Recomenda-se:

Netscope

Saturday, August 8, 2015

O desleixo: pecado feminino imperdoável




O cruel ditado "numa mulher, a fealdade é pecado mortal" seria totalmente justo trocando-se "fealdade" por "desleixo". Isto porque a beleza é relativa e feita de muitos detalhes intangíveis (a que não são alheios o carisma, a bondade, o encanto e o sex appeal) e porque muito poucas mulheres são tão desafortunadas que não possuam algo de belo.

 Como dizia a minha sábia avozinha, "as pessoas não se fazem". Não há culpa nem mérito  na cara ou estrutura física com que se nasceu, e mesmo na época em que as modificações estéticas estão mais democratizadas, não é possível (nem desejável) que uma pessoa altere a sua aparência até se transformar numa estranha. 

Perfeito só Deus - e até a divina Vénus teve  inseguranças ao invejar a formosura da deslumbrante Psique!

 Agora o desleixo... é culpa de cada uma - assim como a disciplina para o evitar, para tirar partido do seu tipo, é mérito da mulher cuidada.

Que uma rapariga seja redondinha? Muito bem, há que vestir e exercitar-se de acordo. Mas que faça pouco caso disso, deixando crescer um barrigão "à Obelix"?  Isso já é culpa sua.

Que se tenha uma pele difícil ou frágil, com tendência a rugas prematuras? É mais um motivo para manter uma rotina de beleza adequada. E no entanto, não faltam raparigas muito jovens com a pele numa desgraça...

 Muitas não se importam com nada disto ainda em solteiras, mas outras caem na preguiça e no egoísmo - porque não há outro nome - de se desmazelar depois de comprometidas  e ainda assim, esperar que a cara metade as veja com os mesmos olhos! Ora, bem dizia a Bela Otero, "as mulheres têm a missão de ser belas". 

Max Klinger, Venus e Psique

 Sobre isto, escreveu Julia Müller no seu livro Die Frau [A Mulher] que foi um enorme sucesso de vendas na década de 1970: 

" A beleza não é uma bagatela que uma mulher adulta possa subordinar a valores mais espirituais. A beleza, o seu aspecto da cabeça aos pés, explicarão ao seu marido a importância que lhe dá como homem. Hoje, como nos tempos remotos, não devia haver coisa mais importante do que estar bela para ele. Cada elogio que outras pessoas lhe façam, será um cumprimento para ele. Ele  precisa disso. E você precisa da sua beleza para sentir-se segura de si mesma. Nenhuma mulher formosa tem medo da vida.  Claro que há mais numa relação do que a simples atracção exterior: saber que possuem a segurança de confiar um no outro, que juntos podem ultrapassar tudo. Mas não esqueça que todas estas coisas, ele também as poderá obter de uma irmã ou melhor amiga.  

Quando conheceu o seu marido, passava muito tempo ao espelho. Não se ria do facto como de uma tonteria de juventude. Entretanto retirou-se disso, porque já o tem...

Veja um retrato desses tempos. Ainda se parece com essa foto? Claro que está mais adulta. No entanto, não só devia ser igualmente bonita, mas mais bela. Uma mulher deveria tornar-se cada vez mais bela até alcançar a sua beleza definitiva, que manterá a partir daí...".

Creio que este discurso devia ser ensinado nas escolas e estar colado em muitos toucadores e espelhos...




1 comment:

Carla Santos Alves said...

Eu acho que devia sobretudo existir uma disciplina de boas maneiras cujos os conteúdos fossem também a forma como se devem vestir...
Formam-se as pessoas mas não se educam...

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...