Recomenda-se:

Netscope

Tuesday, October 21, 2014

Too much of a good thing can be wonderful, lá dizia a outra.


Julgava que pós Coven, American Horror Story seria sempre a descer, pelo menos no que me diz respeito  (é que depois de reunir a grande Marie Laveau à bruxa fashionista de Jessica Lange a responsabilidade aumenta muito!). Mas Freakshow, que estreou ontem por cá, não só tem o ambiente certo (todo o feel da americana dos anos 50) como fez o favor de me juntar duas coisas que eu adoro: Jessica Lange e...David Bowie. Ou antes, Jessica Lange vestida como David Bowie a cantar Life on Mars com um toque de Marlene Dietrich:

Ora aí está uma coisa de muito valor, porque se David Bowie é uma divindade (o estatuto de god of Rock não basta para o definir, porque também é um style icon e dos verdadeiros, não desses de trazer por casa  a quem agora atribuem o título) Jessica Lange é uma diva.
 Correndo o risco de me auto plagiar (pois já devo ter dito isso algures) acho-a lindíssima, daquela beleza que troça do passar dos anos, e com uma presença magnífica. 

                                  

Pode estar despenteada, com a maquilhagem numa desgraça ou a fazer de bêbeda, de infeliz ou de doidinha,mas mantém sempre o seu ar de grande dame; depois, os seus traços são tão perfeitos que nunca consegue parecer feia por mais que lhe façam. Ser linda aos 20, 30, 40, 50 e mais além e ainda por cima continuar sexy, com um estilo impecável e um sorriso de derreter uma pedra, isso é obra.
Bruxedo, much?
 Não sei que poção é que Ms.Lange toma, mas alguma há-de ser porque isso vem de dentro, não se consegue com tratamentos nem cirurgias. Lá está: suponho que Jessica Lange e David Bowie comprem a fórmula da eterna beleza no mesmo sítio. Agora só resta torcer para que o Thin White Duke faça uma aparição na série para o cenário perfeito estar completo. Please?








No comments:

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...