Recomenda-se:

Netscope

Thursday, July 17, 2014

Mais um estudo antropológico: as pessoas "Floribella"


Não tenho nada, mas tenho tenho tudo, la la la. Assim são as Pessoas Floribella: não têm nada mas têm tudo, ou pelo menos acham que sim e gritam-no ao mundo com o maior ar de patetas alegres. E na sua maioria, tal como a intérprete nacional desta personagem, também não são um prodígio de boa educação, logo dizem valentes disparates julgando que fazem boa figura.

Uma Pessoa Floribella não tem nada, ou não tem grande coisa, mas adora gabarolices. Não é bonita, mas acha que sim. Não é bem sucedida por aí além, mas considera-se o máximo: é o tipo de alma que faz estágio numa empresa mas anuncia ao vento que lá trabalha com todas as regalias, de casa e pucarinho. Quando conta um conto, acrescenta um ponto e adora falar de si própria sem medo de ser apanhada em aldrabices.


Como se diz na minha terra, “Dinari e santità, crìdìtinni mità”riqueza e santidade, fia-te em metade...


 Uma Floribella, que pode muito bem ser um Floribello, não é rica, nem lá perto, trabalha para pagar as contas como todos os outros e não sabe nem sonha o que é realmente ser rico, mas acha-se muito abastada: tem os vícios do novo rico, a falta de mundo e sofisticação do novo rico...mas sem o dinheiro do novo rico, percebem

Uma  Pessoa Floribella passa a vida a dizer "Eu tenho X que custou Y", "eu comprei isto por não sei quanto dinheiro" numa grande demonstração de falta de chá, o que já de si seria péssimo. 
 Mas o pior é que vamos a ver e afinal não é bem assim: diz que tem um carrão, mas o carro é dos pais e a (o)  Floribella (o) não é senhor (a) de o levar para parte nenhuma. 

Compra roupa contrafeita e jura que é verdadeira, mesmo que se note à légua a confecção da lojinha do chinês ou da tienda dos ciganitos. Se vai a casa de alguém acha-se no direito de criticar a decoração, como se tivesse grande gosto, e de realçar que comprou uma carpete  de seiscentos euros *que quem viu sabe ser do piorio, olha para mim a rimar e tudo, já estou contagiada pelo espírito da Floribella, cruzes*  como se o tapete fosse persa ou melhor, voasse ou se  seiscentos euros fosse assim uma soma das arábias. Tudo é relativo nesta vida e o dinheiro é a coisa mais relativa que há, mas uma Floribella não sabe o que isso é e como o seu conceito de luxo ou prestígio é assim um bocadinho por baixo e um bocadinho possidónio, a alegre Floribella enche-se de vento com pouco.

 Pior ainda, acha-se a última bolachinha do pacote e se preciso for ainda se dá ao luxo de ser paranóica (o) achando que as pessoas se aproximam de si com fito na sua grande riqueza. É só interesseiros a tentar caçar  a sua fortuna. Então não é? Lá diz o povo, presunção e água benta...

 Pessoas Floribella são, em suma, uma curiosa mistura de ingenuidade, pensamento positivo, parolice e falta de noção. Há que ser alegre, mas tanto...



3 comments:

A Bomboca Mais Gostosa said...

Conheço várias pessoas Floribella, várias, mais do que desejaria. E não, nenhuma delas tem nada na cabeça. Porque será...

Ana Maria said...

Gostei das "Pessoas Floribellas" nunca tinha pensado nesse nome X) Infelizmente há muitas pessoas dessas por aí...

C*inderela said...

Ahahah, adorei esta comparação. Quantas e quantas Floribellas não existe por aí ...

Bjokas*

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...