Recomenda-se:

Netscope

Saturday, October 5, 2013

De risos e rodeios


"What happens when presented with

 circumstance


you cannot laugh or fight your way clear of?"



Há pessoas de tal maneira raras (ou bicho raro, para ser mais justo) que se costuma dizer que "quem as fez partiu o molde". 
 E ainda bem, porque se houvesse muitas o mundo estava pior do que já está. Os exemplos são imensos, mas pessoalmente, tenho dificuldade em
 entender-me com aquelas que brincam demasiado, ou são incapazes de expressar, preto no branco, o que pretendem.

 O sentido de humor e o espírito são das qualidades que mais me cativam, e uma certa aura misteriosa não pode ter mais apelo. Mas há sempre um momento em que é preciso falar a sério, deixar os jogos, o orgulho, os rodeios e as fanfarronadas de lado. Ou simplesmente arriscar dizer claramente o que se deseja, pôr as cartas na mesa e desmistificar as nuances da situação. Nem sempre o quebrar do gelo, ou uma aproximação informal, brincalhona, resolvem seja o que for. Há circunstâncias que são graves e que devem ser tratadas sem contornar, sem andar em círculos, sem abordagens fáceis, sem jogo de cintura, preto no branco. 

 Ir ao dentista é desagradável (por mais modernices que se inventem para tornar a  experiência menos penosa) mas uma vez sanado o problema, o alívio é enorme. Uma casa nunca estará limpa se passarmos a vida a varrer o lixo para debaixo do tapete. 

 Uma situação pendente, uma mágoa guardada, uma confissão por fazer dissimuladas sob camadas de simpatia, de brincadeiras ou de remendos, acabarão mais cedo ou mais tarde por explodir. 
 Tendo sido educada para encarar os problemas de frente em vez de fugir deles e para chamar as coisas pelos nomes, não me é fácil lidar diplomaticamente com meios termos, com áreas cinzentas que só complicam a comunicação. Gosto de rir descansada, depois de ter o problema solucionado de forma permanente - em vez de rir uma vez, sempre a olhar por cima do ombro com medo de uma nova tempestade.
 Muito riso, pouco siso, lá diz o povo. Ou de repente ficou na moda fazer piadas de tudo, arranjar restauros mal feitos para todos os males e ninguém me avisou?
          Mania de tapar o sol com a peneira. Não tem outro nome.

No comments:

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...