Recomenda-se:

Netscope

Tuesday, September 9, 2014

A comédia da semana (que levanta um mar de questões)

Uma amiga que está a desenvolver uma tese sobre questões femininas partilhou este vídeo nas redes sociais e eu, que parece que não ando neste mundo e sou sempre a última a saber das novidades, toca a abrir para perceber o que era aquilo.
 A início pensei que era uma brincadeira feita por uma amiga da minha amiga, depois lá entendi que não: tratava-se de um manifesto do feminismo pós-adolescente, daquele que nem chega a saber que é feminismo (um produto do meio, portanto) cheio de palavras de ordem vulgo é proibido proibir e a roupa não faz o carácter, parem lá de rotular/julgar as pessoas pelas aparências com muito palavrão pelo caminho. 


Só mais tarde é que entendi que a menina Tatiana não é do Norte, como julguei inicialmente, mas de Pombal (tanta gente que conheço para essas bandas e não me apercebi de nada) que o vídeo se tornou viral a pontos de já ter uma resposta (bem engraçada, por sinal, mas que lamentavelmente não consigo encontrar) do outro lado do Atlântico e que a Tati é assim uma  destas celebridades da internet que aparecem não se sabe bem como.
 Paladina (salvo seja!) da "cultura" de que falo muitas vezes (a kizombada, as não- roupas "artísticas", as poses estilo Correio da Manhã o vivá liberdade e muito pontapé na gramática),discípula das Mileys, Rihannas e Nickis deste mundo do Senhor,  a mocinha seria uma espécie de kryptonite de tudo o que aqui se defende, um verdadeiro ó valha-me Deus, que horror, esta juventude está perdida (e está, mas pronto) não fosse por duas coisas: a sua ingenuidade no meio de tanto disparate e uma certa piada que ou se tem ou não se tem e desculpa, ou aligeira, os descalabros.

 É que me fez genuinamente rir com as suas caretas enquanto explicava, muito compenetrada e com a maior das latas, que a sociedade vê  p*** ou fabricantes de panelas em, cito. "tudo o que mexe" e que - oh, a injustiça - ninguém é p*** ou fabricantes de panelas só porque veste assim e faz assado.

  Alguém podia explicar à Tatiana que a roupa não faz o carácter, que é o carácter que faz a roupa; que só as pessoas muito superficiais não julgam pelas aparências, que este tipo de atenção que tanto aprecia em modo bem ou mal falem de mim não dá felicidade e que daqui a uns anitos pode não lhe dar jeito andarem registos destes pela internet (que tem a mania parva de guardar tudo para sempre). Mas se não explicou, paciência...fica um momento "a penny for a smile" .




7 comments:

Mariana Pardal said...

Não resisto a partilhar mais um: https://www.youtube.com/watch?v=OQSik3u7QcQ
[As imagens que se seguem podem ferir a susceptibilidade dos espectadores!!]

Sérgio S said...

Ó Sissi, coitada da moça. Está a passar por uma fase complicada da adolescencia... Aqui pelas minhas bandas costuma-se dizer "podes tirar a gaja da Amadora, mas não tiras a Amadora da gaja" (se bem que eu prefiro a versão da "Margem Sul"). É mais ou menos a teoria que se aplica.

Sandra Marques de Paiva said...

Hoje vou reivindicar uma coisa, pois sou uma mulher do Norte e não é só no Norte que há parolas destas :) Já vi este vídeo e não lhe achei graça nenhuma e pensar que este vídeo já se tornou viral e como tu dizes até já tem resposta, só me faz perder mais um bocadinho de fé na humanidade. Irra que não se pode com um mundo tão #º&%@#º&%.....

barcelence said...

Portanto, julgou, inicialmente, que era do Norte. Ò imperatriz, não se deixe contaminar por casts de Big Brothers e Casa dos Segredos. Esses programas desenterram gente do Norte que possa dar espetáculo. Na senda de reality shows Norte americanos, que selecionam convenientemente, certo tipo de pessoas de raça negra para que estas dêem continuidade ao estereótipo sobre essas pessoas nos EUA.

A Bomboca Mais Gostosa said...

OMG o que é isto??? LOL Não, a senhora não é do norte, falta-lhe o sotaque e algum carisma ;)

Imperatriz Sissi said...

Meninos e meninas do Norte, não se melindrem porque eu sou a última pessoa a comprar a ideia de "parolos do Norte" pelo contrário. Conheço Pombal relativamente bem e há algumas expressões parecidas, além de sotaques particulares nos filhos de emigrantes que às vezes se podem confundir com outras pronúncias regionais, daí a minha confusão.

Poision said...

Até lhe podemos dizer tudo isso Imperatriz, mas acho que na cabeça desta pobre alma não deve entrar muita coisa, afinal ela não tem nada "Falso", nem sequer o cérebro.

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...