Recomenda-se:

Netscope

Wednesday, July 30, 2014

Dica de estilo inestimável: jovem, ma non troppo.


«Qualquer mulher com mais de 25 anos, quando escolhe roupa, deve perguntar a si mesma: "uma miúda de 15 anos usaria isto?".  Se a resposta é sim, pense bem antes de comprar.»

Flic Everett, jornalista


Certo, as mulheres cada vez se mantêm mais jovens por mais tempo (vide Elle McPherson, 50 anos e frescura de 20), cada vez assentam mais tarde e têm filhos mais tarde. Hoje em dia só quem é muito desfavorecida pela natureza ou muito descuidada é que se pode queixar - não creiam no contrário, há muitas preguiçosas que o dizem mas isso deve ser recusado como tentação do Inimigo. 

Os 30 são os novos 20, os 40 são os novos 30, mas... 15 anos são 15 anos e não voltam, nem convém que voltem.

 Não é que não se deva adoptar um visual pesado entre os 25 e os 30 e poucos - de todo. Pode-se sim parecer jovem, elegante, fresca e sexy q.b. Há opções de styling modestas e sensatas que permitem usar um bocadinho de tudo, consoante a silhueta de cada uma. Mas cair na patranha "não deixe que a idade a impeça de usar o que bem lhe apetece" é crer numa mentira piedosa que não favorece a beleza *nem a decência* de ninguém. Não se trata de "matronizar" o visual, mas de lhe fazer o devido upgrade e evitar o ridículo, que nunca é atraente.

  Há coisas disparatadas que numa menina da escola se desculpam ou até têm graça, principalmente se estivermos a falar de uma adolescente magricelas (porque há meninas rechonchudas que nessa idade já parecem fazer questão de vestir tudo quanto lhes fica mal...) mas que são imperdoáveis numa mulher feita, principalmente se ela tiver um tipo muito feminino, com ancas e busto vincados. Se for magra e atlética, estilo Cameron Diaz, mas tiver sido desleixada com o sol e apresentar algumas marcas na pele...outro tanto!

 As bainhas e calções devem sim descer um pouco - desde que vão cair sempre numa das zonas mais elegantes das pernas. Mini saias tipo cinto largo ficam ridículas em quem seja maior de idade e não tenha ar de Pipi das Meias Altas. Os crop tops têm de ser coordenados de forma muito sofisticada- se a remetem para as Spice Girls, esqueça. 

Os penteados "radicais", estilo punk- que- nunca -cresceu, com "picos" e madeixas às cores, precisam de ser aligeirados. Os bonequinhos devem ser circunscritos a t-shirts de bom ar para usar com jeans e desaparecer de carteiras, casacos e acessórios. Os tops demasiado reduzidos, com alcinhas fininhas...bom, não foram feitos para quem precisa de usar soutien, por isso é bom que  que se limitem ao uso privado, independentemente da idade. Sapatões...convém que sejam substituídos por saltos largos ou plataformas um pouco mais clássicas e a roupa de aspecto desportivo e ténis deverá passar a ter um aspecto discreto, o mais cool possível. Jeans com lavagens estranhas passam a exigir ainda mais cuidado tanto na qualidade como nas combinações.
 Evitem-se as silhuetas e padrões infantis (vestidos estilo império ou babydoll com padrões a lembrar Ruiz de La Prada, por exemplo) os tecidos duvidosos (musselina falsa numa colegial, passa, mas numa mulher a caminho de um casamento ou festa é o terror) tolices como o P.U (já vai sendo tempo de investir em pequenos luxos) e  street wear demasiado óbvio. Se algo lhe faz lembrar o Justin Bieber, deixe-o para a sua irmã mais nova (e mesmo assim cuidado, digo eu!).

 O que se pretende não é envelhecer o look, mas torná-lo elegante, de aspecto mais dispendioso, depurado e responsável. Afinal, as roupas da Barbie nunca serviram na Skipper e vice-versa, certo?  
 (E cá entre nós, nunca morri de amores pela Skipper...)



7 comments:

Inês Sousa said...

pois o que não falta por aí são senhoras com idade e muito pouco tino e que deviam ser obrigadas a ler avisos destes até queimarem as roupas de teen que lhes atafulham os armários. É que agora todas querem parecer-se com as filhas ou pior com as netas porque assim é que são modernaças.

Imperatriz Sissi said...

Uui. Podia estar a citar exemplos a noite toda...

Sandra Marques de Paiva said...

Acho que passei uma fase dessas e agora ando a limpar tudo. Ainda no sábado passado saí com uma saia-calção curto ( à noite ) e aconteceu-me algo que me traumatizou: uma mulher já nos seus 50 mas assim estilo woodstock e com uma cerveja na mão, passou-me a mão no rabo, mas assim, enfiou-me a mão pelos calções dentro e disse que só gostava de ser homem. Primeiro, detesto que me toquem, então tocarem-me no rabo pior ainda e depois parece levei uma chapada de realidade. Não devia sair de casa com peças de roupa tão curtas, pois certamente não me aconteceria essa tristeza..... e assim se vão mais umas peças do armário à vida, para o bem da minha saúde fisica e mental!!!!

A Flor said...

Como me estou a aproximar dos 25 vim cheia de curiosidade ver o que era conveniente remodelar no guarda-roupa. Em vez disso descobri porque é que as pessoas me tomam por uma pessoa tão séria. Parece que desde os 15 me visto de forma muito séria...

Fashionista said...

não podia concordar mais!

barcelence said...

Sandra Marques de Paiva, se me dissesse que, para evitar olhares de censura ou de gozo ou simplesmente mal educados, seria melhor desistir dos calções, é uma opção que a si cabe livremente. O que relatou, é que foi apalpada indecentemente, quase uma agressão, com um comentário ordinário à mistura e, resumindo, acha que a culpa é sua! porque, tendo em conta a idade que tem, não veria ter usado esses calções. Então e se fosse uma adolescente escultural , com os seus calções curtinhos, a ser alvo dessa agressão? Aí a agressão é reprovável, e não a adolescente?... A lógica é correta, não houvesse calções curtos, e a tipa não se aventuraria. Mas estamos a falar de roupa curta em 15 anos vs 51 anos. Ser atacada "por se usar roupa curta" não deve nunca ser admissível, seja em que idade for.

Imperatriz Sissi said...

O comentário da Sandra e da Barcelence passou-me despercebido, desculpem. Olhem que uma dessas! De facto não é prudente (em qualquer idade) ir para certos sítios com roupas demasiado reveladoras e é certo que é um chamariz para atrair atenção errada, mas NINGUÉM tem o direito de tocar ou incomodar. Um empurrão bem dado e uma queixa era o que a mulher merecia...

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...