Recomenda-se:

Netscope

Tuesday, July 14, 2015

Afinal, a Leninha sempre tem complexos.



Lembram-se de falarmos, no ano passado, das palavras da saudosa Joan Rivers acerca de Lena Dunham?

A comentadora não teve medo de contrariar a converseta politicamente correcta e graxista que uma certa imprensa tentava fazer o público engolir acerca da actriz pseudo intelectual - ou seja, de que Dunham é "linda" (apesar de fazer questão de se apresentar com um aspecto mal enjorcado, de saco de batatas, quando não roça o propositadamente repugnante) e muito superior às vaidades femininas.

Claro que qualquer pessoa com um pingo de inteligência percebia que isso era tudo treta, pois Lena ficou contentíssima de aparecer toda embonecada na Vogue, admitiu que fazer capa da mítica revista era um sonho de menina e ainda se zangou muito quando alguém se divertiu a vazar as imagens sem photoshop da sessão. 

Com uma autoridade que só a idade confere, Ms. Rivers, God rest her soul, não esteve para ouvir tais disparates e pôs tudo em pratos limpos: disse categoricamente que todas as mulheres se importam com o seu aspecto por mais que tentem demonstrar o contrário e que o ar desleixado de Lena era um péssimo exemplo para as jovens.


 E claro, tinha razão. Entretanto a Leninha deu grande brado com um livro cheio de balelas nauseantes, que fizeram o público gostar menos dela (ou perceber que algo não vai bem naquela cabeça) e começou a ser amiga de Taylor Swift (ou a desencaminhar uma rapariga que, fora o extenso currículo amoroso, até era do mais normalzinho que por aí andava).



 Participou no vídeo Bad Blood e em consequência disso, ao ser convidada para aparecer em palco com Taylor e as amigas super modelos durante a digressão, admitiu que não gostou nada de se ver, baixinha e gorducha (só faltou o "dentuça") e sem maquilhagem ao lado das beldades de serviço. "Não volto a meter-me em tais assados!" confessou. 

 Bom, vamos por partes: primeiro, um ponto pela sinceridade, apesar dos palavrões e parvoíces na entrevista. Mais vale tarde do que nunca. Depois, não é preciso ser atarracadita e sem graça como a Lena para que estar num palco ao lado de anjos da Victoria´s Secret super produzidas seja um desafio. Todas as mulheres, mesmo as mais bonitas, têm as suas inseguranças.


  Claro que, sei lá, Scarlett Johansson ou Eva Mendes poderiam não achar muita graça ao ser colocadas junto de mulheres que de saltos de 12 cm maiores parecem, mas o contraste seria só no tamanho. Porém, uma coisa é aquilo que não se pode modificar - a não ser através de truques cinematográficos - outra é o que está na mão de cada uma.

Que diabo, é difícil Lena Dunham parecer alta e com cara de boneca como uma modelo, mas não custava nada passar um pouco de maquilhagem pelo rosto, pôr uma roupinha mais gira e calçar uns saltos.  No videoclip de Taylor Swift ela estava bem engraçadinha. Com um estilo andrógino, lesbian chic, certo, mas com piada. Se apareceu desleixada porque acha que isso a faz parecer muito profunda e transcendente, é bem feito que não gostasse de se ver.


Pode ser que assim abra os olhinhos sem pestanas (ou ponha um pouco de máscara nas ditas, a ver se fica com pestanas para abrir) contrate um personal stylist que lhe resolva os complexos e a vontade de se auto punir (porque os psicólogos em que admite andar desde pequena pouco adiantaram) e deixe de dar maus exemplos, que relaxaria já há que chegue.

Joan Rivers deve estar a fartar-se de rir no outro mundo...




No comments:

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...