Recomenda-se:

Netscope

Sunday, August 16, 2015

Ordinarómetro, parte I: como desmascarar um mulherengo em sete passos.

Não se está mesmo a ver?

Seria muito triste se toda a gente andasse neste mundo constantemente a desconfiar do próximo. Pessoas livres e solteiras precisam de ter um mínimo de abertura, de acreditar que há gente séria à face da terra, ou nunca encontrarão a sua cara metade.

E quem está comprometido (a) tem de confiar no cônjuge ou namorado (a) que escolheu, porque estar numa relação não deveria significar o inferno da mútua vigilância.

No entanto, há alminhas problemáticas neste mundo, que se divertem a espalhar a destruição à sua volta, quer estragando os amores alheios quer aproveitando-se de quem está sozinho e pondera a hipótese de se apaixonar.

Como a malícia não conhece sexos (embora homens e mulheres desse género possam demonstrar a sua vulgaridade de modos distintos) nacionalidades ou mesmo backgrounds sociais,  há que acreditar desconfiando, ler bem os sinais de alarme e depender do instinto: quando o ordinarómetro dispara, por algum motivo é!

Ficam algumas dicas, com base na observação e pesquisa, para uma rapariga se poupar a um namorado péssimo (ou de modo a um cavalheiro evitar que algum desses incomode a sua mulher/namorada). 

Num próximo post, veremos as pistas para um homem identificar uma interesseira e/ou mulher da luta (ou para uma esposa/namorada cortar o mal pela raiz caso apareça uma criaturinha dessas).

Comecemos então pelo masculino: 7 traços do mulherengus ordinarius vulgaris.



1- Tem sempre o elogio fácil: dependendo do pedigree do rapazinho, a bajulação pode ser mais subtil ou do tipo adulação barata, vulgo "és liiiiinda" (ênfase no tratamento super informal) a torto e a direito, mal acabam de se conhecer. Homens desse género partem do princípio de que todas as mulheres, sem excepção, são estúpidas e vaidosas ao ponto da garridice, bastando por isso tocar nesse ponto fraco para lhe caírem nos braços. Muitos nem se dão ao trabalho de elogiar em detalhe, de modo a soar credíveis: têm uma série de "mimos standard" que dizem a tudo quanto use saias. São todas lindas e sexy, ainda que não o sejam lá muito. E claro, nas redes sociais trata de likar, comentar e bajular bastante o alvo, mesmo que o que foi postado não lhe interesse rigorosamente para nada. Não se sinta honrada por isto: o mais certo é o malandro perder um bom bocado por dia no facebook e no instagram a comentar, pôr likes e "amigar" todo o mulherio que lhe agrade (e geralmente um mulherengo não é muito exigente, por isso não desconfie só das mais vistosas ou bonitas). A sua estratégia é bastante simplista: "faz uma mulher sentir-se irresistível e ela será incapaz de te resistir"



2- Move-se depressa, estilo montanha russa: as mulheres gostam de homens decididos...mas devagar com o andor, que o santo é de barro. Um mulherengo determinado vai fazer tudo para forçar uma aproximação: dependendo da resistência que encontrar na potencial conquista, pode mostrar-se atrevido, agir com "mãos de polvo"... ou ir ao extremo de fingir que é um cavalheiro, dizendo que está interessado numa relação séria, que ela é o tipo de rapariga que ele sempre sonhou apresentar aos pais, etc. Assim como assim não tenciona cumprir nada do que promete, por isso quanto mais rápido as defesas da "oponente" caírem, melhor. Depois disso, pode dar-se ao luxo de mostrar a verdadeira face, desaparecendo do mapa (se só estava à procura de diversão) ou, caso a vítima lhe interesse para namorada, continuando as suas conquistas em série nas costas dela. Porque acha que pode, pois claro.




3 - Tem um ego ridículo (com ou sem motivo para tal): com excepção dos elogios constantes, nunca diz nada a uma rapariga que não seja para falar dele próprio. Muito menos se interessa por saber coisas acerca dela. 
Dependendo do género, pode gabar-se dos 100 kg que levantou no ginásio, do seu super carro, das suas conquistas académicas/políticas/profissionais...em suma, toda e qualquer frase começa  por "eu". 
 Esse é um sintoma do mulherengo, mas também uma das causas de ele ser tão mulherengo: como no fundo é um inseguro, o interesse de qualquer mulher, mesmo a mais desengraçada, é um troféu para ele.




4- É super liberal...e com uma queda pelo  vulgar:  não julga ninguém, muito menos as mulheres promíscuas ou que tenham, enfim, mau ar. É um defensor acérrimo de todas as vigarices, de todos os arrivismos, de todas as batotas, das modas provocantes, do amor livre, da libertação feminina (mas só para o que lhe convém, porque mulheres modernas, meio despidas e desinibidas significam mais conquistas fáceis) e pode dar-se com gente desonesta sem ver mal nenhum nisso. Ou seja, não julga porque a noção do certo e do errado não lhe assiste, porque tem fraca moral e telhados de vidro. Não porque seja uma pessoa zen e fofinha que anda para aí a salvar os pecadores.



5- Gosta de fazer de ombro, ou precisa de um ombro: um ombro interesseiro, claro. As amizades fraternais com o sexo oposto são raras, principalmente quando surgem de um momento para o outro. Se um rapazote amável está "sempre lá" para a sua namorada, se lhe ouve os desabafos, alto! Provavelmente espera o momento de a apanhar vulnerável para atacar. Por outro lado, se um homem faz uma amiga ou colega de trabalho de ombro, contando-lhe as desditas com a mulher ou namorada, o mais provável é que esteja a tentar jogar com o instinto competitivo e a vaidade feminina, levando-a a pensar "eu é que o fazia feliz!". Não respeita a legítima nem a amiga, apenas quer marcar uns pontos fora da cerca.




6 - Tem montes de amigas...e/ou anda sempre "atado com guitas": já por aqui se disse ad nauseam: homem que tem demasiadas amigas, ou é gay ou não é gente sériaPrimeiro, há que desconfiar de quem dá a qualquer conhecida o título de "amiga". Cuidado com os "Manéis dos plásticos!"

Depois,  a definição de "amigas" do homem que tem muitas é incrivelmente abrangente. No saco das amizades cabem geralmente as ex condiscípulas, vizinhas, as mulheres com quem trabalhou (não necessariamente com a devida distância profissional) a dentista ou personal trainer que por acaso é muito simpática e anda carente desde que se separou (como diabos sabe ele isso?) ex namoradas, amigas coloridas, potenciais amigas coloridas, barmaids, um festival. Para piorar, se conversarem sobre o assunto - ou se travar conhecimento com uma das centenas de amigas dele - poucas são as amizades que parecem inocentes. Ou que têm um ar respeitável.  Ou que estão à vontade com a nova namorada dele. Entre o constrangimento e o olhar matador que deitam à nova conquista, percebe-se logo. Por fim, quase sempre há uma relação mal resolvida ou caso pendente que reaparece, telefona ou volta dos mortos a torto e a direito. Em suma: fugir depressa.



7- Tem uma reputação...ou um passado: onde há fumo, há fogo. Mesmo que uma mulher não se sinta intimidada por o "livrinho negro" de um homem mais parecer uma lista telefónica, há sempre que considerar esse dado e manter o máximo de distância (quer física, quer emocional) até o conhecer melhor. Se ele é um D.Juan reformado e está muito empenhado na relação, terá muito tempo para provar que mudou. Se ele não respeitar isso (vide ponto 2) há que fugir como se estivesse o céu a cair.


E não percam o próximo episódio, onde analisaremos o lado feminino da questão: as aventureiras atiradiças! 


1 comment:

Maria Francisca said...

isto está genial! vou partilhar :)

Textos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...