Recomenda-se:

Netscope

Saturday, February 8, 2014

Boys, boys, boys...desculpem qualquer coisinha.


Eu sei que vos puxo bastante as orelhas, o que até não é lá muito justo considerando os cavalheiros simpáticos que me acompanham e comentam o Imperatriz. Em minha defesa, também alfineto em igual medida algumas tristes representantes do meu género. 

 Depois, não fui educada para Mulher da Luta (aquelas desesperadas e carentes que dizem que sim a tudo o que vista calças, são Ombros Interesseiros  e fazem tudo, até citar despudoradamente  Pedro Chagas Freitas em público,  para endrominar um diabo que as carregue) e muito menos para Mulher Tapete; logo, digo o que me apetece.

E por fim, não tenho culpa de me terem incutido algum espírito de observação e menos culpa ainda  de me deparar com  espécimes que davam uma enciclopédia, quanto mais um blog. 

Verdadeiros case studies como o Homem Tofu, que não sabe o que quer e depois sofre da doença das hastes imaginárias; o Homem Míssil Teleguiado, que emprenha pelos ouvidos e se deixa influenciar por tudo e todos; os Três Tipos de Homens Realmente Chatos, com quem evitamos cruzar-nos em qualquer circunstância; o Homem Coca Cola, Deus nos livre desse; os que não crescem e têm a mania que as mulheres têm de ser Mary Poppins; os Totalmente Dispensáveis, sempre com o pé no chinelo;  os que estão Danificados;  e com muita, mas muita sorte madrasta, o Namorado Péssimo. Um circo de aberrações, sem ofensa.

 Depois, entendê-los é mais complicado do que habituar-se a um telefone novo: é raro o que não usa de manhas, como a Birra Estratégica ou a Falsa Reconciliação, igualmente  estratégica. E com tudo isto torna-se complicado distinguir um Rapaz Despachado de um Mau Rapaz, ou um Cavalheiro Verdadeiro de um Falso, embora tornar-se ou manter-se um cavalheiro não tenha nada que saberAfinal, bastam quatro passos para agir como um homem a sério. E outros quatro a evitar para não estragar tudo. Mas se correr tudo mal, muito mal, um homem ainda pode fazer isto e salvar o dia.

Porque o homem ideal não existe, mas se existisse andaria muito perto da combinação "Marialva íntegro", e marialva que se preze não tem medo de coisa nenhuma, nem das mulheres nem de admitir as suas asneiras e resolvê-las. 

Por todas estas análises queiram desculpar qualquer exagero, caros seguidores. Estes reparos são apenas um alerta para que fujam aos hábitos que vos dão cabo da reputação e deixem vir à tona todo o vosso encanto natural. Acreditem que as mulheres preferem  mil vezes escrever posts como este, a elogiar-vos, a colocar-vos na coroa da Lua. É muito menos stressante e mais divertido. 

Felizmente ainda existem cavalheiros assim, que só inspiram uma blogger a tecer louvores. Mas como em tudo na vida às vezes paga o justo pelo pecador, e é uma chatice. Assim como é chato ter de ouvir que todas as mulheres são interesseiras, falsas, dissolutas e vulgares por causa de meia dúzia de matrafonas que nos dão má fama. Na vida é assim: por vezes generaliza-se. 















2 comments:

Sandra Paiva said...

Ainda ontem estava a ter uma conversa com uma amiga sobre isso mesmo, não os tipos de homens, mas aqueles que acham que todas as mulheres que saem sozinhas á noite, é para ir á caça.

Sérgio S said...

Eu acho que a nossa amiga imperatriz por vezes exagera um pouco. Não me parece que hajam 200 tipos de homens dos quais 199 são maus, sobrando o principe encantado por quem as mulheres suspiram em sonhos (mas só em sonhos, uma vez que depois na realidade...). Se pensares bem, o principe encantado que aparece no final da história para salvar a princesa com um beijo, é provavelmente a personagem mais chata e oca de sempre. Não se lhe conhece a história, aparece do nada, não tem expressões, nao diz nada, e de repente... a donzela é salva e termina a história. FIM! É por essas e por outras que se poder escolher prefiro fazer de mau :P

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...