Recomenda-se:

Netscope

Sunday, December 21, 2014

Dicas *razoáveis* para festejar sem engordar


Todos os anos é o mesmo sermão - revistas, sites e amigos a anunciar aos quatro ventos o pavor de engordar durante as Festas. Quase se pode dizer que é de rigueur ganhar uns quilos nesta altura do ano, que se engorda só pelo medo ou que como ninguém gosta de engordar sozinho, trata de contagiar os outros.

Depois, mal entra o Ano Novo, começam as reviravoltas paranóicas e as resoluções de emagrecer à pressão, porque ninguém quer começar Janeiro em modo rechonchudo...

 Pessoalmente não gosto de ler essas coisas - acho que estragam a alegria a qualquer um. Festa é festa, a época é para dar graças pelo que se tem e aproveitar, a vida são dois dias e para emagrecer basta viver porque as arrelias inevitáveis consomem calorias que chegue, desde que não se ande por aí  a rezar o mantra "ai que eu engordo, ai que eu engordo".

 Mas para afastar o pânico, não exagerar e ficar mais descansada (o) há meia dúzia de estratégias que fazem a diferença:


  - Fazer opções


Acho sempre engraçado quem diz que engorda quando come bacalhau cozido na Consoada (lá em casa sempre se chamou ao bacalhau com todos comida da fome, porque dali a nada parece que nem se jantou). Se essa for a sua opção à Ceia, é só evitar as batatas e preferir legumes a acompanhar, porque...é peixe. Proteínas cozidas não podem engordar ninguém a não ser que se vire um caldeirão inteiro, eu acho.  Caso a sua família opte por outra coisa (de polvo a cabrito passando por sushi, há quem sirva de tudo hoje em dia) siga a mesma regra: mais proteínas e uma pequena dose de hidratos de carbono.
O mesmo vale para as sobremesas - são preferíveis as que têm mais fruta, ovos, natas, chocolate e frutos secos a muita farinha.

- Dosear

Uma coisa é provar de tudo, outra coisa é enfardar a esmo e ficar a rebentar. Se está perante várias sobremesas e tudo lhe parece bom, tire uma amostra de cada.
 Depois sirva-se em maior quantidade APENAS daquela (ou daquelas) que realmente adorou. O mesmo vale para as bebidas alcoólicas: se já bebeu vinho e champagne, se calhar é melhor saltar o copinho de licor super especial do seu tio no fim: assim como assim, o mais certo era cair-lhe mal depois de tantas misturas e tanta comezaina....e não há nada pior que ficar enjoado (a). Coca Cola light faz as vezes da outra e no meio de tantos doces, nem vai sentir a diferença.
 Muita gente também não aprova o adoçante, ou acha ridículo pôr uma pastilhinha no café depois de um banquete, mas grão a grão vai a galinha engordando e o açúcar refinado até pode não engordar muito, mas faz inchar. Em suma, faça pequenos cortes que somados, vão poupar redondezas supérfluas.


- Distribuir

Muitas vezes, depois de tempos infinitos à mesa, já nem há vontade de comer doces, mas...é suposto servir-se da sobremesa e pronto. Se já não lhe apetece por aí além, guarde a mousse, bavaroise, petit gâteau ou trouxas de ovos para o lanche. Por vezes parece que uma pessoa se levanta super satisfeita, mas esteve entretida a conversar e na realidade não comeu tanto como isso. Deixar a sobremesa para quando estiver realmente com fome ajuda a dividir o consumo de guloseimas. 
 O hábito de "atacar" as filhoses ou bolo Rei que sobraram também pode ser canalizado para o pequeno almoço, quando o metabolismo está mais rápido e logo, mais tolerante a excessos.

- Ouça o seu corpo

O nosso organismo fala connosco, mas muita gente não aprendeu a ouvi-lo. Se não consegue largar determinado doce ou petisco que apareceu na mesa em detrimento dos outros, talvez o seu corpo tenha falta de determinado componente (ferro, iodo, sabe-se lá!) que ele contém. Da mesma forma, os seus órgãos vão "queixar-se"  se já tiver suprido essa carência e estiver a exagerar, enviando-lhe uma ligeira sensação de enfartamento ou enjoo. Aí pare de comer e vá fazer outra coisa - ajudar na cozinha, pôr lenha na lareira ou dar uma volta ao ar livre, por exemplo. A velha máxima "devemos sempre levantar-nos da mesa com o estômago um bocadinho leve" não deixa de se aplicar na época festiva.


- Mexa-se

Lá porque estamos a celebrar não quer dizer que o exercício tire férias. Mantenha a sua rotina habitual, quanto mais não seja para não enferrujar nem ganhar má postura. Depois, entregue-se com entusiasmo às tarefas inerentes à época - a correria para comprar os últimos presentes, embrulhar e ensacar, procurar musgo para o presépio, ir buscar isto e aquilo, limpezas de fim de ano...tudo isso mantém o metabolismo alerta. Ainda que mande fazer tudo fora e/ou tenha ajuda em casa, não "aterre" no sofá à espera do Menino Jesus. Pense como um elfo atarefado - já viu algum ajudante de Pai Natal gordo? Ou um Rei Mago barrigudo? O Pai Natal não conta, esse bebe Coca Cola como se o mundo fosse acabar para ter energia durante a distribuição dos brinquedos...A Popota também não é exemplo para ninguém, a não ser que se queira aprender pela negativa.

- Vitamine-se

Começar o dia com sumo de laranja garante que o organismo funciona a toda a velocidade, queimando o que deve queimar.  Salvo contra indicação médica, suplementos de chá verde e outros anti oxidantes, Omega 3, iodo, crómio, ananás, alcachofra, pimenta de caiena, cavalinha, coco ou toranja, etc, etc... desintoxicam, aceleram o metabolismo e compensam algum desequilíbrio na dieta quando consumidos com sensatez. Se tem preocupações com a linha, nada como falar com o Bom Doutor antes para saber se pode tomar alguma "poção mágica" natural que lhe tire pesos da consciência e ajude o corpo a fazer o seu trabalho de forma saudável. E claro, beber muitíssima água, especialmente de manhã, sacia e limpa o sistema.

No comments:

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...