Recomenda-se:

Netscope

Friday, July 10, 2015

Os 6 traços de quem anda sempre atrasado (a)


A pontualidade não é, dizem, uma das maiores qualidades dos portugueses, ou dos povos do Sul da Europa em geral (pessoalmente, acho que os espanhóis são os piores, a julgar por colegas com quem estudei...mas ouvi tantas dos italianos que já não digo nada).

Creio porém que o mal está em a pontualidade não ser levada a sério, nem considerada muito importante, ou em - hipótese mais provável - toda a gente chegar atrasada já a contar com os atrasos dos outros...

Não é que os portugueses não sejam capazes de ser pontuais, já que chegar a  horas é uma questão de simples disciplina e atenção; é que nem sequer se esforçam. Em Portugal é difícil manter uma pontualidade britânica, mesmo sendo pontual por natureza, por causa dos outros. É comum dizer-se "vamos marcar para as oito porque antes das oito e meia não chega ninguém!"  E no entanto, a pontualidade é não só um acto de respeito para com os demais, mas uma fórmula de descanso para nós mesmos...

Não há nada mais stressante (nem mais estúpido) do que fazer, a correr e a disparatar, quase sempre a ralhar com o culpado do atraso ou, se forem em grupo, a atirar culpas uns aos outros, uma viagem ou tarefa que se podia levar a cabo com tempo e com calma. Quem se atrasa acaba por ( além de maçar os que ficam à espera e se adiantaram a contar cumprir a agenda) não estar no seu melhor. Por não ter tempo nem para apreciar o processo, nem para assegurar que está tudo em condições, nem para descansar e se recompor antes de fazer o que tem a fazer. E quem está encarregue de um grupo (seja comitiva, evento ou de levar os filhos à escola) e se atrasa por sistema, acaba por prejudicar toda a gente.



 Ora, todos os "atrasados" têm traços em comum: em primeiro lugar, a incapacidade de gerir prioridades. Quem se atrasa quer tudo: acha que consegue simultaneamente fazer serão, dormir até ao último minuto mas levantar-se cedo q.b. para concluir uma montanha de tarefas antes de sair, ver os emails e as notícias, tomar o pequeno almoço nas calmas, passar a ferro, regar as plantas, voltar para trás não sei quantas vezes, falar com a vizinha que se lembra de aparecer para empatar tudo...impossível. Nem que fosse o Super Homem!

Em segundo, contar com o ovo na galinha; os atrasados são sempre uns optimistas: acham que terão tempo de manhã para despachar o que devia ter ficado fechado no dia anterior (vulgo:não vou fazer as malas hoje, quando acordar trato disso em meia hora...pois) e depois nunca contam que pode haver trânsito, greves do metro, uma falta de quem ficou de entregar o necessário (um fato da lavandaria, as cópias de um projecto, um documento etc) que pode ser preciso colmatar,  um empecilho na estrada ou qualquer coisa que já seria má se se saísse com a devida antecedência, quanto mais.



Terceiro, não levar os outros a sério: ante o berreiro desesperado de quem está a chamar, a avisar há horas, têm sempre resposta "não me apresses, que ainda me stressas mais e depois só faço asneiras...que exagero! Temos tempo". Tradução: despacho-me quando me despachar; deixa-me mas é em paz. E os outros em ânsias, a arranjar uma úlcera nervosa...

Quarto, preguiça: não neguem, que é inútil. Quem se atrasa invariavelmente, tem ali um valente fundo de preguiça, que se não for vencida incapacita qualquer um de fazer as coisas a bom ritmo. Preguiça de organizar o que é preciso rapidamente, preguiça de levantar mais cedo, preguiça de se mexer de manhã.

Quinto, um glossário de desculpas: já vou! Vou já! Só um minuto! Só um segundo! Espera! Estou quase! Deixa-me só...Espera aí! Calma! Falta pouco! Estou só a acabar isto e aquilo, sabes muito bem que não podemos sair sem *inserir tarefa* mas como sou eu que faço tudo e ninguém se rala com isso, etc (inversão de culpas típica) Peraí! Já vamos! Há tempo! etc, etc, etc.

Sexto, uma lata descomunal e uma descontracção do outro mundo, porque não sei como é que alguém prefere andar neste suplício quando bastava tão pouco para respeitar o plano estabelecido e tudo ser feito sem dramas. 

Às vezes é tão simples como dizer aos seus botões "quero estar pronto às X horas" e não condescender nisso. Até porque muitos atrasados que conheço, chegam a tempo quando não há realmente outro remédio: ao avião, ao emprego...ou seja, sabem o que é bom para eles; o mal é que em tudo o resto, acham que não precisam de se ralar. O melhor do mundo é fazer as coisas com calma, mas a calma exige a devida antecedência...

1 comment:

C. N. Gil said...

Por acaso, se há coisa que me tira mesmo, mesmo, mesmo do sério é isto!
E irrita-me em tudo!

Mas há situações em que vai para além de um ligeiro incómodo, como por exemplo ir ver um concerto de uma estrela internacional, como o Britânico Roger Waters que começa exactamente à hora anunciada e levar com o incomodo de estar ainda quase toda a gente a entrar quando estou a tentar ver o espectáculo...

Ou quando alguém marca uma reunião importantíssima perto do final do meu horário de trabalho, que invariavelmente começa atrasada, não estando eu disponível para prolongar o meu horário, visto que não sou compensado (monetariamente ou em tempo) o que costuma dar mau resultado...

(sim, eu tenho muito maus figados quando me pisam os calos!)

A falta de pontualidade é uma praga!

:)

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...