Recomenda-se:

Netscope

Sunday, July 28, 2013

O terrível momento vergonha alheia

Nosso Senhor sentia vergonha alheia pelos fariseus. Hoje, provavelmente...sente por boa parte da humanidade.
                                 
A vergonha alheia é dos sentimentos mais confusos e constrangedores à face da terra. Senti-la exige um grande sentido da dignidade e do pudor, bastante sensibilidade, noção das conveniências e algum poder de observação.  Fui educada para ter o maior respeito pela dignidade de cada um, o que não me dá muito jeito: já dei por mim a corar só porque alguma figura pública estava a fazer, passe o pleonasmo, figuras tristes, num programa de televisão qualquer. Já me sucedeu ficar constrangida por dentro ao ver pessoas com quem antipatizo serem humilhadas (mesmo que o mereçam) ou 
humilharem-se a si próprias. Mas quando é alguém de quem gostamos a fazer figura de urso, o caso é ainda pior. Não sei como vocês reagem à situação, mas eu fico completamente encavacada. Capaz de me sumir pelo chão abaixo.    A ideia  de essa desonra poder eventualmente manchar-me por contágio (afinal, quando um membro da família ou amigo (a) chegado (a) faz figura de urso, a ursice pega-se, pelo menos aos olhos dos outros, pois diz-me com quem andas...) só muito mais tarde me atinge. Antes disso, face à vergonhaça, zás: fico com as faces a escaldar. Incapaz de articular palavra. Em modo eu nem quero ver, isto não está a acontecer, ó terra, engole-me já. Depois, já refeita do susto, nem seria eu se guardasse para mim o que me incomoda, pois acredito que engolir sapos é a causa de muita doença ruim que para aí anda. Uma vez que a pessoa me envergonhou, causando-me má disposição, a sua obrigação é ser castigada ouvindo das boas; e não menos importante, creio que não estaria a ser boa amiga se a deixasse andar por aí a ser ridicularizada sem o benefício de um aviso. É óbvio que lhe dou um respeitoso sermão. Ou lição de moral. De maneira que a missa cantada não seja *demasiado* constrangedora para quem ouve, que de constrangimentos já basta. Mas o que me custa fazer isto? Era muitíssimo escusado, não era? Creio bem que o chá de noção havia de ser vendido nas farmácias, ou distribuído à população por uma questão de saúde pública.

1 comment:

Rainha do Retro said...

Tenho para mim que a vergonha alheia é o pior tipo de vergonha existente...

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...