Recomenda-se:

Netscope

Wednesday, July 8, 2015

As "Zecas" da vida - ou um cartoon que faz cá muita falta.

A revista Crónica Feminina tinha, nos anos 60, um cartoon muito engraçado: "Zeca e a Vida". Os desenhos, que eram um encanto, vinham sempre acompanhados de uns versinhos moralizadores, que lembravam como uma jovem não se devia comportar, que nesse tempo não se escrevia só o que o mulherio queria ouvir...também se avisava "não façam assim!".

A protagonista, a Zeca, era uma rapariga tola que, pretendendo ser muito moderna, muito informada e independente, esquecia o básico e só fazia disparates; e pretensiosa, achando-se uma grande senhora, caía em várias más criações fosse no cinema, na praia, nas lojas, etc.


Exactamente como muitas hoje em dia que sofrendo da "ilusão da experiência" se tornam imprudentes porque se julgam imunes a tudo, fingindo ignorar que o mundo não mudou tanto como isso...e fiando-se no facto de serem mais (formalmente) instruídas (mas não necessariamente mais cultas nem mais sábias) que as mulheres de gerações passadas, se sentem mais espertas do que na realidade são. A Zeca era uma chica -esperta. A diferença é que naquele tempo o fenómeno era recente, logo dava nas vistas e motivava brincadeiras que na altura eram consideradas justas, mas hoje seriam olhadas de lado.



É curioso: surgisse um cartoon destes em 2015 e mais facilmente se criticaria a rábula do que as mulheres que a inspirassem...e no entanto, quantas "Zecas" conhecemos por aí? A ler porcarias e a orgulhar-se de as ler; a fazer tristes figuras e a não ver mal nenhum nisso, antes pelo contrário; a fazer-se muito fortes, muito independentes, mas a postar frases lamechas nas redes sociais, vulgo "já não te quero, já vens tarde" para alfinetar um homem que nunca as levou a sério, se é que alguma vez as quis? A tratar com desprezo a senhora da limpeza ou quem estiver sob a sua autoridade no emprego, só porque deram um passinho em frente?



Zecas não faltam, o que nos falta é sentido crítico. E o mais caricato é que as autoras ou leitoras que jamais admitiriam uma "Zeca e a vida" nas suas revistas, alegando solidariedade feminina, serão muitas vezes as primeiras a cortar na casaca de uma "Zeca" que se atravesse no seu caminho...nessa altura qual girl power, qual carapuça. Faz falta um cartoon da Zeca estampado a letras gordas em muitas publicações, oh se faz...

No comments:

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...