Recomenda-se:

Netscope

Saturday, February 22, 2014

Peças básicas...que faltam SEMPRE nas lojas.



Era de esperar entrar numa loja comum e encontrar estas peças em todas as colecções, em qualquer loja ao virar da esquina, certo? Afinal, são roupas e acessórios do mais básicozinho, que fazem sempre falta e dão sempre jeito, etc.  Errado.

Costumo insistir bastante na ideia de smart shopping precisamente por ter  aprendido a driblar o problema e a encontrar as coisas indispensáveis em pontos de venda diferentes. Um pouco de high-lo fashion, encomendar pela internet, comprar roupa de Inverno durante o Verão ou vice-versa e outras dicas que já partilhei aqui  ajudam a construir o guarda roupa como uma profissional. Mas a não ser que se tencione dispender algum tempo e dinheiro, não é fácil. A máxima "os básicos são as peças em que deve investir mais" é correcta não só porque as peças essenciais devem ser de qualidade para durar mais tempo, mas também porque às vezes não estão disponíveis nas marcas mais em conta.

Essa uma das razões que me fazem torcer o nariz às Zaras deste mundo: enchem 80% da colecção com tendências passageiras e dedicam pouquíssimo espaço a roupas que se usam ano após ano e precisam de ser renovadas com frequência.

Ninguém gosta mais de  investir numa boa peça de griffe do que eu, mas por vezes era bom encontrar, sem esforço, básicos de última hora:

1- Vestidos clássicos abaixo do joelho
Já contei a odisseia que é encontrar um bom sheath dress. Quando encontro um agarro-o imediatamente, porque se a Dolce & Gabbanna ou a Gucci os fazem estação após estação, o mesmo não se pode dizer de marcas mais corriqueiras.  Não percebo onde é que  ouviram que é adequado ir trabalhar de mini saia, para fazerem tantos mini vestidos pouco práticos. O remédio? Coleccioná-los quando aparecem e canalizar parte dos gastos mais significativos para comprar as versões griffé. Ao menos duram, e duram, e duram...

2- Saias lápis que sejam MESMO lápis...e sirvam na cintura
Este ano já encontrei algumas porque as cinturas subiram, valha-nos isso. É uma boa fase para adquirir algumas, antes que desapareçam. Mas em geral, o que as lojas high street entendem por saia lápis é uma saia a direito com uma cintura larguíssima (mesmo que seja alta) e que faz tudo menos o que se espera. Para saias não há nada como Christian Dior, Tibi e similares ou vintage, já se sabe. Nas versões acessíveis, há que prestar atenção aos modelos bandage ou coccoon (se o tecido for espesso, fazem o truque) ou mandar ajustá-las.

3- Calças cigarrete
Idem. Se não pode ser Prada, Yves Saint Laurent ou Armani, é estar atenta, porque a Zara vende algumas muito bonitas... quando o rei faz anos. 

4- Botas longas, pretas. De pele, não de camurça. 
Não vou falar do facto de nem sempre a relação qualidade-preço ser muito compensadora nas lojas vulgares, mas qual é a dificuldade de fazer botas normais, sensatas, em pele preta? Já repararam que o castanho e a camurça são muito mais comuns? O que não é tão versátil nem apropriado para a chuva, por mais bonito que seja. Botas dessas representam sempre o meu maior investimento de tempo (para encontrar boas oportunidades) e meios (porque é inevitável apostar  nas marcas que realmente as fazem).

5- O calçado sensato da estação (sempre 6 meses atrasado)
Aqui não me refiro só às grandes cadeias, mas também a algumas marcas nacionais. Aderem aos modelos mais extravagantes rapidamente (as Litas continuam on fire, vá-se entender) mas demoram séculos a lançar o calçado mais usável, mais prático e que acaba realmente por pegar que se vê nas passerelles. Depois continuam a fazê-lo quando toda a gente já se cansou dele. Encontrar cruissardes, vulgo botas thigh high,  bonitas e com um salto normal? Impossível. Os pares que tenho obrigaram-me a dar muitas voltas mas ainda estou à procura de mais, o que não é tarefa fácil. Daqui a um ano conversamos: vão estar por toda a parte, quando eu já não precisar delas. Thanks a lot.

6- Casaco clássico...e canadianas
Pea jackets com fartura, blusões, modelos difíceis de vestir, tudo certo. Experimentem procurar um casaco abaixo do joelho com um cinto. Ou uma boa canadiana. Por outro lado, casacos e sobretudos são daquelas coisas que convém comprar em casas de confiança, pois convém que durem. Um Max Mara nunca mais acaba, um belo casaco vintage de tecido ou pele não se pode comparar a coisas produzidas em série. Ainda assim, não faz sentido nenhum!

7- Gabardinas
Fazem poucos trench coats, e quando há raramente assentam. Nada substitui uma Burberry ou um modelo forrado da velha guarda, mas podiam esforçar-se mais um bocadinho. Quem é que vive sem gabardinas?

8- Sandálias elegantes para o dia-a-dia
Sandálias "p´ra casório" com um salto altíssimo que se usam uma vez por outra? Check. Scarpins em colour block com tacão de metal, cópia do último modelo icónico da temporada? Check. Sandálias rasas de praia, estilo hippie? Não faltam. Para tudo o resto...toca a partir o porquinho mealheiro, ou a procurar que nem peregrinas. Been there, done that.

9- Calças de amazona, que não sejam leggings
 Esta é complicada porque sempre que peço tal coisa, acabo encaminhada para a prateleira das leggings (que vergonhaça!)...já desisti de explicar a diferença. Mas ao menos, fabriquem-nas em tecido que não brilhe, que não seja molengão, e não inventem. Já encontrei modelos simpáticos nestas lojas; o que não percebo é porque deixam de as fazer. Nem toda a gente quer tachas, aplicações de napa, rendinhas, tigrinhos e porcariazinhas a enfeitar as pernas.

10- T-shirts de bailarina e bodies: de manga comprida, simples
É sempre uma canseira encontrar isto. Ou toda a gente anda de manga curta no Inverno, ou acham que é suposto vestir bodies rendados todos os dias que Deus deita ao mundo. Ora, tops de algodão são daquelas coisas que me recuso mesmo (até ver) a comprar em lojas mais exclusivas. É algodão, não é física quântica. Devia haver sempre, certo? Ná.

6 comments:

Parnika Pavana said...

Olá Sissi,

O novo layout da Sissi está magnifico! Adoro-o!

Em relação aos básicos, concordo plenamente contigo. E quando as botas têm fivelas, fechos, botões, florinhas ou o diabo a sete e não têm nada de jeito? E quando são rasas nem um 1 cm de sola têm e só se sentem as pedras? Ou as altas parecem que são umas andas?

Não sei se te acontece, mas é raríssimo encontrar camisolas de lã de boa qualidade. Ultimamente vou a uma casa de lãs, compro lãs da melhor qualidade e mando tricotar. Só assim consigo um bom corte, torcidas que não permitam que se veja o sol nem se sinta o vento.
E as golas de alta de caxemira? Penso que encontrar uma com uma cor bonita e preço razoável é impossível!

Enfim.. pode ser que o Senhor Amancio Ortega nos ouça, ou leia...

beijinhos e bom fim-de-semana

Imperatriz Sissi said...

Olá Parnika :) Obrigada!
Eu tenho para mim que as peças curtas/extravagantes devem ser a minoria numa colecção, porque se usam menos vezes. Mas parece que quem decide prefere investir na novidade constante, o que é uma pena. Concordo completamente quanto ao oito ou oitenta dos saldos. Se qurem seguir o que as boas casas fazem devia ser no geral, e não no último penduricalho/estampa da moda. Enfim, é um testeà nossa habilidade de smart shoppers!

Imperatriz Sissi said...

quis dizer, oito ou oitenta dos saltos.

sandra baldaia said...

Concordo plenamente. sou adepta de clássicos básicos. Gosto muito das minhas camisas brancas de algodão, calças de corte direito e das outras peças de que fala neste artigo. Ainda continuo ás voltas sem conseguir encontrar uma saia lápis preta e já nem falo na trabalheira que é encontrar uns simples stilletos ou plumps de salto médio. beijinhos!

A Bomboca Mais Gostosa said...

Por acaso concordo mesmo contigo, já quis adquiri algumas das peças que falas e é um problema. E camisas brancas normais?Sem tachas, flores, logos ou outros que tal? Outro que tal. Eu, só na Sacoor.
Comprei há pouco tempo umas botas pretas em pele, tal como falas, a um preço excelente, e andava há ANOS à procura de algo assim. Os sapatos igual. Só posso usar confortáveis, com salto moderado etc. Outro problema, porque só se fazem sapatos rasos ou com saltos que não lembram a ninguém. Felizmente consegui encontrá-los nestes saldos. Foram caros, mas são muito bons.

Inês Maria Rocha Gonçalves Moura de Sousa said...

Gostei imenso da nova imagem do blogue :-)
Partilho desta dificuldade em todas as peças mencionadas. As que posso mando fazer: nomeadamente sobretudos, sheath dress, saias lápis ou de outros cortes (mas que culpa é que eu tenho de ter cintura fina e anca larga. Por isso é raro, muito raro que vestidos e saias de cortes mais cintados me assentem). Se compensa? No meu caso sim. Só tenho pena de não ter um sapateiro para me fazer sapatos e botas lol!

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...