Recomenda-se:

Netscope

Sunday, November 3, 2013

Os homens só crescem aos 54? Credo.



You've got yourself a man, a real powerplayer.

Someone who takes charge, has his way with you, doesn't have to ask what you want (...).
 I need a grown-up!

                                                                    Samantha Jones dixit


Diz um estudo realizado pelo Centro Crown Clinic, em Manchester, Reino Unido, que "os homens só entram na idade adulta aos 54 anos, pois aos 40 (...) ainda não deixaram de ter inseguranças juvenis".

 Palavra de honra que sempre pensei que fosse aos 30 - sendo verdade que conheci pessoas que aos 20 já cresceram tudo o que tinham a crescer, e são mais responsáveis do que outras que nunca cresceram. Lá se vai a teoria "alguém cinco anos mais velho  é o ideal, porque eles têm mentalmente sempre cinco anos a menos do que nós". 
 Se este estudo é verdade, estamos rodeadas de bebés chorões. Os homens a sério que agarram o touro pelas hastes, conquistam, comandam, dirigem a dança, resolvem tudo, vão à luta, põem as coisas em pratos limpos, não aturam tretas, têm uma palavra só, são desembaraçados, sabem o que querem e agarram-no veni, vidi, vici, são poderosos, seguros de si, pensam pela própria cabeça, colocam as coisas nos eixos, protegem a mulher que têm ao lado e lhe tiram preocupações de cima em vez de as aumentar e fazem uma rapariga perder o fôlego estão em extinção ou se existem, andam perto da reforma. 

 Os cientistas só se lembram de coisas para deixar a sociedade mais parva do que já anda: agora dá-lhes para desculpar a falta de espinha dorsal com estatística e ratos de laboratório.





3 comments:

Sérgio S said...

Hum... Esta questão do "macho a sério", fez-me lembrar uma daquelas *blhac* sessões pré-natais que assisti em que se saca dinheiro fácil aos futuros papás/mamãs, em que o tema era "expectativas". Estava lá uma futura mamã de um puto, daquelas com um casamento perfeito, macho perfeito, tudo perfeito (fazia questão de o estar sempre a dar a entender a toda a gente), e que segundo ela, o puto ia ser um grande atleta, o melhor aluno da turma, o mais inteligente, o mais desembaraçado, o mais valente, o mais isto e aquilo... E pensava eu "então e se lhe calhar um puto humano em vez de um super-heroi da banda desenhada?" Mas já reparei que é um tema muito importante para o mulherio mas onde me parece que por vezes seria melhor levaram as coisas mais no relax (coitado do puto se não corresponder...)

Há uns anos estava eu e o resto da equipa a apresentar um projeto ao qual estávamos a concorrer aí por essa europa, quando um dos elementos do júri faz o comentário que considerava a nossa equipa demasiado jovem. Por acaso havia uma portuguesa no júri que fez um comentário qualquer a defender-nos perante os restantes jurados do género que era um tipo de mercado novo em Portugal e logo as pessoas que trabalhavam lá nestas áreas eram todas ainda muito jovens, etc. Depois no final, em tom mais ou menos descontraído disse: "Com a minha idade Mozart já tinha escrito isto e aquilo, já tinha feito isto e aquilo, e eu, com esta idade ainda não fiz nem 0,1% de tudo o que ele já tinha feito com a minha idade, portanto se me considero demasiado novo? Não considero-me antes demasiado velho..." (sim, eu tenho uma grande lata por vezes, se bem que a minha intensão era, no meio de umas risadas, passar a mensagem de "pouca idade não significa falta de talento").

E pronto, já confessei uma das minhas inseguranças macho: acho-me demasiado velho (com a minha idade de hoje, Mozart já nem era vivo, o que só aumenta o meu desespero...). E nisto denoto que o mulherio nos acha demasiado novos. E pronto, com esta vou-me retirar na certeza de que passarei a noite toda a chorar como um bebé.

Paula said...

Agora tenho de procurar alguém com mais de 54 anos para ter um homem?!
vidademulheraos40.blogspot.com.

Ulisses L said...

LOOOOOOOOOOOOOL

Uma ocasião três tipos especialistas em estatistica resolveram fazer uma aventura e foram caçar de arco e flecha. No meu do mato dão com uma presa.
O primeiro retesa o arco e atira. Falha o alvo, acertando 3 metros à direita.
O segundo faz o mesmo e atira, mas falha o alvo, 3 metros à esquerda.
O terceiro nem disparou, pôs-se aos pulos e gritou "Acertámos" espantando a presa...

As estatíscas valem tanto como quem as faz...

(noutro exemplo, se formos a um restaurante e eu comer dois bifes e tu nenhum, estatísticamente ambos estamos bem alimentados...
...na realidade eu comi que nem um estupido e tu passaste fome! LOL)

:)

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...