. Não há nada tão fácil de substituir como um homem idiota. E veja-se: encontrou um irish lad decentíssimo da nobre estirpe dos O´Neill, um homem honesto e bem parecido que deixa o outro a um canto. Ninguém está livre de deixar quem não presta aproximar-se. Felizmente a lei do Universo ainda vai sendo justa, e muitas vezes quem não vale nada faz asneiras e denuncia-se a tempo de evitar males piores - porque os vilões são sempre desastrados. Hoje a Princesa casa-se (diz que o vestido é Valentino, o que me deixa algo curiosa) mas com um noivo adequado. E que fica lindamente no retrato. Nada bate um irlandês, menina. Do us all a favour and live happily ever after.

1 comment:

Unknown said...

Mais bonita que a nova raínha de Espanha é, sem dúvida.Quanto aos atributos morais e/ou sociais, não me pronuncio. Mas Madalena da Suécia possui algo que apenas o berço dá__ e, aí, ultrapassa de longe todas as «Letícias» ... __ o PORTE !

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...