Recomenda-se:

Netscope

Tuesday, January 13, 2015

Quando estrearem as "50 sombras", lembrem-se destas três coisas.

Esta carinha a esforçar-se por ser sexy parece-me cómica.
Mas afinal o filme é uma comédia?

E trago o assunto à baila de novo, apesar de até me cair mal pensar nisto, porque estou descabelada de o ver a torto e a direito nos meus feeds: quer em artigos de revistas (que deviam pôr juízo na cabeça das mulheres mas vão atrás daquilo que vende) quer em posts de bloggers tontas que lhe chamam, aos pulinhos e aos guinchinhos, "o filme mais aguardado do ano!". 

 Já há kits alusivos para o Dia dos Namorados e tudo, prova provada que a piroseira e a pinderiquice têm uma extensão sem limites:




Pois antes que o filme estreie fiquem lá com três recadinhos, porque na altura posso não me lembrar:

1- A algumas feministas, a quem um filme palerma ofende tanto (porque outras tantas poderão achar libertador, sabe-se lá): recordo-vos que tanta gritaria para que os homens se tornassem mais fofinhos e sensíveis, "em contacto com as suas emoções" e para que as mulheres "agissem como homens na hora de sair e namorar"... deu nisto. 

Homens efeminados incapazes de tomar uma iniciativa, de serem assertivos e masculinos; e mulheres exaustas, inseguras, que agora suspiram por alguém que tome as rédeas da situação e seja obcecado por elas.  Como andaram sempre elas atrás dos rapazes, agora sabe-lhes bem ser conquistadas para variar, nem que seja de uma maneira distorcida de todo. Por um maluquinho doentio com cara de bebé,  algemadas e à bordoada. Estão a ver o círculo vicioso?

2 - Às mulheres patetas que compraram o livro e agora vão a correr ver o filme: deixem de confundir a cabeça da cara metade. Ou bem que são umas Samantha Jones da vida que dão sempre o primeiro passo, que são totalmente independentes e que querem um homem moderninho e armado em sensível (problema vosso) ou bem que admitem que o que querem é um marialva que rasgue as camisas de noite. Mensagens contraditórias é que não dá!

 E no entretanto, parem de ler esta e outras parvoíces. Larguem essa porcaria e vão buscar um livrinho que ensine alguma coisa: leiam Jane Austen, leiam todos os clássicos, façam umas horas extra no emprego a ver se compram aquele pacote de férias, aqueles sapatos ou se começam uma poupança, redecorem a casa de jantar, vão dar comida aos sem abrigo, limpar o armário, tirar um mestrado em física quântica, rachar lenha, o que quiserem, porque qualquer coisa será mais saudável do que isto.  Bem dizia D. Francisco Manuel de Melo, autor que tão bem aconselhava o mulherio e que todas deviam ler a bem da compostura e harmonia conjugal, que o amor aos romances de cordel é a raiz de muitos males.

3 - Aos maridos e namorados que vão todos contentes ver o filme, achando que fazem uma coisa muito romântica. Ou que não dizem ai nem ui por a vossa cara metade ir ver o filme com as amigas, com os tais guinchinhos e pulinhos: oh seus grandessíssimos bananas, que são dignos realmente de mulheres desmioladas.

Depois queixam-se que são tratados como paspalhos, que fazem de vocês gato sapato, etc. 

 Das duas uma: ou estão mesmo bem um para o outro para não ver mal nenhum numa falta de originalidade tão grande, ou não há em vossa casa um bocadinho da afamada racionalidade e objectividade  masculina para pôr as coisas nos eixos. Se a vossa mulher/namorada/companheira suspira pelo Mr. Grey, é porque algo falta, nomeadamente um homem que segure as pontas e evite descalabros.
 Aliás, ter uma atitude à Mr. Grey, de deixar a vossa respectiva sem fôlego, seria trancar a  porta e dizer "hoje quem manda aqui sou eu e nem que tenha de te algemar não vais ver essa porcaria, que eu não gosto cá de mulheres malucas".

 Já que tanto sonham com "autoridade" e algemas, ao menos que isso sirva para lhes salvar alguns neurónios.





6 comments:

Rita Castro said...

Não é por achar "piroso" ou mais meia dúzia de adjectivos que as pessoas que gostaram do livro e estão interessadas em ver o filme, são menos que a senhora :) acho que este post acaba por ser um tantinho ofensivo. É basicamente dizer que gosta da obra... e gosta do resto que vem por acréscimo é idiota ou afins. Mas pronto, cara Godmother no seu expoente máximo de critica.

Ulisses L said...

HAHAHAHAHAHAHA

O que eu me ri com este teu post...

Em relação à foto do rapaz, há que dizer que o puto deve ter crescido a ver anuncios da Martini, e depois, claro, dá nisto!

Mas pelo menos o gajo da Martini tinha pinta!

Em relação à xaropada-romântica-disfarçada-de-romance-BDSM (que eu me dei ao trabalho de ler ainda antes de estar traduzida porque só se deve dizer mal do que se conhece) até consigo perceber o impacto que teve na maior parte das quarentonas/cinquentonas que via a ler o livro nos transportes (com a capa devidamente tapada, claro - mas o rubor nas faces não enganava ninguém). Algumas, colegas de trabalho com quem tenho confiança, chegaram a confessar-me que havia lá coisas que jamais se lembrariam que existiam, coisa que me deixou, muitas vezes, perplexo. E sim, a maior parte delas suspira por um Homem com H grande, que não precisa de ser um Zézé Camarinha, lógico, mas que sabe ter pulso nas situações e sabe tratar uma mulher como ela deve ser tratada, no quarto e fora dele.

Já não percebo muito bem é o contágio a malta de gerações mais novas...
...mas mesmo a mais empedernida feminista gosta de Bad Boys (podem até dizer que os detestam, mas quando aparece "aquele..."), portanto...

Mas depois, no fundo, mas bem lá no fundo, o Grey é o estereotipo perfeito: Um semi-bad-boy- que é assim-porque-o-lixaram-todo-quando-era-puto-e-precisa-de-uma-miuda-boazinha-e-encantadora-para-o-salvar!

:)

Imperatriz Sissi said...

@Rita, não quis dizer que toda a gente que veja o filme/leia o livro é idiota (embora haja uma relação esquisita entre a tolice e a adoração pelo best seller; parece que as mulheres mais patetas que conheço todas gostam dele) mas esta idolatria é no mínimo ingénua.
Primeiro, porque nada ali é novidade, segundo porque folheei o livro para ficar com uma ideia e era uma xaropada tal, uma seca tal, que não aguentei, depois porque o trailer parece mais pegajoso ainda. Por fim, é estranho que passem a vida a pregar os mandamentos da Cosmopolitan para afinal quererem um homem à moda antiga, embora de uma maneira doentia (porque o herói não é lá muito bom da cabeça). Isso tudo adicionado a uma overdose nos meus feeds e é como diz, a Godmother ficou em modo Godmother.

Imperatriz Sissi said...

@Ulisses, obrigada! Já disse por aqui no texto "é dos maus rapazes que elas gostam mais?" que a suposta preferência por bad boys não passa de uma confusão. As mulheres não gostam de quem as faz sofrer, nem de homens pouco íntegros. Apenas confundem isso com masculinidade e assertividade - "pulso", como dizes. Só que a maior parte dos homens está tão descaracterizada que o primeiro parvalhão que tenha atitudes aparentemente másculas passa por aquilo que não é...

As mais velhas caem nisso porque são um produto dos anos 60/70, digo eu; e as mais novas porque enfim, vão na moda e nunca conheceram outra realidade; em última análise, são filhas desses produtos dos anos 60, da revolução, etc.

Quanto ao livro, muitas ficarão tão espantadas por falta de outras referências literárias. Nunca ter ouvido falar em tal...então e os clássicos do género? Não é preciso tê-los lido, basta ter ouvido falar em personagens como o Marquês de Sade. Enfim, a autora descobriu um filão!

Lingua Afiada said...

O que me ri com este post!
É que penso mais ou menos o mesmo, não entendo o histerismo.
Quando vi o trailer do filme só pensei que podiam ter escolhido um ator mais bonitinho e mais charmoso… Porque independentemente de o livro parecer mais uma daquelas edições da Sabrina em versão hot, não me lembro do nome da outra que tinha histórias com cariz mais erótico, o filme ao menos podia dar para regalar a vista, mas também que ator é que se iria prestar a este papel?
Acho que as mulheres não sabem o que querem, não sei se a culpa é da educação, da falta de valores, do facilitismo, da revolução sexual que foi feita tardiamente e de forma pouco natural ou de todos os fatores em conjunto, mas que as mulheres andam trocadas andam.
Não quer com isto dizer que todas as mulheres que leram o livro e querem ver o filme sejam umas doidivanas, mas aquelas que sentem que é o filme mais aguardado de sempre para verem finalmente a personificação das personagens essas sem dúvida têm sérios problemas. O filme até pode ser o mais aguardado do ano devido ao marketing à sua volta, mas daí até sentir essa antecipação com nervosismo, o comprar bilhetes em antecedência como se houvesse a possibilidade de nunca mais ver o filme na vida vai uma diferença muito grande, diria imensa.

Imperatriz Sissi said...

@Língua Afiada, grazie! Eu não diria melhor. É certo que andam trocadas e não sabem o que querem, por uma combinação dos factores que enumerou.
E estou de acordo - o mal não está em ter lido o livro (quem teve paciência) ou em espreitar o filme, mas em fazer disso cavalo de batalha e manifestar essa histeriazinha em público. Tanta evolução e continuam a dar uma imagem de patas chocas...

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...