Recomenda-se:

Netscope

Friday, July 11, 2014

Mais uma campanha "a beleza incomoda muita gente". Sobreviveremos?


O assunto já foi abordado várias vezes por aqui: de repente ficou na moda, quando uma marca desesperada por apelar às mulheres inseguras, uma pseudo artista, celebridade sem nada na cabeça ou qualquer organização pró feminista de carteirinha quer dar nas vistas, arranjar uma campanhazinha a dizer que a beleza é crime, ou maluqueira, ou escravatura. É audiência garantida

A par com os ecos de "abaixo a ditadura da depilação" (blhec) e das bonecas feiotas que pretendem "estabelecer expectativas realistas" sucedem-se os "movimentos" para libertar as mulheres desse jugo horroroso que é...ter bom aspecto. E hoje eis que aparece mais um no firme propósito de arreliar qualquer rapariga com um bocadinho de brio.

A beleza não é tudo. É mais um predicado como a inteligência, a bondade, o êxito, o talento, etc, etc, etc. Sozinha não determina nada. Mas é necessária porque o mundo já anda feio que chegue. Se isso incomoda as feministas, as mulheres que vivem mal consigo mesmas, os trambolhos e/ou as que não gostam de ter trabalho mas querem tudo de graça, azar - as mulheres querem ser bonitas ou mesmo que não correspondam a um dos tipos de beleza convencionais (que hoje em dia há muitos, não brinquem comigo) fazem, ou devem fazer, por estar bem arranjadas (com o devido recato e modéstia, já agora).

 É uma tradição que acabou por se entranhar no código genético. É inato. Estar bem apresentada, bonitinha, elegante, é uma obrigação feminina. Lá dizia a Bela Otero, as mulheres têm uma missão na vida: ser belasNão é a única, mas é uma missão. Quem diz "belas" diz "apresentáveis". Ser vaidosa, encantadora, ser bonita ou pelo menos fazer por isso, procurar e conservar a formosura, é parte das alegrias de ser mulher.  Como li algures, beleza (ou o esforço para a dita) é fundamental e sustentar o contrário, hipocrisia. Não  querem cumprir? Problema de cada uma, mas depois não se queixem. Nem venham com sermões ridículos destes.

 A obsessão pela aparência é muito má, mas o oposto também. E se algum dia me calhasse uma filha desleixada, a defender tais ideias, fechava-a num convento. Lá não há vaidade, mas por bons motivos. E ao menos também não há desleixos. Tenho dito. Corjazinha de desarranjadas a tentar fazer a cabeça das nossas crianças para criar uma geração de espantalhas muito desempoeiradas, muito livres, muito...Deus nos livre.

1 comment:

Inês Sousa said...

Esta luta contra a beleza já "me cansa a beleza". Acho tanta piada a estas coitadinhas, são umas ressabiadas a quem resolveram dar tempo de antena. Eu sempre fui criticada por me arranjar e pintar as unhas e mudar de carteira durante a semana e ter um guarda-roupa que se veja e curiosamente foram sempre as que não têm nada disso que o fizeram, porque será?

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...