Recomenda-se:

Netscope

Sunday, May 17, 2015

Schwarzkopf Keratin Color, ou o ruivo veneziano descomplicado

Já tenho partilhado convosco que a Schwarzkopf é uma marca em que confio de olhos fechados quando se trata de cuidados para o cabelo. E também vos contei em tempos a minha relação com a coloração: diverti-me imenso com isso durante o liceu/faculdade (já que detestava cortar o cabelo, experimentei várias cores) mas a dada altura decidi que seria mais feliz com o meu acobreado. 
  De vez em quando avivo a cor com qualquer nuance de Ticiano (vou variando com tons entre os dourados/venezianos e o auburn) para o deixar mais brilhante, mas dou sempre preferência a linhas que primem por um aspecto natural (até porque como comentámos por aqui, é muito fácil um cabelo claro ou ruivo ficar cor de beringela se usarmos a coloração errada). E mesmo recorrendo às melhores, acontece por vezes o que chamo o "choque dos dois dias" ou seja, ao início o efeito é demasiado pigmentado, com um brilho artificial.
No entanto, nada disso sucedeu com a Schwarzkopf Keratin Color, que a marca me convidou a experimentar nestes primeiros dias de sol. 
Além da fórmula com keratina (importante para reforçar a fibra capilar, evitando fios quebrados até 80%) e de uma cobertura perfeita (mesmo em tons louros) esta nova marca promete 12 tons naturais mas vivos, que iluminam e realçam a pele. Ideal para uma coloração eficaz (pois se há coisa frustrante é "pintar o cabelo com uma cor tão natural que não faz rigorosamente nada") mas não agressiva para as madeixas, nem de ar "sintético"...e livre do odor a amoníaco.
 Como a partir da Primavera são bem vindos os tons um pouco mais abertos, escolhi o 6.0 - Louro Escuro. Fiquei muito tentada pelo Castanho Acajou Acobreado, mas por norma um louro escuro basta -me para realçar os reflexos ruivos  sem parecer uma cenoura, por isso...assim fiz, e não me arrependi. Eis o meu cabelo antes - num auburn mais escuro.
 No processo de coloração propriamente dito, a maior inovação é o Sérum de Cuidado com keratina, aplicado antes, que deixa as mechas extremamente macias e prontas a receber a cor de forma homogénea e sem danos - além de facilitar a aplicação sobre cabelo seco. Depois, como de costume, há o terceiro passo (que foi o meu favorito). O condicionador de cuidado com keratina é maravilhoso - tão bom, tão bom que aqui fica o apelo para o venderem em separado. Num frasco bem grande. 
O melhor de tudo?
O resultado é impecável, sem "choque dos dois dias". Ou seja, ficou exactamente como pretendido logo a seguir à coloração.
Por fim, eis o resultado: um ginger ou strawberry blonde, conforme a luz (as imagens foram tiradas em dias diferentes, como notarão) . Para quem quiser conseguir um tom Ticiano sem complicações, sem surpresas e com segurança, está recomendadíssimo.










4 comments:

Inês Sousa said...

Bom será então a próxima gama da Schwarzkopf a exprimentar com toda a certeza. Para mim, este ano está a ser o ano Schwarzkopf em termos de tintas. Em janeiro, comecei pela Essensity, agora em Abril experimentei a Igora e a seguir porque não a Keratin Color. As tintas são francamente boas nas gamas já testadas.

Sandra Marques de Paiva said...

Quantas caixas são necessárias para uma aplicação?

Imperatriz Sissi said...

@Inês, nunca usei algo desta marca de que não gostasse. Mesmo quando tinha o cabelo platinado...

@ Sandra, uma chegou e sobrou até porque o sérum que se aplica previamente faz com que a tinta se espalhe com muita facilidade.

Sandra Marques de Paiva said...

Vou experimentar ;)

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...