Recomenda-se:

Netscope

Saturday, January 3, 2015

Uma mulher disciplinada vale ouro.


No seu livro de 1959 dedicado às donas de casa que queriam vestir de forma elegante e feminina sem gastar rios de dinheiro, a modelo e designer Anne Fogarty - famosa pelos seus figurinos glamourosos ao estilo Dior - dá um conselho inestimável:

 "Discipline is the secret of good grooming, well-cared for clothes, and an organized household".

E cá entre nós, isto não se aplica só à apresentação pessoal ou cuidado do lar -  trabalhos que é preciso repetir diariamente -  mas a tudo na vida.

Precisamos de disciplina para manter a boa forma, para fugir de más decisões ( na carreira, nos relacionamentos, nas amizades) para evitar aquisições que dão cabo da carteira, para lidar com as emoções nos momentos menos bons.


Ser disciplinada pode fazer a diferença entre saber gerir uma crise ou sucumbir ao desânimo; entre sair de uma relação complicada com a auto estima intacta ou ficar de rastos; entre deixar-se influenciar por farpas de pessoas mal intencionadas e fazer-lhes ouvidos moucos, ou rir do assunto.

   Até coisas como gostar o suficiente de si própria para não permitir que ninguém a trate mal dependem da disciplina, porque a auto confiança é posta à prova todos os dias. Tal como um guerreiro, uma mulher precisa de um auto domínio de ferro. 

É fácil ceder a preguiças, tentações, medos e desleixos, pequenos e grandes: não se maquilhar pela manhã; continuar ao lado de uma pessoa que faz dos outros tapete, porque é cómodo; não se dar ao respeito porque se habituou a sentir que vale menos do que os outros; não tentar um reajuste profissional, porque dá trabalho ou é assustador; não investir em si mesma, porque não tem tempo; não enfrentar alguém que a intimida, para evitar confrontos; engolir coisas  - ou pior, acreditar em palavras - que magoam ou diminuem, porque é hábito; ter o quarto, closet ou escritório desarranjado...porque não sabe por onde começar.

 Muitas vezes, a diferença está mesmo em ser disciplinada que baste para dizer aos seus botões "acabou-se a brincadeira e quem domina isto sou eu". E de seguida, dizê-lo ao mundo, que adora sempre quem fala como quem não admite dúvida.

 Ou como dizia a outra, "the question isn't who is going to let me; it's who is going to stop me." Quem não tem mão em si própria, está muito mal entregue.

1 comment:

Anabela Teixeira said...

Este post acabou de fazer toda a diferença.

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...