Recomenda-se:

Netscope

Friday, November 14, 2014

10 mulheres que os cavalheiros devem evitar como a peste.


Ao reler este tipo de texto aqui pelo blog, lembrei-me de que não cedi aos pedidos de vários seguidores  para fazer algo parecido dedicado aos cavalheiros.
 Afinal, temos de ser justos - e há representantes do sexo feminino tão chatas e perigosas como o pior diabo de calças, que deixam os homens à beira de um ataque de nervos e dão mau nome a todas as mulheres .

Aqui ficam as suspeitas do costume:

1- A Mandriona

Ser preguiçosa e desarranjada é mau mesmo quando uma rapariga é muito bem nascida e tem meios - afinal, nunca se sabe se os ventos mudam e você não acaba a sustentar um trambolhozinho que não sabe fazer nenhum e é incapaz de se bastar a si mesma, ou de assegurar a menor gestão dos assuntos da casa.
  Porém, numa mulher que não tem onde cair morta é pior ainda, pois é sinal de egoísmo e desarranjo  - se ela não limpava em casa e não havia senhora da limpeza, das duas uma: ou sobrecarregou a mãe e o resto da família, ou viveu toda a vida num palheiro. O mínimo que se espera de alguém (homem ou mulher, mas a ausência de jeito feminino numa mulher é uma coisa mesmo feia) é que apanhe a própria roupa, limpe o que sujou, viva com um mínimo de ordem e trate dos seus próprios assuntos. Além disso, quem é mandriona e preguiçosa pode ser irresponsável e egocêntrica noutras coisas. Ou fazer coisas tão sedutoras como não gostar de tomar banho e deixar meias sujas pelo chão (quem acha que é exagero, nunca ouviu mexericos de faculdade!).
 Namorar com uma preguiçosa pode ter um certo encanto ao princípio, porque é tão trapalhonazinha e tão fofinha, mas a longo prazo não é fácil. A não ser que ela tenha tantas outras qualidades que esteja disposto a contratar-lhe uma ama/governanta com braços fortes e paciência de Job.


2- A chica esperta

Uma mulher inteligente e culta é um tesouro, principalmente se também tiver uma aparência agradável. Afinal, nem o mais antiquado dos homens acharia muita graça a passar a vida ao lado de um lindo mono com quem não possa conversar. 
  Mas, atenção: uma pessoa inteligente não tenta provar que o é... e tem o senso comum de saber quando estar calada. 

Depois, qualquer mulher minimamente esperta - e educada - sabe que não é bonito entrar em constante competição com quem está nem contrariar o par a torto e a direito, só para provar que tem alguma coisa na cabeça.
 Infelizmente - graças a ideias modernaças e algum facilitismo no Ensino Superior - o que mais se vê por aí são mulheres esforçadas mas pouco brilhantes, que tentam constantemente afirmar-se de forma muito pouco feminina...ou em modo galinha choca, se preferirem. 

Hoje em dia, a coisa mais simples do mundo para uma rapariga de intelecto mediano - sem imaginação, sem perspicácia, sem espírito - é fazer-se passar por inteligente

A ausência de miolos (a não ser em casos mesmo graves) disfarça-se mais facilmente do que a falta de beleza. E como a Chica Esperta não costuma ser uma estampa mas é ambiciosa e vaidosa, trata de compensar dando graxa, sendo marrona e fazendo mil piruetas para conseguir feitos académicos ou artísticos.


 Pretensões intelectuais baratas são uma coisa terrível em ambos os sexos -pior do que ser ignorante, só ser-se burro como um urso e ter a mania da cultura -  mas numa mulher mais mau se torna porque as mulheres não-lá-muito-espertas são mais *ainda* mais chatas do que os seus contrapartes masculinos na forma como se expressam. 

Partilham clichés  presumidos nas redes sociais, falam alto de Arte, Religião ou Política a ver se alguém as ouve e estão sempre prontas para o debate. A Chica Esperta tem SEMPRE opinião

Debate com o Padre da freguesia, testando a vocação do pobre sacerdote para a Santidade com ideias revolucionárias; se lhe derem asas, junta-se à Assembleia Municipal só para ter o prazer de debater mais um bocadinho; na faculdade, é o pesadelo dos professores. Mesmo que não saiba escrever, escreve e pior, publica. Se não tem voz, canta na mesma ou pior, dá recitais. Como leu Simone de Beauvoir e outros (mas o que a comove mesmo são as histórias do Nicholas Sparks) acha sempre que é como a Samantha do Sexo e a Cidade (uma predadora com alma masculina, muito desprendida, muito confiante) mas depois fica a chorar no ombro das amigas porque o desconhecido que praticamente raptou na noite anterior não lhe telefonou, citando preciosidades como "é muito menos doloroso morrer do que estar vivo com vontade de morrer”.

 Em suma, a Chica Esperta dá razão a ditos machistas do tipo "as mulheres haviam de ser mudas!".


3- A mandona



Ter personalidade (ou mesmo um bocadinho de mau feitio) dá charme, mas há mulheres (novamente, pouco espertas) que julgam que ter personalidade é serem umas Rainhas do Sabá. 
Uma Rainha do Sabá pensa que é um Júlio César de saias: veni, vidi, vici e a sua frase preferida é "quem manda sou eu". 
Nunca relaxa, nunca se cala, nunca se coloca no seu lugar nem deixa estar os outros, impõe invariavelmente a sua presença e a sua posta de pescada. A única pessoa que lhe merece graxa é o chefe (ou quem faça tal papel) mas se o dito cujo for molengão, bonzito, nem ele escapa. 
No início do namoro até pode disfarçar - e para um homem preguiçoso, ou que ande cansado, ter alguém capaz de tomar decisões parece muito agradável.
  Mas em breve é ela que decide tudo: onde vão, o que vão comer (ou não comer; se uma Mandona apanha a mania da comida saudável, toda a casa tem de aguentar tofu) o que é que ele há-de vestir e como há-de gastar o dinheiro, etc, etc...e se calha o prodígio de arrastar o pobre coitado ate ao altar, é certo e sabido que vai mandar no marido, emasculando-o sempre que puder.
 Mulheres assim não respeitam ninguém: ou porque lhes faltou uma presença masculina em casa, ou porque a presença masculina em casa era demasiado autoritária e por trauma compensam assim, ou porque simplesmente nem o pai nem a mãe a souberam pôr no sítio, fez-se uma generala sem o mínimo de graciosidade. Parece exagero? Conheço pelo menos três ou quatro destes Hitlers de saias, por isso cautela.


4- A Kim Kardashian barata

Se calhar era escusado explicar isto porque tenho os cavalheiros que visitam o Imperatrix como pessoas sensatas e de bom gosto, mas seja.

 A Kim Kardashian barata é, como o nome indica, uma cópia reles da verdadeira - um visual já analisado ad nauseam por aquique agora está na moda e que se traduz por uma cabaça de pernas curtas, glúteos desproporcionais, calções minúsculos ou leggings,cabelo preto-graxa esticadinho,feições grosseiras, grandes brincos e grandes unhas. Uma Kim Kardashian com roupa menos dispendiosa mas igualmente feia. 

E se a versão original já é o que é, imaginem-se as imitações. Claro que quem diz Kardashian diz qualquer outra mulher de aspecto vulgar e ordinário. 

 Muitos dirão que mulheres assim não servem para namoro sério, mas quando reparam nisso foram-se deixando ficar e têm ao lado a Xana do ginásio...o que vêm a lamentar depois.
 Mesmo que seja bonitinha e não exactamente má pessoa, quem se apresenta assim não revela nem muita cultura nem muito miolo... e de certeza que indica pouca seriedade, já que  o carácter faz a roupa - no mínimo, gosta de atrair a atenção masculina, mesmo negativa.
 Ainda que você seja uma pessoa super fofa que não julgue ninguém pelas aparências, assim uma espécie de Pai Natal, ou ache muito divertido passear-se com uma boneca de feira (há gostos e inseguranças para tudo) a má imagem de uma mulher assim vai ficar associada à sua. No mínimo,é muito aborrecido suar frio quando pensa como há-de apresentá-la aos seus pais ou levá-la à festa da empresa, para não falar que caso corra mal, será mais difícil ser levado a sério por mulheres elegantes e bem comportadas.
 Se uma mulher não tem sentido do decoro e do ridículo, o mais certo é não ser de confiança.


5- A Enjoada



Este é um espécime raro, mas que anda para aí.

 A Enjoada é um jarrão, com a diferença de que se mexe um bocadinho mais, mas não muito: não gosta de comer, não gosta de passear, não tem interesses, não fala, não tem expressão a não ser a cara de quem saboreou um limão sem lhe pôr açúcar primeiro, não ama, não detesta, não tuge nem muge, se você desaparecer sem dar palavra durante uma semana ela é capaz de nem dar por isso nem que não parem de passar ambulâncias à porta; tudo para ela é nhe.
 Os seus poucos amigos são meia dúzia de pessoas tão chatas, inexpressivas e pouco interessantes como ela. Isso pode advir de uma certa falta de mundo ou de espírito, de preguiça, desinteresse pelos outros ou timidez. Não é que venha mal ao mundo de uma Enjoada... mas sinceramente, os casos que tenho visto de cavalheiros que se envolvem com uma rapariga assim têm dois motivos: ou o rapaz está desesperadamente solitário (e ao namorar com uma Enjoada pouco mais adianta) ou escapou das garras de uma Chica Esperta ou de uma Mandona e quer freneticamente um pouco de silêncio e a companhia menos estimulante que conseguir arranjar.


 6- A "amiga" stalker

Aparentemente, é só uma rapariga apagada ou feiota com uma grande admiração por si que está sempre disponível para o ouvir, para ser o ombro amigo, que o elogia e encoraja e é extra activa a comentar e aprovar qualquer movimento seu no Facebook ou Ttwitter...com segundas intenções, claro. A sério que não percebeu? 

O pior é que quer lhe tenha dado atenção por mera delicadeza (pois não se sente atraído por ela) por pena (coitada, é tão desengraçadinha) porque achou graça à brincadeira (sempre lhe massajava o ego) para arreliar a ingrata da sua namorada com quem se zangou ( mostrando que também tem admiradoras) ou lhe tenha passado pela cabeça aproveitar -se da situação (que coisa feia!) vai arrepender-se de certeza. 

Quando dá por ela, a infeliz torna-se um autêntico fungo: inscreve-se no mesmo ginásio, arranja todas as desculpas para o contactar, envia-lhe citações do Pedro Chagas Freitas, publica frases de fazer corar um carroceiro nas redes sociais e mostra a quem quer ouvir que está numa relação consigo, mesmo que nada ande mais longe da verdade.

 Qualquer amizade com pessoas do sexo oposto precisa de limites, e é preciso atenção para não dar a pessoas carentes uma desculpa para intimidades não solicitadas. Se estiver numa relação, "amizades" dessas podem causar problemas graves e são uma forma de infidelidade leve em qualquer parte do mundo. Se não estiver...arrisca-se a entrar numa: quanto mais não seja entre a amiga da treta, você e o seu advogado, a quem vai implorar, pelas alminhas, que despache a ordem de restrição.

7- A mulher da Luta
Sobre este espécime já quase se escreveu uma tese por aqui, mas cuidados e caldos de galinha nunca fizeram mal a ninguém. A mulher da luta pode tomar várias formas (a namorada carente e hiper controladora, a ex namorada maluca, a pretendente doentia, etc), agir com diferentes motivações (insegurança, medo de acabar sozinha, desejo de ascenção social/interesse) e ter qualquer idade ou aparência. É raro que uma beldade se torne uma Mulher da Luta porque como não lhe faltam admiradores dificilmente acumula a dose de desespero necessária para dar nisso, mas nunca fiando: traumas e parafusos soltos podem suceder a qualquer uma.

   A frase preferida da Mulher da luta é a pirosíssima "eu vou lutar por ele/por ti/por este amor", o seu lema é "água mole em pedra dura tanto dá até que fura"  e a sua característica mais flagrante é a falta de dignidade: mete na sua cabecinha que aquele homem lhe pertence e ferra-se na vida do coitado, mesmo que o rapaz já não esteja (ou nunca tenha estado) interessado. De servir de ombro ao ex quando ele se queixa da actual namorada (com intenção de o "fisgar" de volta) a perseguir o rapaz na rua (visto com os meus olhos) passando por fazer vista grossa a infidelidades, a Mulher da Luta é um tapete, mas um tapete voador e capaz de tudo.

Isto pode parecer conveniente a alguns cavalheiros mais comodistas...só que não.
 Primeiro, porque se a mantiver por perto (mesmo como amiga ou distracção ocasional) ela vai tentar minar-lhe quaisquer outros relacionamentos; segundo, porque uma Mulher da Luta não gosta realmente de ninguém: quer tanto um homem ao seu lado que vai dedicar fidelidade canina ao primeiro que lhe der atenção, independentemente da compatibilidade ou de ter sentimentos genuínos.

 E terceiro, porque é muito difícil livrar-se dela: conheço mais do que um cavalheiro que se viu literalmente encurralado numa relação que nunca desejou de facto e foi um sarilho para escapar. Isto se ela não entrar em modo vingança: uma Mulher da Luta demora muito a perceber que não é desejada, mas quando finalmente se apercebe da rejeição perde as simpatias e faz coisas estranhas, como furar pneus e destruir carros. Exagero? Conheço pelo menos dois casos graves, fora o resto.


 8- A necessitada...ou desesperada

Esta é uma forma mais leve de mulher da luta, mas igualmente maçadora. 
Ao início parece um amor, e a um homem tímido ou preguiçoso facilita imenso...em todos os sentidos. Ela convida-o para sair. Ela declara-se. Ela não opõe resistência a nenhum avanço. Ela organiza jantares de três pratos no segundo encontro. Ela gosta de tudo o que você gosta, engraxa os seus amigos, não nega nada, suporta qualquer coisa, é tão carinhosa que soa postiço, faz TUDO para agradar...ou melhor, para invadir a sua existência. E dali a nada começa a deixar coisas em sua casa, a ver se se muda para lá, telefona constantemente, não tem vida própria...uma verdadeira carracinha.

 Além de não ter personalidade alguma e de tomar atropelar todas as fases naturais de uma relação de modo passivo-agressivo, o que a torna num apêndice e não numa namorada (coisa que além de aborrecida não tem utilidade nenhuma, a não ser que tenha tido apendicite e sinta falta de um apêndice) e de ser péssimo entrar num relacionamento desapaixonado só porque "estava à mão", mantém-se o que foi dito acima: mulheres assim estão interessadas num companheiro, não na sua pessoa; não aceitam a rejeição; e em última análise, facilitaram consigo como facilitariam com outro qualquer. Especial? Not.


9- A interesseira



Esta dispensa apresentações, embora as haja mais subtis do que outras e de diversos tipos: das Maria Chuteiras (que têm preferência por jogadores de futebol) às groupies da política, há de tudo e é escusado dizer que o sonho da vida delas é arranjar quem as carregue. Depois, os métodos e tiques são  sempre os mesmos: uma interesseira vai concordar com TUDO o que o alvo diz, gostar de tudo o que ele gosta, ser uma simpatia, fazer muitos risinhos, dar todas as mostras de o amar para todo o sempre mal acabou de o conhecer,pôr o carro muito à frente dos bois e agir à velocidade da luz, tudo com o mesmo objectivo. Como a reputação as costuma preceder e basta reparar em certos detalhes - como a preguiça e gostos que não condizem com a carteira, ou um fundo grosseiro - para as detectar, o remédio é mesmo manter a cabeça fria. Uma interesseira é tão óbvia como qualquer alpinista social, apenas pode distrair com trapos reduzidos, saltos altos, muita bijuteria e outros acessórios...

10- A inalcançável

Uma coisa é a coquetterie: uma mulher não ser óbvia e fazer-se um bocadinho difícil. Outra, é uma mulher que só o vê como amigo - paciência, ou aceita que ela só pode oferecer amizade e parte para outra ou atribui um ponto pela honestidade e sai de cena. 

Mas outra ainda - e isto sim é mau -  é a rapariga que mantém um cavalheiro esperançado, na expectativa, colhendo favores meses (às vezes anos) a fio, sem nunca dizer que sim ou que não. Um "relacionamento" assim não tem futuro: ainda que a venha a conquistar o mais provável é ficar a ser sempre o elo mais fraco ou seja, gostar muito mais dela do que ela de si. Se a menina não sabe o que quer, é melhor recomendar-lhe uma viagem de auto conhecimento- talvez descubra que você é o homem perfeito quando voltar de um ashram imundo nos confins da Índia! É que nem é por si, é por ela. se não tem coragem para se explicar depois da sua décima declaração de amor, está a ser no mínimo um bocadinho egoísta, um bocadinho infantil.
 Numa relação ambos devem estar igualmente apaixonados, caidinhos, entusiasmadíssimos. Ninguém merece ser amado assim assim nem tomado por banana injustamente, e muito menos ser usado quando dá jeito à outra parte. Raparigas igualmente bonitas/amorosas/interessantes em busca de um companheiro decente é o que não falta, logo...não há necessidade de suspirar pelos cantos por alguém que não o vê da mesma maneira.



2 comments:

Sérgio S said...

Felizmente anda por aí muita moça jeitosa ainda... :p

Imperatriz Sissi said...

Sem dúvida! Apesar de pagarem umas pelas outras, às vezes ;)

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...