Recomenda-se:

Netscope

Monday, October 13, 2014

Tendência: botas de franjas. Sim ou não...e como?


Nas colecções de Outono-Inverno 2014-15, várias Casas de Moda apresentaram algumas peças com franjas em cabedal e sobretudo, camurça - Gucci e Saint Laurent usaram-nas em carteiras, Cavalli (acima) empregou-as em algumas das suas cuissardes (muitíssimo extravagantes, mas tão perfeitas que quase esquecemos o efeito que teriam na rua) e Brian Atwood criou versões coloridas.

 Este ano será ideal para ceder à tentação deste revivalismo dos anos 70 e investir numa (e de preferência, só mesmo numa) peça franjada, pois as franjas continuarão presentes na Primavera: Etro, Tommy Hilfiger e Prada incluíram-nas nas suas propostas. Claro que por esta altura não sabemos qual vai ser a adesão que vão ter, por isso todo o cuidado é pouco. 

 As franjas estão para as aplicações como o leopardo está para as estampas - uma fantasia clássica que convém ter numa peça ou duas para consumir com moderação, guardar quando sai da berra e  reciclar quando regressa, porque volta sempre mais ou menos nos mesmos formatos. É necessário sensatez porque dão muito nas vistas se não estiverem na moda, mas tornam-se enjoativas se demasiado muito em voga.

   Pessoalmente, prefiro-as numa carteira ou casaco de pele leve: as botas são, apesar de tudo, um compromisso maior, e até aqui ainda não encontrei nenhumas que compensassem o investimento. Este ano, porém, há duas opções que considero o modelo mais racional para quem quer mesmo usar umas: as primeiras são as “Go-Lightly”  de Jeffrey Campbell (preço aproximado de €400). Diz quem experimentou que apesar do salto vertiginoso, são tão bem executadas que nem se dá por ele.

Depois, há as da Lanidor (que rondam os €200, se não estou em erro). A Lanidor (que também disponibiliza uma versão botim, para quem não quer arriscar tanto) tem aliás um lindíssimo catálogo, que demonstra exactamente como usar botas de franja sem erro: visual boho/hippie-chic e algum volume na parte de cima do corpo.


Se me perguntassem, recomendaria a versão da Lanidor: não só pelo preço (é um pouco ingrato pagar tanto por umas botas de uso ocasional) mas pelo salto mais prático e menos espampanante, que lhes dá um ar mais democrático. O cano também é ligeiramente largo, o que visualmente adelgaça as pernas e pessoalmente, considero esta uma das mais fiáveis marcas nacionais no que diz respeito ao calçado.

  Já as de Jeffrey Campbell têm a vantagem de ser acima do joelho, que apesar de ser algo que não fica bem a toda a gente tem a vantagem de alongar e matar duas tendências de uma cajadada: franjas e cuissardes.

De qualquer modo, as botas de franjas são recomendáveis...

- ...para quem já tem pares suficientes de botas mais práticas, discretas e à prova de chuva, logo pode dar-se ao luxo de investir numa coisa diferente;
 
-...para mulheres de pernas esguias,embora não demasiado magras (em pernas muito finas o contraste pode ser excessivo).

-...se é fã de um visual boho e já possui alguns ponchos, capas e casacos largos de camurça que acompanhem o visual.

-...sozinhas ou seja, nada de as misturar com outro acessório de franjas! Malhas fofas (lã escocesa, entrançados..) sobretudos de carneira não muito compridos e vestidos de padrão floral são algumas combinações amorosas para usar este calçado.


 A regra aqui será "se tem dúvidas, não arrisque": esta não é uma compra que se faça por impulso. Poderá sempre optar por um casaco, colete, carteira ou mesmo cinto de franjas, que dão o toque sem tantos custos e são mais fáceis de usar.









No comments:

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...