Recomenda-se:

Netscope

Wednesday, April 22, 2015

Duas irmãs, duas it girls, uma virtuosa a outra não

Dorothy, Lady Worsley,  e Jane, Lady Harrington: uma escandalosa, outra virtuosa

Hoje fiquei a saber que a actriz Natalie Dormer (a Ana Bolena de The Tudors) vai interpretar no cinema uma it girl do século XVIII que deu bastante brado na Inglaterra do seu tempo: Seymour Dorothy Fleming, Lady Worsley.

 Uma rica e bela herdeira, Dorothy ficou sem o pai muito cedo, sendo criada pela mãe que não tardou a casar com um magnata das índias Ocidentais. Talvez a perda da figura paterna, rapidamente substituída por um padrasto sexagenário (e podemos imaginar, com pouca paciência para educar raparigas) tenha influenciado as suas decisões insensatas: aos 17 anos, casou com o jovem e bem parecido Sir Richard Worsley, Baronete de Appuldurecombe House, levando consigo um dote considerável:52 mil libras.

Natalie Dormer como Dorothy, em The Lady in Red

No entanto, apesar do nascimento de duas crianças (das quais a primeira morreu na infância e a mais nova teve a paternidade posta em causa) a união do bonito casal despedaçou-se rapidamente: segundo as más línguas, Dorothy foi infiel ao pobre homem desde os primeiros tempos.
 Atribuía-se mesmo à estouvada rapariga o número impressionante de 27 amantes. Richard, furioso por se ver constantemente enganado (podemos concluir daqui que ou algo estranho se passava naquela casa, ou era um esposo invulgarmente tolerante) chegou a processar um deles, mas o cúmulo estava por vir...

Em 1781, Dorothy fugiu efectivamente com o vizinho (e melhor amigo do marido) o Capitão George M. Bisset. Seguiu-se um escandaloso processo em tribunal, com Richard a acusar o amigo da onça de "danos à sua propriedade". A lavagem de roupa suja desceu ao mais baixo nível, com testemunhos das "dúzias" de amantes da mulher, do médico desta (a atestar as doenças pouco decentes que o Marquês de Graham lhe tinha transmitido) e afirmações de que o marido, dado a caprichos e bizarrias de alcova, era conivente com a situação...

 Tudo acabou em branca nuvem, com uma separação não oficial. Dorothy, que entretanto gastara toda a sua herança, continuou a usar o nome Lady Worsley e acabaria por se tornar uma demimondaine de alta classe, pertencendo ao grupo restrito de senhoras bem nascidas mas sem meios que se dedicavam à vida galante...um fim previsível!

Sir Richard Worsley, o marido enganado de Dorothy
  Mas o mais estranho é que Dorothy tinha uma irmã mais velha, Jane, tão ou mais bonita, que era o oposto dela em tudo. Co-herdeira da colossal fortuna paterna, fez um bom casamento com o herói de guerra Charles Stanhope, 3º Conde de Harrington. Próximo dela em idade e de uma aparência agradável, Charles soube conquistar-lhe o coração: viveram sempre unidos e tiveram dez filhos. 
Jane e o marido, Charles
Jane provou ser capaz de administrar generosa e sensatamente os recursos de que dispunha. Financiou mesmo um regimento de Infantaria, partindo com este e com o marido para a Jamaica. Ao regressar a Inglaterra, um ano mais tarde, encantou a sociedade com a sua beleza e sentido de estilo, rivalizando apenas com a sua amiga, a imbatível Duquesa de Devonshire.

Lady Harrington e o marido  gozaram sempre de grande popularidade e Jane era considerada um modelo de virtudes num meio particularmente dissoluto. Talvez por isso entrasse ao serviço da Rainha Charlotte, que a  estimava muitíssimo. Segundo os amigos, ela viveu uma felicidade perfeita: "foi abençoada com paz doméstica, uma adorável descendência e todos os afectos que tornam a vida desejável".

 Mais uma prova de que mesmo quando o destino favorece muito uma mulher, a alegria ou a desgraça dependem do seu juízo e sensatez...



No comments:

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...