Recomenda-se:

Netscope

Friday, October 25, 2013

Look icónico do cinema: Ali McGraw, ou nunca faças ciúmes a um homem poderoso.

                                   
Nunca fui grande fã do clássico de puxar à lágrima Love Story, mas o filme vale a pena pelo figurino preppy de Ali McGraw, que continua  inspirar designers como Tommy Hilfiger ou Michael Kors (reparem nos jeans brancos, tão do agrado do criador). 


 

O mérito foi dos responsáveis de guarda roupa Pearl Somner e Alice Manougian Martin, mas também da própria actriz. Nascida numa família bem de Nova Iorque, educada em bons colégios do Connecticut e Massachussets e mais tarde, assistente de Diana Vreeland na Harper´s Bazaar e stylist na Vogue (não tardando em passar para a frente das câmaras) Ali tinha uma ou das coisas a dizer sobre elegância. Se no filme encarnou como ninguém o estilo eterno associado à Ivy League, com caxemiras, tartans, peles, sedas, casacos e malhas irrepreensíveis, na sua vida privada adoptava um look boho chic que nem sempre agradava aos críticos (em 1971 figurou na Worst Dressed List do jornalista de moda Richard Blackwell) mas que ainda assim, fez escola.
                                     
 


O seu tipo de beleza (grandes olhos expressivos e cabelo liso) fruto de genes escoceses e húngaros, estava em perfeita harmonia com os ideais da nova década: embora fosse praticamente desconhecida, Ali tornou-se numa estrela assim que o blockbuster estreou, em 1970. Era a rapariga certa na altura certa, e com um visual incontornável.





A sua carreira descolou e parecia realmente promissora, não fosse Ali ter casado com o homem que fez dela uma estrela: Robert Evans, produtor da Paramount. A actriz apaixonou-se pelo co-protagonista Steve McQueen e pediu o divórcio...e em troca, o marido desiludido tratou de lhe destruir a carreira: os papéis icónicos que lhe estavam reservados em The Great Gatsby e Chinatown passaram para Mia Farrow e Faye Dunaway, respectivamente. 
 O golpe foi fatal e associado à posterior separação e morte de McQueen, bem como a uma alegada dependência de álcool e a uma intimidade descontrolada, fez com que o percurso de Ali McGraw nunca mais voltasse a ter o mesmo fôlego. 

Tudo bem que deixar o marido para casar com outro não foi bonito, mas há homens muito mesquinhos.

 Ficam as lições de estilo - roupas boas nunca desiludem, nem se voltam contra a utilizadora.



No comments:

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...