Recomenda-se:

Netscope

Sunday, October 19, 2014

Saias maxi: 8 dicas para usar sem medo.


As saias compridas estão presentes nas colecções e nas ruas de há uns três anos a esta parte sem que se tenham tornado uma tendência muito evidente. Porém, é natural que venham a ver-se bastante num futuro próximo: a uma moda extrema (saias e calções curtíssimos, neste caso) costuma seguir-se exactamente o contrário. Tem demorado um pouco, mas se a saia lápis já se instalou nos armários de quase toda a gente, podemos esperar que no regresso a uma certa modéstia (e aos anos 90) que temos visto, a maxi se popularize também, e não só para usar nos meses quentes...

 Até aos pés ou tea lenght, amplas ou justas, plissadas, em tartan, florais, assertoadas ao estilo Belle Époque, há variantes para todos os gostos e silhuetas.

É preciso ver, porém, que esta é uma peça divertida e romântica, mas não muito prática e que - apesar de cobrir tudo - precisa de alguns cuidados para alongar a figura e ter um ar composto.


 Dicas:

1- A não ser que seja um fã empedernida do género (gótica ou hippie, por exemplo) opte por uma saia de tecido versátil ou seja, fresco mas espesso q.b, com uma boa quantidade de algodão. Assim poderá usá-la no Verão e no Inverno, sem a desagradável sensação de ter o vento a levantar o tecido ou a chuva a colá-lo às pernas.




2- Se tem ancas arredondadas, os modelos bem forrados, de cintura subida e mais amplos na bainha são a melhor escolha para criar uma bonita figura em "S" sem alargar o que não devem. O preto é uma escolha clássica... e a mais adequada se não pretende comprar uma colecção de saias destas!




3- A cintura subida e justa q.b. é, aliás, a melhor amiga da saia maxi, porque não só dá a ilusão de uma linha esguia como evita o aspecto desleixado: a ideia é parecer romântica e elegante e não tanto saída do Woodstock. Com a cintura no lugar poupa-se ao "efeito desfraldado" (que nunca é bom mas com tanto tecido pior fica) e poderá usar mais confortavelmente  tops curtos (uma das combinações chave para a saia maxi).



4- Se não é alta, atenção à bainha: não convém que arraste pelo chão (o que além de dar cabo da saia a vai fazer parecer mais baixa do que é na realidade) mas também não deve ficar demasiado curta. O ideal é que mostre a ponta dos pés, ou optar por um modelo assimétrico, mais comprido atrás (como no exemplo acima). As versões pelo tornozelo funcionam automaticamente em raparigas altas e magras; em todas as outras poderão resultar bem mas exigem olho vivo e alguma prática para acertar na combinação.



5- O calçado é sempre a parte mais difícil: no Verão não custa nada porque a saia maxi casa lindamente com sandálias rasas estilo romano e já está, mas no Inverno é preciso pensar um bocadinho melhor para não "abafar" a figura nem parecer mascarada para o Halloween.
 Saltos médios, biqueiras nem exageradamente redondas nem demasiado pontiagudas, botins e (reservado às adolescentes ou mulheres petite de aspecto muito jovem) botas com um toque militar são boas pistas. O espelho é o melhor conselheiro, pois pretende-se um efeito longuilíneo, sempre.




6 - O perfecto de pele é uma das combinações mais interessantes de ver com saia maxi: dá um aspecto edgy e actual e mantém as proporções equilibradas.


7- Uma abertura pode dar graça à saia e torná-la menos pesada, mas se vai por aí escolha um modelo de uma marca de confiança, com um bom corte e tecido fiável. Escusado será dizer que convém manter as aberturas dentro do bom senso para não ser pior a emenda que o soneto...para saias abertas ao lado e mais soltas, podem ressuscitar-se os alfinetes adequados do tempo da outra senhora.


8- Pode parecer incrível mas uma saia até aos pés não está imune à vulgaridade ou ao aspecto barato: cores deslavadas ou néon, tecidos duvidosos e coleantes e versões "sexy" da saia  maxi andam muito por aí e são desastrosas. Se lhe lembra a Kim Kardashian, evite:






No comments:

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...