Recomenda-se:

Netscope

Thursday, November 28, 2013

Três vivas ao eBay, e...serpentes.

                           

Num mundo em que as coisas mudam tão rapidamente, calha mesmo bem que as distâncias sejam cada vez mais pequenas e que com um clique, se possam encontrar tesouros (ou neste caso, bens de primeira necessidade...) nas arrecadações alheias ou em armazéns de lojas espalhadas por este planeta de Deus. Destas modernices já gosto: descontinuarem o meu perfume preferido foi perfeitamente criminoso (quais jeans com strecht, qual carapuça: o Serpentine foi a grande invenção de Cavalli) e enfim, espero que já que o messere cedeu ao mau gosto de substituir o MEU perfume por um horror cheio de bling bling, que haja por aí stocks disponíveis para durar uns anitos. É que tenho outros de que gosto, mas a magia não é a mesma. 
 Além do aroma hipnótico, há toda aquela simbologia associada à serpente: nunca vos falei muito disto, mas tenho um fraquinho por elas, talvez porque em pequena fui hipnotizada por uma (salva pela avó - tive sorte!).

 São das poucas figuras que gosto de usar em padrões ou jóias. A sua mitologia vai muito para além da expulsão do Éden: estão associadas ao risco e ao pecado, certo, mas também à fertilidade, ao elemento Terra, à eterna juventude, à feitiçaria, a Dioniso (que tem significados muito mais profundos do que o "Deus do vinho") e à imortalidade. Num campo mais prático, uma dentadinha de cascavel consegue matar um ser humano em poucas horas. O seu poder, bom ou mau, não pode ser dominado. É cru, inerente, e fala aos medos (ou fascínios) do inconsciente de cada um.  E isso intimida - mas magnetiza também. Criatura poderosa, essa.


No comments:

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...